segunda-feira, 24 de julho de 2017

Confira o edital do seletivo para vagas na Assistência Social

A Prefeitura Municipal de São José de Ribamar, por intermédio da Secretaria Municipal de Assistência Social Trabalho e Renda (SEMAS), realiza Processo Seletivo Simplificado destinado à contratação temporária de profissionais para exercer as funções de Advogado, Assistente Social, Atendente do Cadastro Único, Auxiliar de Cuidador Social, Orientador Social, Pedagogo e Psicólogo para compor a Equipe de Referência dos Programas, Projetos e Serviços Assistenciais. No total serão selecionados e contratados 39 profissionais.

Resultado de imagem para PROCESSO SELETIVO
Para exercer as funções de Advogado, Assistente Social, Atendente do Cadastro Único, Auxiliar de Cuidador Social, Orientador Social, Pedagogo e Psicólogo para compor a Equipe de Referência dos Programas, Projetos e Serviços Assistenciais. No total serão selecionados e contratados 39 profissionais.
As inscrições serão gratuitas e realizadas no período de 25 a 31 de julho de 20017, apenas em dias úteis, de 09h às 17h, no prédio da Secretaria Municipal da Assistência Social, Trabalho e Renda, localizado na Rua João Alves Carneiro, no Moropóia em São José de Ribamar. A seleção ocorrerá em duas etapas, sendo avaliação de títulos e entrevista.

Outras informações e o edital completo do seletivo pode ser acessado no site da prefeitura www.sjr.ma.gov.br. O resultado final do processo será afixado na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Renda, bem como divulgado também no site.

Por que só os pobres ficam na cadeia?

Casos de impunidade sempre estão relacionados a pessoas "bem posicionadas" na sociedade.

O levantamento mais recente sobre o perfil dos presos no Brasil revelou que um terço está relacionado ao tráfico de drogas. O número de presos por esse tipo de crime aumentou quase 340% desde 2006, quando uma nova lei, mais rigorosa com o tráfico, entrou em vigor.

Ao mesmo tempo em que pessoas sem nenhuma passagem anterior pela polícia ocupam os presídios, surgem casos de impunidade, sempre relacionados a pessoas bem posicionadas na sociedade.
No início do ano, o Superior Tribunal de Justiça confirmou a condenação a quatro anos e 11 meses de prisão de um homem preso em flagrante por entregar a outro um cigarro com 0,02 grama de maconha.

Já a Justiça Federal do Espírito Santo ainda não julgou os quatro homens apanhados tentando desembarcar 445 quilos de cocaína de alta pureza, há quase quatro anos.
Breno Solon Borges, filho da desembargadora: ostentação e uma vida marcada pela suspeita de crime pesado.
 
O que havia de diferente nos dois casos, além da brutal diferença de quantidade de droga apreendida?
O homem condenado a quatro anos e onze meses de prisão já se encontrava preso na Cadeia Pública de Cataguases, Minas Gerais, quando um policial civil o viu entregar a outro detento um pacotinho com a maconha, tão pequeno que era difícil enxergar de longe. Seria um pouco mais grosso que um palito de fósforo.

Já os 445 quilos de pasta base de cocaína foram apreendidos por uma força tarefa que uniu policiais federais e policiais militares do Espírito Santo e estavam sendo descarregados do helicóptero da família do senador Zezé Perrella, também de Minas Gerais.

A quantidade de drogas era tanta que encheu o porta-malas do Volkswagen Polo que aguardava no interior de uma fazenda pela chegada da droga, embarcada no Paraguai.

O helicóptero foi devolvido à família do senador, apesar da legislação prever o confisco de bens usados no tráfico. Os pilotos foram soltos seis meses depois do flagrante, assim como dois ajudantes. Já o presidiário de Cataguases vai passar mais alguns anos trancado na cadeia.

Agora, do Mato Grosso do Sul, vem a notícia de que o filho da presidenta do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul, a desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges, foi solto, apesar das provas que existem do envolvimento dele com o tráfico de drogas.
Garcia, desembargadora e agora tutora de um acusado de narcotráfico e ligações com o crime organizado.

Breno Fernando Solon Borges, de 37 anos foi preso pela Polícia Rodoviária Federal em abril deste ano, com 130 quilos de maconha, 199 projéteis calibre 7.62 e 71 projéteis de pistola 9 milímetros, munição para armas de uso restrito das Forças Armadas.

O empresário é dono de metalúrgicas e serralherias em Campo Grande e outros estados, como Paraná e Santa Catarina, e foi preso pela Polícia Rodoviária Federal quando viajava com a namorada e um funcionário dele, em dois carros.

Interrogado, o filho da desembargadora não revelou a origem do armamento e das drogas e nem dos supostos compradores. Já tinha passagem pela polícia, por porte ilegal de arma, e era investigado sob a suspeita de participar de um esquema de tráfico de drogas e armas para traficantes do interior de São Paulo, utilizando como fachada a participação em corridas de motos.

O nome de Breno também apareceu numa investigação que apurava um plano para resgatar presos. Nas redes sociais, ostentava uma vida de luxo.

Para ser liberado, seus advogados apresentaram um laudo médico que atribui a ele Síndrome de Borderline”, doença “consiste basicamente no desvio dos padrões de comportamento do indivíduo, manifestado através de alterações de cognição, de afetividade, de funcionamento interpessoal e controle de impulsos.”

O site Campo Grande News cobriu o caso e informou que, em uma das tentativas de libertar Breno, com o laudo em mãos, a mãe, presidente do TRE, se ofereceu como tutora para o filho ser internado em uma clínica médica. O juiz de primeira instância negou, dada a gravidade da acusação.

Na sexta-feira passada, o desembargador Ruy Celso Barbosa Florence tomou uma decisão diferente: liberou Breno da prisão. O compromisso assumido pela defesa é que ele se submeterá a tratamento psiquiátrico adequado, sob a tutela e responsabilidade da mãe, que se comprometeu a levá-lo a todas as audiências do processo. 

Enquanto isso, as cadeias em todo o Brasil enfrentam o problema da superlotação por conta da chegada de novas levas de acusados de tráfico. Casos como o do presidiário condenado por conta de 0,02 gramas de maconha. Muitos dos presos são mulheres e negros, quase todos são pobres.


As informações são do repórter Joaquim de Carvalho, do DCM
Edição da Agência Baluarte

Interrupção do sistema de arrecadação tributária

A prefeitura de São José de Ribamar, por meio da Secretaria Municipal da Receita e Fiscalização Urbanística (SEMREC), informa que o sistema de arrecadação tributária estará fora do ar de 00h do dia 28 até às 7h do dia 31 de julho para serviços de manutenção.
Grajauenses denunciaram a Agencia de Notícias Baluarte suposta perseguição de Simone Limeira a servidores da unidade de saúde. 
 
POR FERNANDO ATALLAIA
DIRETO DA REDAÇÃO  

''Após ser flagrada recebendo propina, agora é a vez de Simone Limeira, aliada de Flávio Dino na região de Grajaú, tocar o terror no Hospital Geral de Grajaú com a finalidade de angariar mais propina, lógico, para financiar sua campanha de deputada estadual''. Com essa afirmação bombástica, um grupo de lideranças de Grajaú-MA , que preferiu não ser identificado por medo de represálias, denunciou na tarde de hoje (24) a ANB Online suposta perseguição da ex-assessora especial do governador Flávio Dino(PCdoB) naquele município. 


A denúncia, que seguiu sob  fortes ‘revelações’, dá conta de que Limeira estaria utilizando a prerrogativa de representante do Governo estadual para impor, à marra, decisões de cunho pessoal e, assim, deliberar em causa própria. 

Flávio e Simone: a proteção do governador é o deleite da ex-auxiliar
Grajauenses denunciam representante do Governo do Estado; segundo eles, Simone Limeira(foto)  está ‘tocando o terror’ no Hospital Geral do município.
''Mediante a falta de credibilidade, inviabilidade financeira de sua iminente campanha, a dinista, representante do comunista na região de Grajaú, está negociando empregos no Hospital em troca de votos, para isso pressionou o diretor a demitir 4 vigilantes, 3 enfermeiros e 1 farmacêutico, que atuam cumprindo suas atribuições com zelo e de acordo com as prerrogativas legais, mas que agora ficaram desempregados para atender interesses eleitoreiros; assédio moral, arrocho salarial, ausência de direitos trabalhistas, falta de condições de trabalho tem sido a marca da gestão dinista para a saúde pública, exemplo disso é  o grande número de processos judiciais, inquéritos e ações coletivas por assédio moral ajuizado contra a EMSERH e outros institutos; nunca foram tantas ações movidas  por assédio moral quanto nesse Governo'', disse um dos denunciantes , em tom de desabafo. 


A situação em Grajaú, após as declarações do grupo, conforme apurou a Agencia Baluarte, se tornou insustentável. Nas redes sociais, parentes e amigos dos servidores prestaram solidariedade aos exonerados, enquanto outra maioria rechaçou a ex-assessora especial de Flávio na cidade. Ponto incisivo que ganhou destaque na denúncia, a demissão de parte do pessoal da saúde vem causando revolta na população local. 


''O terror e a caça às bruxas que a pré-candidata Simone Limeira introduziu no Hospital Geral de Grajaú, está tomando proporções gigantescas que revoltaram a população do município; na última terça feira, dia 11/07, foram demitidos 3 enfermeiros e 1 farmacêutico, todos com 6 anos de hospital; na quinta feira dia 13/07 foi a vez de 4 vigilantes'', informam os integrantes do grupo grajauense. 


Outro lado- Diante da grave denúncia, ANB tentou contatar a ex-assessora especial de Flávio Dino, Simone Limeira para obter possíveis esclarecimentos sobre a denúncia, mas até o fechamento dessa matéria não havíamos obtido êxito. Sabe-se, contudo, que o descontentamento naquele município se intensifica. O Governo ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

Serviço de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto muda a realidade de jovens em São Luís

"Há males que vêm para o bem. Essa frase ficou marcada na minha memória durante todo o processo em que cumpri medida socioeducativa. Quando você passa por um problema como esse, fica perdido e sem rumo. A partir do atendimento que recebemos nos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas), com acompanhamento psicológico e social, que muitas das vezes achamos chato, é que nos damos conta da gravidade daquilo que fizemos e passamos a refletir sobre isso e principalmente sobre a chance de mudar e construir um futuro melhor". O depoimento de Carlos Silva (nome fictício), 16 anos, é para dizer da transformação que teve sua vida a partir do cumprimento de medida em meio aberto no Centro de Referência da Assistência Social no Centro.

O Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida (La) e de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC), executado pela Prefeitura de São Luís, através da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), atende atualmente 118 adolescentes e suas referidas famílias. O trabalho tem parceria com 49 instituições da Rede, voltadas para o recebimento de socioeducandos que foram sentenciados ao cumprimento da Medida de Prestação de Serviço à Comunidade (PSC).

O serviço inclui ainda encaminhamento para a rede de ensino para inserção e reinserção escolar; encaminhamento para a rede de saúde, com atenção para as demandas provenientes do uso e abuso de substâncias psicoativas.
"Sabemos que é essencial termos políticas refinadas para alguns grupos com demandas específicas, como adolescentes em conflito com a lei. Olhar o adolescente de maneira positiva e transformar o cumprimento da medida socioeducativa em uma oportunidade de inclusão social representa uma grande mudança de mentalidade e é um dos compromissos assumidos pela gestão do prefeito Edivaldo", destacou a titular da Semcas, Andreia Lauande.

ATENDIMENTO ESPECIALIZADO

Os adolescentes e jovens sentenciados pelo Sistema de Justiça são encaminhados à Semcas para serem acompanhados pelos Creas, que realizam atendimento e acompanhamento social e psicológico através de uma equipe técnica composta por Assistente Social, Psicólogo, Orientador Social, Pedagogo e Orientador Jurídico. O acompanhamento dos jovens envolve a elaboração de Plano Individual de Atendimento (PIA); participação em Audiências de Reavaliação e de Justificação; reuniões e contato sistemático com a 2ª Vara da Infância e Juventude bem como a 37ª Promotoria da Infância e Juventude e Defensoria Pública.

O serviço inclui ainda encaminhamento para a rede de ensino para inserção e reinserção escolar; encaminhamento para a rede de saúde, com atenção para as demandas provenientes do uso e abuso de substâncias psicoativas. Além disso, promove o acesso a esporte, cultura e lazer, e demais políticas públicas. O serviço ainda busca estabelecer parcerias no âmbito do desenvolvimento de competências profissionais, desenvolvendo um trabalho que vislumbra a reconstrução e o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários.

De acordo com a coordenadora do Serviço de Medidas Socioeducativas da Semcas, Carolina Estrela, o trabalho realizado pelas equipes técnicas, junto das famílias é fundamental. "Os adolescentes, bem como suas famílias, também são inseridos no processo através do diálogo constante e planejamento prévio e conjunto das atividades e articulações desenvolvidas pelo serviço. Além de todo atendimento socioassistencial e orientações jurídicas, participam de oficinas e palestras, onde se aplicam as Práticas Restaurativas como metodologia de atendimento; vislumbrando melhor atender e acompanhar", ressaltou a coordenadora.
O acompanhamento às famílias é extremamente importante no processo. Na batalha diária e incansável para garantir um futuro melhor para o filho, a dona de casa, Maria Santos (nome fictício), mãe do adolescente Vinícius Santos (nome fictício), não mede esforços. " Eu não tenho sossego, acompanho ele em tudo e se Deus quiser vamos superar essa fase. Apesar de todos os erros, meu filho é um bom menino, amoroso, companheiro e carinhoso. Eu vou continuar lutando por ele", desabafou a dona de casa.

Vinicius Santos, 16 anos é acompanhado pelo Creas Centro e cumpre medida socioeducativa de liberdade assistida. Para o adolescente tem sido um desafio superar a condição de violência que vivenciava. "O medo foi meu maior motivador, esse processo tem sido muito difícil porque eu já estava acostumado com a rua, com o que é mais fácil, mas chega um momento que temos de decidir se queremos seguir com esse caminho, que só nos leva a morte ou a prisão", disse o jovem.

INSTITUIÇÕES PARCEIRAS

Entre as 49 instituições da Rede, voltadas para o recebimento de socioeducandos em cumprimento de PSC, está a Defensoria Pública do Estado (DPE) do Maranhão, através do Núcleo de Defesa da Criança e do Adolescente (NDCA) com o projeto "Oportunizar para Ressocializar", que oportuniza ao adolescente em cumprimento da medida, a possibilidade de adquirir valores sociais positivos, por meio da vivência de relações de solidariedade e entre ajuda, presentes na ética comunitária.

"Entendemos que a medida socioeducativa de Prestação de Serviços à Comunidade, é algo que oportuniza ao adolescente a formação de valores e atitudes construtivas, através de sua participação solidária no trabalho das instituições", chamou atenção o defensor público, Gabriel Furtado.

A jovem Virgínia Araújo (nome fictício), 15 anos, é uma das adolescentes em cumprimento de PSC no Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria. Duas vezes pela semana, ela cumpre a medida no contra turno escolar, onde atua no atendimento ao público da instituição. "Meu sonho é formar em direito e aqui, tenho aprendido várias coisas que contribuem para o meu crescimento como o conhecimento sobre as leis e também sobre humanidade. É algo que vou levar por toda vida, acredito que estou tendo uma oportunidade que muitos jovens não têm", afirmou a adolescente.

CUMPRIMENTO EXITOSO DE MEDIDAS SOCIOEDUCATIVA EM MEIO ABERTO

A Prefeitura realiza ainda Cerimônias de Cumprimento Exitoso de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, certificando tanto os adolescentes e jovens que cumpriram de forma exitosa a Medida, bem como as entidades parceiras da PSC. Além disso, trabalha em articulação com a Rede Socioassistencial, oportunizando, sempre que possível, formação profissional e inclusão no mercado de trabalho.

E foi esse incentivo que mudou a vida de André Castro Nunes (nome fictício), que já cumpriu Medida Socioeducativa em Meio Aberto e hoje é um exemplo de superação: "Esse trabalho realizado pela equipe do CREAS mudou minha vida. Passei por todo um processo e nada é fácil quando estamos em uma situação extrema. Hoje estou aqui, dando meu testemunho, falando para esses jovens que eles têm uma oportunidade, eles só precisam querer", disse o jovem que hoje é microempresário.

AVANÇOS

Em 2015, a Prefeitura de São Luís por meio da Semcas, apresentou no Seminário Nacional sobre Redução das Desigualdades Intramunicipais, realizado em São Paulo, dados sobre a experiência exitosa da execução das Medidas Socioeducativas em Meio Aberto em São Luís. O evento, que foi promovido pelo Fundo das Nações Unidas pela Infância (Unicef), apresentou as ações e políticas desenvolvidas pelos oito municípios integrantes da Plataforma dos Centros Urbanos (PCU) para redução das desigualdades sociais para a infância e a adolescência.

No mesmo ano, São Luís foi uma das cidades semifinalistas do Prêmio Nacional de Boas Práticas de Gestão no XVII Encontro Nacional do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas), com apresentação da execução das Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, como boa prática de execução com papel fundamental na ressocialização de adolescentes e jovens na capital.
Mulher encontrada morta no Recreio seria falsa médica do 'golpe do bumbum'
 
Encontrada morta na manhã deste sábado, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, Marcilene Soares Gama, de 49 anos, tem sido reconhecida como a falsa médica que aplicava silicone industrial em pacientes, tendo deixado dezenas de mulheres com graves lesões pelo corpo e outros problemas de saúde.

As investigações sobre a causa de sua morte estão em andamento, a cargo da Delegacia de Homicídios da Capital, que ainda não confirmou as suspeitas de que se trata da mesma Marcilene, denunciada pelo "golpe do bumbum". Características reveladas em fotos dela na web - como duas tatuagens na barriga - coincidem com as do corpo encontrado.

Marcilene aplicava silicone industrial em pacientes
Marcilene foi denunciada por destruir o bumbum de pelo menos dez mulheres.

Nas redes sociais, algumas manifestações já aparecem sobre o caso. "O mesmo nome da mulher que aplicava hidrogel e mutilou várias mulheres. Que coincidência", escreveu uma internauta, no Facebook. Outra afirmou: "ela é aquela médica que injetava gel nas pessoas".

Uma página na rede social, seguida por mais de 80 pessoas, é voltada para reunir vítimas de Lenny Gama - ou Lene Soares, como também era conhecida. 


Polícia Militar aguardava retirada do cadáver na manhã deste sábado
Encontrada morta na manhã deste sábado, no...

Marcilene foi denunciada por destruir o bumbum de pelo menos dez mulheres e, segundo investigações, agia desde 2013 no Rio de Janeiro e em São Paulo. A falsa médica chegou a ser presa duas vezes. Em 26 de julho de 2013, o flagrante foi cumprido após ela ter aplicado 'Aqualift' em uma de suas clientes em Bangu, na Zona Oeste do Rio. No mesmo período, Margarete Lopes da Silva Castro, identificada como sua comparsa, também foi presa pelo mesmo crime por policiais da 34ª DP (Bangu).

Marcilene Soares Gama era conhecida também como Lene Soares ou Lenny Gama
De lá para cá, a criminosa respondia a processos judiciais em liberdade.

Já em 2015, Marcilene foi presa no flat de um bairro nobre de São Paulo, ocasião em que sua filha também foi levada pela polícia. As duas atendiam pessoas em hoteis da região, de acordo com as investigações. De lá para cá, a criminosa respondia a processos judiciais em liberdade.



AS INFORMAÇÕES SÃO DO EXTRA RIO

EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE

Aumento de imposto sobre combustíveis compromete crescimento, diz especialista

População pobre será a mais afetada pela medida: "Como economia tá ruim, a gente sente muito", diz taxista.

Na sexta-feira (21), entrou em vigor em todo o país o reajuste nos impostos que incidem sobre os combustíveis, conforme havia sido anunciado pelo governo federal. O maior aumento é o da gasolina, cuja incidência tributária salta de R$ 0,38 para R$ 0,79 por litro. No atual cenário de desemprego, a medida deixa a população ainda mais apreensiva em relação ao custo de vida. 

Para Esther Dweck, do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a ação penaliza ainda mais a população de baixa renda e tende a comprometer o crescimento econômico nacional.

“Fazer isso neste momento traz duas coisas: primeiro, não mexe em nada na estrutura tributária brasileira, na regressividade característica dela, que é o fato de os mais pobres pagarem mais impostos; por outro lado, é o aumento de um imposto que gera um impacto econômico regressivo, no sentido de desacelerar a economia, porque aumenta o custo de várias coisas. Consequentemente, pode contribuir para não recuperar o crescimento”, explica Dweck.  
  
O maior aumento é o da gasolina, cuja incidência tributária salta de R$ 0,38 para R$ 0,79 por litro.
Isso é sentido na pele pelo taxista Antônio dos Santos, que atua há 38 anos na área. "A gente que trabalha diretamente com a gasolina vai sofrer impacto porque, do jeito que está a situação, qualquer aumento, qualquer dinheiro que se perca durante o dia é muita coisa, então, não veio em boa hora”. "O problema é que o governo não pensa que a população está sem dinheiro. Se fosse um momento de economia boa, ninguém sentiria. Mas, como a economia está muito ruim, a gente sente muito”, acrescenta o taxista.

Ele conta que a crise atual, somada à concorrência no mercado, tem provocado queda de 70% na procura pelo serviço. O ganho diário, que antes variava de R$ 200 a R$ 300, agora chega a ser de R$ 50 em alguns dias. Santos avalia que, neste momento, não será possível repassar o reajuste aos passageiros e que a categoria vai ter que arcar com o custo. 

Com o reajuste, a tributação sobre o diesel passa de R$ 0,24 para R$ 0,46 por litro, enquanto, no caso do álcool, o tributo salta de R$ 12 para R$ 13, se for para produtores, e de zero para R$ 0,19 para distribuidores.

O aumento traz também o temor de que os bilhetes de ônibus sejam reajustados. “Na situação em que o Brasil está hoje, é o consumidor quem paga tudo. Geralmente, a corda só arrebenta do lado mais fraco, então, o trabalhador é o mais afetado”, lamenta o analista de segurança da informação Maurício de Sousa, que anda de ônibus quatro vezes por semana, gastando em média R$ 10 ao dia.

Economia

Para a economista Esther Dweck, o país precisaria de mudanças mais profundas no que se refere à sistemática de pagamento de impostos.“O governo mexeu onde era fácil. Ele não quer de jeito nenhum comprar a grande briga que a gente precisa comprar, que é uma reforma tributária de fato”, considera, acrescentando que a estrutura tributária brasileira precisaria ser “remontada”. 

“Teríamos que diminuir os impostos indiretos, que são sobre o consumo, porque, proporcionalmente, quem acaba pagando muito mais são os mais pobres, e aumentar muito a tributação sobre o patrimônio, sobre a renda, de forma bem progressiva, inclusive dando mais isenção de imposto de renda [a quem precisa] e aumentando algumas alíquotas, voltando a tributar lucros e dividendos”, defende.

O aumento ocorre ao mesmo tempo em que os Ministérios da Fazenda e do Planejamento anunciam um novo corte no orçamento federal. Desta vez, a administração pública sofre um arrocho de mais R$ 5,9 bilhões. 

De acordo com o governo, as duas medidas estariam voltadas para o cumprimento da meta fiscal, baseada na expectativa de receitas e gastos ao longo do ano. Para 2017, o Executivo prevê um déficit de R$ 139 bilhões. A conta não inclui os gastos com os juros da dívida pública, que consome cerca de 50% do orçamento federal e é alvo de críticas por parte de diversos segmentos pelo fato de nunca ter passado por uma auditoria.



As informações são da repórter Cristina Sampaio
Edição de Vanessa Martina Silva

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB