quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Mais de cem prefeitos prestaram nesta terça-feira (16) homenagem a Flávio Dino pelas ações que o levaram à condição de governador que mais cumpre compromissos de campanha em todo o Brasil
Mais de cem prefeitos prestaram nesta terça-feira (16) homenagem a Flávio Dino pelas ações que o levaram à condição de governador que mais cumpre compromissos de campanha em todo o Brasil. A homenagem foi feita pela Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem). De acordo com o presidente da entidade, Cleomar Tema, 90% das ações da gestão Flávio Dino foram feitas diretamente nos municípios.

Segundo a pesquisa do portal G1, Flávio Dino já cumpriu ou está cumprindo 92% dos compromissos de campanha. Isso o coloca como governador mais eficiente em todo o Brasil.
Segundo a pesquisa do portal G1, Flávio Dino já cumpriu ou está cumprindo 92% dos compromissos de campanha. Isso o coloca como governador mais eficiente em todo o Brasil. Ele também aparece no topo de uma lista com governadores, prefeitos de capital, presidente da República e ex-governantes. São 60 políticos no total.
Veja o ranking do G1 aqui: http://especiais.g1.globo.com/maranhao/2015/as-promessas-de-dino/#!/3-anos.
Cleomar Tema, presidente da Famem e prefeito de Tuntum, explicou que os gestores municipais tiveram uma reunião técnica na sede da federação e aproveitaram a oportunidade para fazer a homenagem: “Afinal, o portal G1, das Organizações Globo, o escolheu como melhor governador do Brasil. Nada mais justo, porque todas as ações do governo são voltadas para os municípios, como o Mais Asfalto, o Escola Digna, o Plano Mais IDH”.

Os prefeitos também entregaram uma placa para Flávio Dino, que agradeceu a homenagem e disse que, embora o Brasil passe por momentos de dificuldades econômicas e políticas, “nós estamos conseguindo manter o barco no rumo certo, com desenvolvimento e justiça social”.

Prefeitos homenagearam governador pelo 1° lugar em ranking nacional do G1.
“Implementamos políticas públicas porque os municípios nos ajudam, e a Famem reconhece o esforço imenso que fazemos para ajudar os municípios. Temos que dar as mãos, e a mensagem principal desse reconhecimento é a força da união”, acrescentou o governador.

Reconhecimento

A prefeita de Nova Iorque, Mayra Guimarães, disse que “foi muito bem-vindo esse reconhecimento pelo trabalho que ele o governador tem feito no nosso Estado. A história do Maranhão vai ser contada após a entrada de Flávio Dino, ele está construindo uma linda história”. Ela contou que, entre os benefícios recebidos pela cidade, estão escola reformada, ônibus escolar, ambulância e praça revitalizada. “E os prazos que ele me deu foram todos cumpridos.”

O prefeito de Santa Luzia do Paruá, Plácido de Holanda, disse que Flávio “está cumprindo o que prometeu. Acho que por isso ele foi citado no G1 como melhor governador do Brasil”. O prefeito citou como exemplos os investimentos já recebidos pela cidade com as obras do Mais Asfalto, patrulha agrícola, viatura, ambulância e convênios. E um hospital também está sendo feito no município.

A homenagem foi feita pela Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem). De acordo com o presidente da entidade, Cleomar Tema, 90% das ações da gestão Flávio Dino foram feitas diretamente nos municípios.
A prefeita de Santa Luzia, França do Macaquinho, disse que as obras que têm sido feitas em todo o Estado são “resultado de parceria do Governo com os municípios. O povo está vendo o que está sendo feito, não é à toa que Flávio Dino está sendo reconhecido como melhor governador do Brasil.”
Ela contou que a cidade já recebeu diversos benefícios do Estado: “Entre eles, está a aquisição do hospital de Santa Luzia. Há quase 50 anos pagávamos aluguel, eram R$ 35 mil por mês. Agora nos livramos do aluguel e passamos a fazer esse  investimento no hospital”. A prefeita também listou, entre os destaques, a inauguração de um Restaurante Popular.

“É um justo reconhecimento dos prefeitos, por meio da Famen, ao governador Flávio Dino por essa importante conquista. É o Maranhão em primeiro lugar, apesar dessa grave crise brasileira. É muito oportuno que os prefeitos reforcem essa luta por um Maranhão melhor para todos”, afirmou o secretário de Estado de Comunicação Social e Assuntos Políticos, Márcio Jerry.
Especialistas e entidades de direitos humanos se articulam para barrar iniciativa, considerada 'genocida'

A redução da maioridade penal, que constantemente ronda o debate público no país, é uma das pautas que estão na agulha da bancada conservadora do Congresso Nacional para este semestre. Enquanto parlamentares reacionários tratam o tema como uma questão de segurança pública e sob um viés policialesco, diversos segmentos da sociedade civil organizada se articulam para, mais uma vez, tentar barrar a medida.

O psicólogo Rubens Bias, da Campanha contra a Redução da Maioria Penal, destaca que o debate traz, na essência, a concepção que uma parte da sociedade brasileira tem sobre a infância.

"Em muitos aspectos, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é muito progressista, avança e, ao mesmo tempo, a gente tem uma sociedade muito conservadora, punitivista que fica cobrando soluções que passam mais por infringir sofrimento às crianças do que por um viés mais pedagógico, educativo", analisa.

O movimento sustenta que adolescentes em conflito com a lei não podem ser destinados ao sistema prisional porque são sujeitos em processo de formação. A lógica é a mesma que embasa a legislação brasileira, que prevê o acolhimento desse público pelo Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase).
Criado conceitualmente sob a concepção de direitos humanos, o modelo incorpora políticas de assistência social, educação, cultura, entre outras voltadas aos adolescentes que têm a partir de 12 anos.

Estudantes protestam contra a proposta de redução da maioridade penal, em 2015, em frente ao Congresso Nacional. 
Para o advogado criminalista Gabriel Sampaio, ex-assessor parlamentar do Ministério da Justiça no governo Dilma, apesar das falhas na execução das políticas do Sinase, uma eventual redução da maioridade penal condenaria os adolescentes a um futuro de risco. Ele destaca que o sistema atual está mais voltado para os preceitos constitucionais do país.

"Sair desse modelo pra repetir os erros do sistema penitenciário é algo que não se explica por nenhuma racionalidade. O país teria muito a perder", defende.
Em contrapartida, ele ressalta que o sistema carcerário tende a comprometer o destino dos internos porque acumula problemas potencialmente mais graves, entre eles um maior acesso ao mundo do crime organizado.

"É um sistema que, na sua raiz, está falido, que envolve um gasto do Estado pra promover condições que só aumentam a vulnerabilidade da pessoa presa e da própria sociedade, porque é um sistema que não ressocializa. Ele não deve servir de modelo pra nada na nossa sociedade", argumenta.

Sociedade

Segundo pesquisa Datafolha, o apoio à redução da maioridade penal para crimes graves teria aumentado de 2015 para 2017 entre a população brasileira. Divulgada no início deste mês, a cifra passou de 25% para 36% nesse período. 
O militante Douglas Belchior, do movimento Uneafro Brasil, assinala que as tentativas de redução da idade penal têm como antecedente histórico o contexto da luta de classes no Brasil.

"A elite [brasileira] não tem um projeto de país. Ela entrega nossas riquezas, em todas as suas dimensões, pra interesses externos, em troca de regalias, em troca de uma boa vida e, em nome disso, entrega a vida da sua população. Entrega, sob a égide da opressão, a vida daqueles que produzem a sua riqueza", analisa.

Segundo levantamento do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) feito em 2017, 55% da população carcerária do Brasil são formados por jovens que têm entre 18 e 29 anos. Do total de presos, 64% são negros. Douglas Belchior aponta que uma eventual modificação da maioridade penal tenderia a mirar ainda mais esses dois segmentos da população.

"É um projeto genocida. É a continuidade do projeto genocida do Estado brasileiro, hoje super representado por esse grupo que está no poder", critica.
Diante das estatísticas, a militante Jessy Dayane, do Levante Popular da Juventude, defende uma inversão de prioridades por parte do Estado, com maior investimento em políticas públicas voltadas para o segmento e menor incentivo à lógica punitivista.

"A saída para a juventude é ampliar as possibilidades, e não apresentar o encarceramento como uma solução", finaliza.


As informações são da repórter  Cristiane Sampaio
Edição de Mauro Ramos
Julião Amin participa de entrega de certificados do Programa Mais Qualificação da SETRES em Fernando Falcão
 
O Secretário de Estado de Trabalho e Economia Solidária, Julião Amin esteve na cidade de Fernando Falcão, onde na oportunidade fez a entrega de certificados aos alunos do Curso de Cultivo, Produção, Beneficiamento e Comercialização da Mandioca, do Programa Mais Qualificação para o Trabalho.

O Secretário de Estado de Trabalho e Economia Solidária, Julião Amin esteve na cidade de Fernando Falcão, onde na oportunidade fez a entrega de certificados aos alunos do Curso de...
O município de Fernando Falcão tem na cultura da mandioca um componente importante na matriz de sua economia. Ainda para contribuir mais com a cidade, a SETRES oferecerá em breve os cursos de Doces e Compotas e o de Mecânica e Manutenção de Motos.

O município de Fernando Falcão tem na cultura da mandioca um componente importante na matriz de sua economia. Ainda para contribuir mais com a cidade, a SETRES oferecerá em breve os cursos de Doces e Compotas e o de Mecânica e Manutenção de Motos.

“Estou seguro de que essas iniciativas acarretarão relevante progresso à região”, afirmou Julião Amin.

Promotor do GAECO e a mulher são encontrados mortos no Rio 

O promotor do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) Marcus Vinicius da Costa Moraes Leite foi encontrado morto nesta terça-feira, 16, junto com a mulher, a também servidora do órgão Luciana Alves de Melo. Os corpos do promotor, que integrava o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do MP, e da mulher estavam no interior de um apartamento na Rua Coronel Paulo Malta, na Barra da Tijuca, bairro da zona oeste do Rio.

Casal foi vítima de projétil de arma de fogo

O promotor do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) Marcus Vinicius da Costa Moraes Leite foi encontrado morto nesta terça-feira, 16, junto com a mulher, a também servidora do órgão Luciana Alves de Melo.

De acordo com as primeiras informações do MP, o casal foi vítima de projétil de arma de fogo. A arma do crime foi encontrada no local, que não tinha indícios de invasão ou assalto. “A Polícia Civil acredita que os fatos ocorreram na madrugada de domingo para segunda, não sabendo determinar ainda as circunstâncias das mortes”, informou o MP.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018
O Sistema SAF esteve na manhã da última quarta-feira(10), no Povoado Ananás, pertencente ao município de Sambaíba. No local, o...

O Sistema SAF esteve na manhã da última quarta-feira(10), no Povoado Ananás, pertencente ao município de Sambaíba. No local, o secretário Adelmo Soares liderou a comitiva, junto com o prefeito da cidade, Dr. Santana para o início da perfuração de poço para melhorar o Sistema Simplificado de Abastecimento de Água da comunidade, que possuí 400 famílias.

IMG_2539
O secretário Adelmo Soares liderou a comitiva, junto com o prefeito da cidade, Dr. Santana para o início da perfuração de poço para melhorar o Sistema Simplificado de Abastecimento de Água da comunidade, que possuí 400 famílias.
No povoado, a população recebeu com muita alegria mais uma ação do Governo do Maranhão que, através da gestão do governador Flávio Dino, tem feito diversas ações em todo o estado para melhorar a vida das pessoas que mais precisam. Em Ananás, já houve a reforma do ginásio esportivo e entrega de ambulâncias.

Na ação estiveram  presentes, o superintendente de Reordenamento Agrário, Pedro Belo; o coordenador dos Escritórios Regionais da AGERP, Aldean Cavalcante; o superintendente de Articulação Política do Baixo Balsas, Félix Resplandes; o gestor regional da AGERP da região de Balsas, Aledecy Pereira; o vereador de Sambaíba, Pedrinho do Ananás; além de moradores do povoado.
Desfecho sangrento aconteceu durante a operação de captura de Óscar Pérez no oeste de Caracas
O piloto sobrevoou prédios do governo com um helicóptero roubado da polícia em junho do ano passa. 

Vários integrantes do grupo liderado pelo ex-policial Óscar Pérez morreram em um confronto com um coletivo – civis armados chavistas – e um comando da Força de Ações Especiais da Polícia Nacional, em que também morreram dois agentes e um militante chavista. Outros cinco membros do grupo foram presos em uma casa na região de El Junquito, no oeste de Caracas. As autoridades ainda não confirmaram o que aconteceu com Pérez, mas fontes extraoficiais afirmam que ele morreu na emboscada. Seu nome se tornou conhecido em junho, quando roubou um helicóptero da polícia e sobrevoou a sede do Supremo Tribunal de Justiça e do Ministério do Interior. Nunca, em 18 anos de chavismo, ocorreu algo parecido na Venezuela.

O ex-inspetor do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (Cicpc) transmitiu ao vivo através das redes sociais o encarniçado combate. “Não querem que nos entreguemos, literalmente querem nos assassinar. Acabaram de nos dizer”, disse em sua última gravação publicada no Instagram.

Imagem de um vídeo no Instagram publicado por Óscar Pérez na segunda-feira
Imagem de um vídeo no Instagram publicado por Óscar Pérez na segunda-feira.
Em um primeiro momento, Pérez indicou que estava negociando sua entrega com as autoridades, mas o desenlace foi sangrento. O Ministério das Relações Interiores, Justiça e Paz confirmou a morte de vários membros da organização liderada pelo rebelde, dois policiais e um militante do coletivo chavista Três Raízes. No confronto também ficaram “gravemente” feridos cinco oficiais e ocorreram cinco prisões. “Os terroristas, que estavam fortemente equipados com armamento de alto calibre, abriram fogo contra os funcionários encarregados de sua captura e tentaram explodir um veículo carregado de explosivos... nossas forças foram atacadas à traição pelo grupo quando estavam sendo negociadas as condições para sua entrega e prisão”, diz um comunicado.

O ex-policial havia se transformado em um objetivo do Governo da Venezuela desde 27 de junho, em meio à onda de protestos da oposição. Ele roubou um helicóptero para atacar com granadas e tiros a sede do Supremo Tribunal de Justiça, no centro de Caracas. Com uniforme de camuflagem, e às vezes armado, fez aparições surpresa em algumas manifestações antigovernamentais do ano passado. Isso o transformou em um dos homens mais procurados da Venezuela. Sua foto foi distribuída nos aeroportos do país, pedindo colaboração para sua captura.

O Governo também o acusa do ataque, em dezembro, a um destacamento militar em que supostamente roubou armamento. Pérez fez parte da equipe da brigada de ações especiais da polícia científica venezuelana e atuou no filme Muerte Suspendida, produzido pela instituição.

Ele e seus seguidores estavam entrincheirados em El Junquito, quando foram descobertos. Foi então que começou a se transmitir o sangrento combate que ficou registrado nas redes sociais. “Temos feridos e continuam atirando na gente! Vamos nos entregar, parem de atirar, aqui há civis! Não querem que nos entreguemos, querem nos assassinar. Estamos negociando nossa rendição”, diz Pérez no vídeo com o rosto coberto de sangue e um fuzil nas mãos.



Vários mortos na Venezuela em confronto entres as forças de Maduro e rebeldes armados

O Governo o acusou de terrorismo e de receber fundos dos Estados Unidos. Maduro, em sua mensagem anual na chavista Assembleia Constituinte, qualificou de “aterrorizantes” os supostos planos do grupo do ex-policial para “desestabilizar” o Governo nesse ano. “Qualquer pessoa que entrar no caminho do terrorismo terá uma resposta oportuna da Força Armada Nacional Bolivariana... Somos um Estado de Direito, de justiça, que respeita os direitos humanos... Há um império, uma oligarquia colombiana, que quer destruir esse país de qualquer forma”, afirmou.
Na sexta-feira, Pérez foi entrevistado na rede de televisão CNN, em espanhol. “A única ajuda monetária que temos é de familiares e amigos. Se Maduro fala (da intervenção de) Miami, fala especificamente de colaboradores que estão no exílio graças à perseguição criminosa do regime”, esclareceu sobre o financiamento de seu movimento autodenominado Equilíbrio Nacional pela Venezuela.

O Ministério das Relações Interiores e Justiça prometeu continuar com a perseguição aos “terroristas”. María Iris Valera, ministra de Serviços Penitenciários, exigiu a captura de Miguel Rodríguez Torres, ex-titular da pasta de Justiça e dissidente do chavismo, após acusá-lo de ser o mentor de Pérez.


As informações são dos repórter Maolis Castro  e Florantonia Singer, do El País

Edição de ANB
Nascida em um quilombo urbano de Teófilo Otoni, em Minas Gerais, Roseno faz ecoar de sua voz o canto negro

Música é sinônimo de resistência. Esse é o lema da cantora mineira Andreia Roseno, que perpetua nos palcos as cantigas populares que representam sua ancestralidade.

Nascida no quilombo urbano Margem da Linha, na cidade de Teófilo Otoni, Minas Gerais, ela faz ecoar de sua voz o canto negro, interpretando músicas de nomes como João do Vale e Clementina de Jesus.

Embalada desde os primeiros anos pelas canções entoadas no rádio e no quilombo onde nasceu, a artista conta que o samba sempre esteve presente em sua vida.

Durante todo o processo que moldou a expressão de sua voz, que segundo Roseno, teve seu momento decisivo quando ingressou na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM),  a artista diz que nunca pensou em fazer música somente pela música.

Andréia Roseno interpreta canções de Clementina de Jesus e do maranhense João do Vale.
"Eu cresci ouvindo música do rádio, que não necessariamente era música negra, mas o samba sempre me encantou. Fui me dando conta que, se um dia eu chegasse a cantar para além de expressar a voz falada, para eu cantar eu tinha que cantar essa música, essa música de resistência. Aí comecei a estudar a obra do João do Vale, da Clementina de Jesus e comecei a fazer esse processo", explica.

Sua musicalidade nos palcos vem da força de sua voz e nos toques de seu tambor. Tudo isso, conta Roseno, vem da força das mulheres negras e da ancestralidade que carrega.

"Esse processo da musicalidade preta, da resistência, as cantigas que a gente canta nas comunidades quilombolas, tudo isso vem das mulheres. Foram as mulheres negras que fizeram essa roda girar. A única coisa que a gente tem é a nossa ancestralidade e as mulheres são a simbologia maior dessa resistência. Porque foram elas que foram guardando todo esse saber e que foi repassando esse saber", como conta a cantora.

Roseno, que também é assistente social e Conselheira Municipal de Promoção da Igualdade Racial na cidade de Belo Horizonte, encontrou no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, o MST, um dos lugares para expressar sua musicalidade e também sua militância.

"Eu estou acompanhando o Movimento, canto no Movimento nos atos de rua. O MST sempre me afirmou enquanto artista. E sempre afirmou a minha negritude. O MST foi o movimento que valorizou isso, valorizou os tambores. Quando eu chegava e falava para a produção: 'Olha, eu só tenho minha música é a voz e a percussão'. Eles diziam: 'Não, vamos fazer, é isso mesmo'. Isso é um incentivo muito grande", acrescenta.

Acompanhada apenas de um tambor e sua voz, a artista divide o palco com os ensaios do bloco de carnaval Afoxé Bandarerê. Ela reafirma que a inspiração para seu ofício de cantora ainda é a mesma: o compositor maranhense João do Vale. As apresentações feitas por Andréia Roseno estão disponíveis no Youtube.


As informações são do repórter José Eduardo Bernardes
Edição de Anelize Moreira
Uma licitação para coleta de lixo no valor de R$ 29,4 milhões pela Prefeitura de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís, está sob suspeita
Por uma série de ilegalidades e a constatação dos indícios de direcionamento, o secretário Hilário Ferreira Filho, titular da Secretaria Municipal de Recuperação e Manutenção da Mala Viária, Prédios e Logradouros Públicos, acabou...
Resultado de imagem para LUIS FERNANDO SILVA EUDES SAMPAIO
R$ 29,4 MILHÕES O cheiro da corrupção começou a exalar desde o anúncio de ‘classificação’ da empresa. 
Uma licitação para coleta de lixo no valor de R$ 29,4 milhões pela Prefeitura de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís, está sob suspeita. Muito indício de irregularidade, segundo apurou o blog, acabou sendo jogado debaixo do tapete do gabinete do prefeito Luís Fernando Silva (PSDB). Apesar disso, o cheiro da corrupção começou a exalar desde o anúncio de ‘classificação’ da empresa Ciano Soluções Ambientais Ltda., suspeita de integrar a denominada Máfia do Lixo em Alagoas, onde fica a sede da firma.

De acordo com informações, os procedimentos para lá de suspeitos adotados na escolha da prestadora do serviço de coleta da cidade mostram, no mínimo, uma negligência do Executivo municipal. A confusão começa na primeira tentativa de realizar Pregão 016/2017, em abril do ano passado. Por uma série de ilegalidades e a constatação dos indícios de direcionamento, o secretário Hilário Ferreira Filho, titular da Secretaria Municipal de Recuperação e Manutenção da Mala Viária, Prédios e Logradouros Públicos, acabou anulando o certame.

Secretário teria anulado licitação para beneficiar empresa suspeita de integrar Máfia do Lixo.
Depois da segunda tentativa de realizar o pregão, enfim, a prefeitura ribamarense resolveu anunciar a nova empresa de coleta de lixo, que deve começar a operar nos próximos dias. Com o resultado da proposta de preço, publicado no Diário Oficial do Município de quinta-feira, 11, o próximo passo é assinar o contrato com a empresa Ciano Soluções Ambientais LTDA – Solupel que vai faturar exatos R$ 29 milhões, 475 mil, 581 reais e 76 centavos. Ou seja, uma das propostas mais caras do Maranhão.

Editais de habilitação reforçam direcionamento de contrato do lixo.
Apesar de ter sua sede no estado alagoano, a Ciano que nasceu como Solupel, tem um filial na Rua Nossa Senhora da Vitoria, 25-A, Quadra 27, Altos do Turu III, em São José de Ribamar. O contrato tem duração de 12 meses, mas pode não durar muito tempo já que as suspeitas de direcionamento pode fazer o contrato cair na malha fina do TCE.

Filial da Ciano fica na Rua Nossa Senhora da Vitória no Alto Turu.

RECONSTRUINDO SUSPEITAS

O que levanta mais suspeitas ainda são os documentos apresentados pela empresa para participar da licitação. O blog teve acesso, por exemplo, a documentação fiscal da companhia. A firma tem algumas pendências fiscais e não poderia participar do certame já que estaria impedida de emitir certidões.



Além disso, o blog descobriu outras irregularidades envolvendo a Ciano. Uma delas é a sua situação cadastral, que, segundo consulta no Sistema Integrado de Informações Sobre Operações Interestaduais de Mercadoria e Serviço (Sintegra) consta com algumas ‘obrigações’, e, portanto, possui restrições para emissão de notas fiscais e, consequentemente, coloca em xeque o contrato firmado com a prefeitura ribamarense. O caso é considerado gravíssimo, mas esse é um assunto para outra matéria.



AS INFORMAÇÕES SÃO DO BLOG DO AM

EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE


Quinto maior diamante do mundo é encontrado na África

Trabalhadores da mina Letseng, em Lesoto, um pequeno país da África Austral, descobriram um tremendo de um diamante, classificado com 910 quilates. Com tamanho aproximado ao de duas bolas de golfe, a joia preciosa tem um valor estimado de US$ 40 milhões e é quinto maior diamante do mundo.

A pedra, descoberta em Lesoto, região sul da África, tem 910 quilates, é da cor D e um diamante Tipo IIa. Este tipo de diamante equivale de 1 a 2 por cento de todos os diamantes naturais, sem nenhum valor de impurezas como átomos nitrogênios. Os tipos IIa são geralmente sem cor, e são praticamente transparentes sob luz ultravioleta. Com 910 quilates, ele pesa 182 gramas. A mina Letseng é controlada pela Gem Diamonds, uma empresa britânica que administra um negócio global de mineração de diamantes.

“Desde que a Gem Diamonds adquiriu a mina Letseng em 2006, o local produziu alguns dos mais notórios diamantes do mundo, incluindo o Lesotho Promise, de 603 quilates. No entanto, este diamante de qualidade excepcional é o maior já extraído até hoje e mostra a inigualável qualidade da mina Letseng”, disse em um comunicado Clifford Elphick, presidente executivo da Gem Diamonds. “Este é um marco para todos os acionistas da Gem Diamonds, incluindo nossos funcionários, sócios e o governo de Lesoto, nosso parceiro na mina Letseng".

A mina Letseng é famosa por produzir grandes diamantes de alta qualidade. Em 2015, a Gem Diamonds vendeu uma pedra de 357 quilates por US$ 19,3 milhões.
A mina Letseng é famosa por produzir grandes diamantes de alta qualidade. Em 2015, a Gem Diamonds vendeu uma pedra de 357 quilates por US$ 19,3 milhões, e em 2006 a empresa descobriu a pedra Lesoto Promise de 603 quilates. A companhia não disse como venderá o diamante, nem quanto ele vale, mas a Bloomberg Quint reporta que a pedra preciosa pode valer US$ 40 milhões caso seja isenta de defeitos internos.

Este é o segundo de dois ótimos anúncios da empresa em menos de uma semana. A Gem Diamonds anunciou a descoberta de duas pedras de 117 e 110 quilates na semana – as ações da empresa subiram 18% depois que as descobertas se tornaram públicas.

Conforme apontado, este é o quinto maior diamante já descoberto. O maior, uma pedra de 3.106 quilates encontrada em Pretoria, na África do Sul, foi cortada em dois pedaços e inserida nas Joias da Coroa Britânica. Os outros três maiores diamantes do mundo são o diamante Lucara, com 1.109 quilates, o diamante Excelsior, com 995 quilates e o Serra Leoa, com 969 quilates.


As informações são do repórter George Dvorsky, do Gizmodo
Edição da Agência Baluarte
segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Justiça Federal no Rio manteve a suspensão da posse de Cristiane Brasil 

Com mais uma derrota no TRF (Tribunal Regional Federal) da 2ª Região, o presidente Michel Temer deve recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) para tentar garantir a posse da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o comando do Ministério do Trabalho.

Na decisão desta segunda-feira (15), o juiz federal Vladimir Vitovsky citou jurisprudência da corte superior para embasar a decisão de estabelecer a competência da 4ª Vara Federal de Niterói, que negou inicialmente a posse, para tratar do episódio.

Resultado de imagem para michel temer descabelado
REMANDO CONTRA A MARÉ O presidente Temer quer porque quer a caloteira Cristiane Brasil(imagem abaixo) como ministra; ele deve recorrer ao...
O argumento, contudo, será contestado pela AGU (Advocacia-Geral da União), para quem, no caso de uma ação popular, o próprio tribunal superior definiu em mais de uma decisão que a competência cabe ao primeiro a receber o caso, ou seja, à 1ª Vara Federal de Teresópolis.

A avaliação do Palácio do Planalto é de que o episódio foi "politizado" pela Justiça do Rio de Janeiro e que o STJ poderá fazer uma análise "menos contaminada" sobre a posse da parlamentar. A partir de quinta-feira (18), quem assumirá o plantão da corte superior será o vice-presidente Humberto Martins.

O recurso ao STJ é também uma maneira de evitar que o caso seja analisado pela presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia. Na semana passada, o presidente recebeu sinais de que a tendência da ministra é manter a suspensão da posse.
Resultado de imagem para CRISTIANE BRASIL

O Palácio do Planalto enviou um emissário para consultar auxiliares dela sobre a chance de sucesso de um recurso ao tribunal. Segundo a Folha apurou, a equipe da ministra indicou que ela poderia barrar a cerimônia ou remeter o caso ao plenário.

Como a Suprema Corte está em recesso até 1º de fevereiro, o impasse sobre a posse se estenderia e agravaria o desgaste do governo com o episódio.
Para a equipe do presidente, a relação de Temer com Cármen se deteriorou com o episódio em que a ministra suspendeu parte do indulto natalino concedido pelo governo, no fim do ano passado. 


As informações são do Notícias ao Minutos, com Folhapress
Edição da Agência Baluarte

A segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa no Maranhão aconteceu de forma diferenciada este ano, vacinando apenas o rebanho bovino e bubalino de 0 a 2 anos. De 1º de novembro a 12 de dezembro, foram imunizados 98,03% de todo o rebanho nesta faixa etária no Estado

A segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa no Maranhão aconteceu de forma diferenciada este ano, vacinando apenas o rebanho bovino e bubalino de 0 a 2 anos. De 1º de novembro a 12 de dezembro, foram imunizados 98,03% de todo o rebanho nesta faixa etária no Estado.
A porcentagem alcançada representa a vacinação de 2.694.489 bovinos e bubalinos com idade de 0 a 2 anos em 92.214 propriedades em todo o Estado. Além disso, o Maranhão conseguiu pelo terceiro ano consecutivo, manter os resultados acima de 98%. Antes de 2015, a cobertura máxima alcançada havia sido de 97% em 2011.

“Estes resultados revelam que o produtor maranhense está consciente da necessidade de proteger o seu rebanho, além de demonstrar o empreendedorismo no setor produtivo e do árduo trabalho que estamos desenvolvendo ao longo destes três anos de gestão. Nós agradecemos a todos os criadores do Maranhão e a toda a equipe da AGED que se empenhou para que alcançássemos esse resultado de 98,03% nesta segunda etapa de vacinação, mantendo pelo terceiro ano consecutivo elevados índices de cobertura vacinal.” Ressaltou o Presidente da AGED, Sebastião Anchieta.

vacinação
A mudança no regime de vacinação ocorreu devido uma solicitação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que alterou no começo do ano passado o regime de vacinação contra febre aftosa no estado.
A mudança no regime de vacinação ocorreu devido uma solicitação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que alterou no começo do ano passado o regime de vacinação contra febre aftosa no estado e nos outro oito que compõem a região Nordeste, que caminham para o estado livre de aftosa sem vacinação.

O secretário estadual de agricultura, pecuária e pesca, Marcio Honaiser ,destacou que “Ao longo dos três anos da gestão do governador Flávio Dino, temos mantido índices bem-sucedidos de vacinação, garantindo a sanidade e competitividade do gado maranhense. Além disso, medidas como revisões tributárias e o trabalho no Mais Produção na cadeia de carne e couro são incentivos importantes, assim como o concurso da Aged, que está de parabéns pelo índice”.

Unidades Regionais
 
Os grandes polos pecuaristas do estado, como Imperatriz e Açailândia, estão entre as Unidades Regionais da Aged/MA que mais vacinaram seu rebanho, com os índices vacinais de 99,57% e de 97,87% respectivamente. Já as regionais de Viana, Chapadinha e São Luís são outros grandes destaques, com o alcance dos índices de vacinação de 100%, 99,97% e 99,77% dos animais da região.

A cantora da banda The Cranberries, Dolores O'Riordan, morreu de maneira repentina em um hotel, em...
 
A cantora da banda The Cranberries, Dolores O'Riordan, morreu de maneira repentina em um hotel, em Londres, aos 46 anos.


Ainda não há detalhes sobre a causa do falecimento. Seu assessor apenas teria divulgado o fato de que a morte fora repentina e que a família da cantora estaria devastada com a notícia.

Resultado de imagem para A cantora da banda The Cranberries, Dolores O'Riordan
Vinha tocando ao lado de uma nova banda, chamada D.A.R.K..
Um comunicado da assessoria da cantora dizia:

Dolores vinha tocando ao lado de uma nova banda, chamada D.A.R.K..

Um comunicado da assessoria da cantora dizia:


A cantora irlandesa internacional, Dolores O'Riordan morreu hoje, de repente, em Londres. Ela tinha 46 anos".


A cantora da banda irlandesa The Cranberries estava em Londres para uma sessão de gravação. Ela ficou famosa nos anos 1990 quando a banda The Cranberries estourou nas rádios.



AS INFORMAÇÕES SÃO DO SPUTINIK BRASIL

EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE
domingo, 14 de janeiro de 2018
A cena se repete várias vezes ao dia: policiais militares montam barreiras em lugares distintos da cidade e iniciam as abordagens em ônibus que fazem linha em toda a região metropolitana de São Luís. De forma educada e clara, os policiais se...

A cena se repete várias vezes ao dia: policiais militares montam barreiras em lugares distintos da cidade e iniciam as abordagens em ônibus que fazem linha em toda a região metropolitana de São Luís. De forma educada e clara, os policiais se identificam aos passageiros, motoristas e cobradores e iniciam a abordagem. Trata-se da Operação Busca Implacável.

As ações fazem parte das estratégias da Secretaria de Estado de Segurança Pública, realizada com efetivo de todos os setores da Policia Militar – batalhões, motos, viaturas e cavalaria – para conter os índices de assaltos a coletivos na Grande São Luís.

Resultado de imagem para BUSCA IMPLACÁVEL FEZ MAIS DE 180 MIL ABORDAGENS NOS ÔNIBUS EM 2017
As ações fazem parte das estratégias da Secretaria de Estado de Segurança Pública, realizada com efetivo de todos os setores da Policia Militar – batalhões, motos, viaturas e cavalaria.
As 115 equipes da PM envolvidas na operação tem uma meta diária de pelo menos 20 coletivos por dia, totalizando 180 mil abordagens durante todo o ano de 2017.

Segundo o coordenador operacional do Gabinete do Comando Geral da PM, tenente-coronel Frederico Beltrão, as operações vão muito além de números, alcançando resultados muito mais expressivos na garantia da segurança da população.

“São aproximadamente 15 mil abordagens por mês. São revistas e apreensões, mas principalmente são inúmeros roubos a coletivos e assaltos a passageiros coibidos. Se a pessoa tiver a intenção de realizar algum delito dentro do coletivo, ela vai pensar duas vezes vendo a ação forte da polícia”, destaca o tenente-coronel Beltrão.

A Busca Implacável é realizada de acordo com o monitoramento das áreas mais vulneráveis como paradas em locais considerados de grande risco de assaltos e pontos finais de coletivos, promovendo ainda fiscalização com barreiras fixas em avenidas estratégicas de fluxo intenso e com histórico de registros de assaltos.

“Esse tipo de operação foca principalmente na prevenção dos assaltos. Vendo que a polícia não tem local definido para realizar as buscas, nem linhas especificas, os envolvidos se inibem, deixam de andar com armas e drogas”, afirma o coordenador.

Registro das operações

Resultado de imagem para BUSCA IMPLACÁVEL FEZ MAIS DE 180 MIL ABORDAGENS NOS ÔNIBUS EM 2017
A Busca Implacável é realizada de acordo com o monitoramento das áreas mais vulneráveis como paradas em locais considerados de grande risco de assaltos e pontos finais de coletivos, promovendo ainda fiscalização com barreiras fixas em avenidas estratégicas.
 O acesso aos ônibus é feito por meio de cartões magnéticos, elaborados em conjunto com a Segurança e a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes. A cada passagem dos policiais pelo aparelho instalado nos ônibus, as informações são enviadas automaticamente. E a partir daí é construído o relatório do dia de operação das equipes.

Mais operações

O tenente-coronel Frederico Beltrão também destaca que as abordagens a coletivos são realizadas por outras operações.

“Além da Busca Implacável, outras operações têm como objetivo a retirada de drogas e armas das ruas que acabam contemplando também as abordagens a coletivos, fazendo que o número real de abordagens a ônibus seja bem maior”, destaca Beltrão.

Maranhão Avante!

Pesquisar em ANB

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 9164 10 67

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB