terça-feira, 14 de julho de 2020

Em comparação a 2016, cerca de 5,6 milhões de brasileiros passaram a ser afetados

Em apenas 3 anos, a porcentagem da população brasileira afetada pela insegurança alimentar moderada e aguda aumentou 13%. Em 2016, o número de pessoas que ingeriam menos calorias do que o necessário para uma vida saudável era de 37,5 milhões no Brasil, e saltou para 43,1 milhões em 2019. 

Os dados foram apresentados nesta segunda-feira (13) pelo relatório O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2020" (State of Food Security and Nutrition - SOFI). O documento foi lançado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Programa Mundial de Alimentos (WFP) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo o mais completo estudo global sobre o tema. 

Segundo o relatório, cerca de 750 milhões, ou quase uma em cada dez pessoas no mundo, foram expostas a níveis graves de insegurança alimentar no ano passado. Já a insegurança alimentar moderada - que ocorre quando as pessoas são forçadas a reduzir a quantidade ou a qualidade dos alimentos -  afetou dois bilhões de pessoas no mesmo período. 
De olho em Grajaú: SECA NO MARANHÃO REVELA A MISERABILIDADE DO ...
Os dados foram apresentados nesta segunda-feira (13) pelo relatório State of Food Security and Nutrition - SOFI. 
O levantamento destaca ainda que cerca de 8,9% da população mundial, o equivalente a 690 milhões de pessoas, foi afetada pela fome em 2019. Houve um aumento de 10 milhões de pessoas nessa condição em nível global em apenas um ano. 

Somente na região da América Latina e Caribe, mais de 47 milhões foram atingidas pela fome ano passado. É também na mesma região que a insegurança alimentar aumenta rapidamente, crescendo de 22,9% em 2014 para 31,7% em 2019.

Anualmente, o documento faz um rastreamento do desempenho e trajetória dos países para alcançar a erradicação da fome global, uma das metas sustentáveis da Objetivos Sustentáveis da ONU para 2030.

Comida de verdade

O grande destaque do relatório neste ano é um alerta não só sobre a quantidade de comida ingerida mas também sobre a qualidade. Atualmente, uma dieta saudável, variada e com os nutrientes necessários é uma realidade inalcançável para 38% da população mundial, aproximadamente três bilhões de habitantes. Cerca de 104,2 milhões dessas pessoas vivem na América Latina e Caribe.

A constatação é clara: As dietas saudáveis são inacessíveis para os mais pobres. Os órgãos internacionais apontam que os alimentos saudáveis são, em média, cinco vezes mais caros do que alimentos industrializados. 

Na América Latina, o custo diário é de US$ 3,98 por pessoa, superior ao valor que uma pessoa abaixo da linha da pobreza poderia gastar - US$ 1,90 por dia. 

A verba necessária para arcar com uma dieta saudável também excede a despesa alimentar média na maioria dos países do chamado Sul Global. Aproximadamente  57% da população na África Subsaariana e no Sul da Ásia não têm acesso a alimentos adequados.

O documento ressalta ainda que as crianças são grandes afetadas pelo grave cenário da ausência de alimentação e oferta em má qualidade. Em 2019, 144 milhões de crianças abaixo de 5 anos foram atingidas pelo crescimento atrofiado, enquanto outras 38,3 milhões estavam com excesso de peso.

Lu Sudré
Edição de ANB 
Os alimentos foram apreendidos para posterior encaminhamento aos...

Um adolescente de 14 anos encontrou algo inusitado dentro do lanche que pediu por delivery na noite do último sábado (11). Ao morder uma esfirra, o garoto notou que havia o pedaço de um dedo humano dentro do alimento. A lanchonete foi fechada após o incidente.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), os policiais militares chegaram ao local quando alguns clientes se aglomeravam na frente do estabelecimento.

“No local estavam as vítimas nas imediações do comércio e relataram que haviam solicitado a esfirra fechada por delivery, e quando foram comer, se depararam com um dedo dentro do alimento.”
esfirra dedo humano
Ao morder, o garoto notou que havia o pedaço de um dedo
Os policiais militares informaram que conversaram por telefone com o dono do estabelecimento, que informou que “um dos funcionários havia decepado o dedo cortando calabresa, que procurou, mas não achou e foi encaminhado ao hospital.”

O caso foi registrado no 20º Distrito Policial (Água Fria), mas será investigado pelo 9º DP (Carandiru) como crime contra as relações do consumo, perigo para a vida ou saúde de outro, localização/apreensão de objeto e lesão corporal culposa.

O cozinheiro informou à polícia que sofreu o acidente no cortador de calabresa na quarta-feira (8) e que foi socorrido e levado para o Hospital do Servidor Público, de onde já recebeu alta e faz tratamento complementar em casa até o momento.

Ele afirmou ainda que chegou a procurar o pedaço do dedo na comida, no chão da cozinha e no equipamento usado para cortar a calabresa, mas não encontrou.
O dono do estabelecimento disse à polícia que o estabelecimento ficou fechado desde o ocorrido, voltando a funcionar na sexta-feira (10).

Os alimentos foram apreendidos para posterior encaminhamento aos peritos do Instituto de Criminalística. A parte do dedo encontrada na esfirra foi apreendida e levada para o Instituto de Medicina Legal. Uma equipe e de peritos foi ao estabelecimento para verificar as condições sanitárias da lanchonete.

Pragmatismo
Edição de ANB
segunda-feira, 13 de julho de 2020
A mineração ilegal já deixou marcas profundas nas terras Yanomami no início da década de 1990, quando aconteceu o...

A reserva Yanomami é um horizonte infinito de floresta virgem no interior de Roraima e do Amazonas, mas do céu são visíveis as feridas abertas pela corrida do ouro. Mineradores ilegais se espalharam pelo maior território indígena do Brasil e seus habitantes agora temem uma "espiral de conflito" e violência.

A preocupação está latente em algumas das aldeias mais remotas da reserva. Mais de 28 mil índios das etnias Yanomami e Yekuana vivem na região na fronteira com a Venezuela, na reserva que ocupa uma área do tamanho de Portugal.

Os yanomami estimam que existam mais de 20 mil garimpeiros ilegais na reserva, embora o governo do presidente Jair Bolsonaro estime esse número em apenas 3,5 mil.

Sua presença tornou-se sinônimo de violência, prostituição, doença, desmatamento e poluição, explicou Dario Kopenawa, vice-presidente da Hutukara Associação Yanomami (HAY) e filho de Davi Kopenawa, um dos mais antigos líderes indígenas do país à reportagem. 

"Estamos muito preocupados com os garimpos porque nossos rios estão contaminados e trazendo doenças", denunciou Eduardo Yekuana, que aos 67 anos é um dos líderes da vila de Waikás, às margens do rio Uraricoera.

A alguns quilômetros desta remota vila onde vivem cerca de 300 índios Yekuana, foi estabelecido um garimpo chamado "Tatuazão", que se tornou uma pequena vila ilegal no meio da maior floresta tropical do planeta.

Como a mineração devasta as terras dos índios - Outras PalavrasEm meio a pressões nacionais e internacionais, o governo brasileiro, defensor da exploração na Amazônia, comprometeu-se recentemente a...

Segundo os relatos, o novo coronavírus teria chegado à vila depois de um jovem Yekuana ser infectado após manter contato com os garimpeiros ilegais, os mesmos que, segundo os indígenas, contaminam seus rios com mercúrio e contribuem para a proliferação de velhas e novas doenças, como malária e coronavírus.

MEDO DE UM NOVO CICLO DE VIOLÊNCIA

A mineração ilegal já deixou marcas profundas nas terras Yanomami no início da década de 1990, quando aconteceu o chamado "Massacre de Haximu".

Os garimpeiros ilegais assassinaram 16 yanomamis, em um caso que a Justiça brasileira reconheceu como o primeiro genocídio da história do Brasil.

Os yanomamis agora temem um novo "ciclo de violência" em sua reserva, depois de um grupo de garimpeiros assassinar dois índios da comunidade Xaruna, localizada na fronteira com a Venezuela ao lado de um afluente do rio Uraricoera.

No entanto, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, que visitou recentemente as reservas em uma missão militar, afirmou que a morte dos dois indígenas pelas mãos de garimpeiros foi um "evento isolado".

Em meio a pressões nacionais e internacionais, o governo brasileiro, defensor da exploração na Amazônia, comprometeu-se recentemente a reabrir quatro bases da exploração etnoambiental.

Essas iniciativas funcionam como postos de controle e inspeções em terras indígenas e servem para avaliar a retirada de garimpeiros ilegais, embora sem terem especificado como.

ALÉM DO GARIMPO E DA COVID-19

Mas a centenas de quilômetros de Waikás, na região de Surucucu, não há sinais de "garimpo". Nem da Covid-19, embora todos tenham ouvido falar dessa doença desconhecida e temida, chamada de "Xawara" em seu idioma.

O principal flagelo dos habitantes desta comunidade é a desnutrição. Os yanomami vivem da caça e da pesca, atividades para as quais usam flechas e de uma agricultura ainda incipiente, que nem sempre é suficiente para atender às necessidades de uma comunidade cujos costumes para nós parecem ter parado no tempo.

"Não há rio, apenas riacho. Não há peixe grande. Há fome", lamentou João, nome que esse indígena de 53 anos adotou do "homem branco".

Também Ribamar, como muitos de seus "parentes", sofre de diarréia devido à contaminação da água.
"Na minha casa há doenças, há diarréia. A água está suja", disse, em uma visita a uma das bases que as Forças Armadas mantêm em Surucucu, em homenagem à histórica e temida presença de uma das cobras mais venenosas da América do Sul.

Cerca de 20 profissionais militares e da saúde se mudaram recentemente para lá em uma missão interministerial para reforçar os cuidados sanitários e levar suprimentos médicos, como máscaras, que a maioria dos indígenas viu e usou pela primeira vez com certa desconfiança.

Apesar do objetivo da missão ser combater a Covid-19, os índios aguardam ansiosamente a distribuição de cestas básicas, com óleo, sal, leite em pó e milho, uma de suas principais demandas.
A escassez de alimentos, contou um dos agentes de saúde que trabalha na região, deteriorou a saúde dos povos indígenas da região, e a maioria sofre de problemas simples, como desidratação por diarreia, dor de cabeça e dor de dente.

"Não existe medicamento sem comida", desabafou um agente de saúde que trabalha na região e que preferiu não se identificar.

A fome, disse, levou ao roubo de alimentos, que, junto com o "roubo" de mulheres, é uma das principais razões para conflitos internos entre os povos indígenas da reserva Yanomami.

Alba Santandreu
Edição de ANB
SÃO JOSÉ DE RIBAMAR ‘PEGANDO FOGO’
Júlio Matos trouxe para si a presença do ex-prefeito GC 
Zé Eudes não consegue se desvencilhar de antecessor

POR FERNANDO ATALLAIA
EDITOR DE ELEIÇÕES DA AGÊNCIA BALUARTE

Se para o pré-candidato Júlio Matos já estava difícil superar o sentimento de mudança que vem dominando o imaginário popular ribamarense em torno de um novo nome para o comando do Executivo, agora,  após ele anunciar que terá como apoiador o ex-prefeito Gil Cutrim, os ribamarenses ficaram de orelha em pé quanto à decisão do médico. A transferência de desgaste é inevitável. Matos, que já precisava superar gargalos e ausências históricas ligadas à sua trajetória em São José de Ribamar (por ser considerado um dos nomes da velha política), não mensurou as consequências da decisão.
· ANB Online·: SÃO JOSÉ DE RIBAMAR ELEIÇÕES 2020: JÚLIO MATOS ...

Ao lado de Júlio Matos e no mesmo compasso segue o vice-prefeito Zé Eudes que vai à reeleição daqui a quatro meses. O petebista não se desvencilhou da presença pesada de seu antecessor, Fernando Moura da Silva, tido na cidade como um traidor do ribamarense que apostou nele para por em prática os chamados Planeja. Moura desistiu da cidade, perdendo a pouca credibilidade que ainda lhe restava.

É dentro desse cenário que ambos, Júlio Matos e Zé Eudes, sofrem o mesmo revés buscado por eles de forma espontânea. A rejeição da dupla se aguçou na conjuntura atual há duas semanas: as quatro regiões do vasto município exigem deles e dos demais  pré-candidatos uma resposta à falta de transparência no Legislativo; propostas contra o saturado e ineficiente modelo de continuísmo na gestão pública, implantado em 2005, e uma forma acertada de não planejamento para o caos coletivo. Por fora,  tentam destoar de Zé Eudes e Júlio Matos, o presidente da Câmara ,  Manoel Albertin e o advogado Edson Junior.
Luis Fernando sai da cortina para tentar salvar Eudes Sampaio ...
TRANSFERÊNCIA DE DESGASTE Zé Eudes e Júlio Matos(imagem acima)  no mesmo compasso em São José de Ribamar: o primeiro, apoiado por FMS; o segundo, por GC. 
Albertin tem ojeriza à atualização do Portal de Transparência do Legislativo. Junior já foi vice de Júlio Matos na eleição passada.
Bares e restaurantes da Praia da Guia foram vistoriados, neste domingo (12)

Bares e restaurantes da Praia da Guia foram vistoriados, neste domingo (12), por equipes da Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Vigilância Sanitária Estadual, Polícia Militar, agentes do Procon e Corpo de Bombeiros. A ação de combate e prevenção à Covid-19 visa garantir o cumprimento dos decretos que regulamentam a retomada das atividades.

“O objetivo da ação foi verificar o cumprimento da portaria da Casa Civil que regulamenta o funcionamento dos bares e se eles estão respeitando cada uma das regras como o distanciamento das mesas, a higienização, o uso dos EPIs pelos funcionários, o controle de entrada para atender o limite de 50% da capacidade para evitar que a doença se dissemine”, afirmou João Nery Silva Costa, chefe de departamento do serviço de saúde da Vigilância Sanitária Estadual. 

“Acho importante esse diálogo e interação com quem tem comércio aqui, pois a gente entende a forma correta de trabalhar dentro do permitido. A gente trabalha para o público e ele merece respeito”, disse Alberto, proprietário de um dos estabelecimentos vistoriados. 
As fiscalizações têm o objetivo de verificar o cumprimento da Portaria nº 42, de autoria da Casa Civil do Maranhão, que estabelece regras para conter a disseminação da doença mesmo com a retomada das atividades.
Governo fiscaliza estabelecimentos e aglomeração de pessoas na Praia da Guia: a ação  visa garantir o cumprimento dos decretos que regulamentam a...
Segundo a portaria, durante a retomada dos serviços, bares, restaurantes e estabelecimentos similares devem dispensar guardanapos de papel devidamente protegidos ou embalados, assim como os de tecido que devem ser levados ao cliente após ele ter ocupado a mesa. Os espaços deverão ser higienizados sempre que outras pessoas precisarem usar, assim como será exigida a troca das toalhas sem a opção de reaproveitamento.

Durante a fiscalização, os agentes sanitários observaram os cardápios, se estavam adequados, produzidos em materiais de fácil limpeza, ou se disponibilizado de modo virtual para o rápido e fácil acesso do cliente. Se as mesas e cadeiras estavam respeitando a medida de dois metros de distanciamento, a disponibilização de álcool em gel para higienização das mãos, bem como pias para lavagem das mãos na entrada dos estabelecimentos. Outro aspecto verificado foi a ventilação dos estabelecimentos, que devem estar com janelas e portas abertas.

“É importante esse tipo de fiscalização e eu espero que a partir de agora passe a ser contínuo, pois é uma região que necessita”, afirmou Branco, proprietário de um bar e restaurante.
As equipes fiscalizaram ainda se havia aglomeração na orla da Praia da Guia, porém o acesso estava restrito e não havia público.

Interdições

Neste domingo, dois estabelecimentos foram interditados pelo descumprimento da portaria n° 42, sendo uma conveniência de posto de combustível na Cohab e um restaurante na Praia da Guia. Os dois foram autuados e interditados.

MATÉRIA ENVIADA PELA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO E ASSUNTOS POLÍTICOS DO GOVERNO DO MARANHÃO
A ação de ressarcimento foi ajuizada, inicialmente, pelo Município

O Ministério Público do Maranhão ajuizou, no último dia 6 de julho, um pedido de execução de sentença contra o ex-prefeito de Arari José Antonio Nunes Aguiar, conhecido como Mindubim, para que seja devolvido aos cofres públicos do município o valor de R$ 883.944,40. O gestor foi condenado pela prática de improbidade administrativa referente à não prestação de contas e à não demonstração de utilização dos recursos oriundos do Convênio nº 561/2005.

A sentença que o condenou transitou em julgado em 25 de setembro de 2019, portanto não cabe mais recurso. A ação de ressarcimento foi ajuizada, inicialmente, pelo Município de Arari, que não deu seguimento à execução, e o Ministério Público assumiu a titularidade da causa.

No pedido de cumprimento da sentença, a titular da Promotoria de Justiça de Arari, Patrícia Fernandes Gomes Costa Ferreira, requer que o montante a ser devolvido seja destinado ao Fundo Municipal de Saúde e aplicado em medidas de prevenção e combate à pandemia de Covid-19, no município.
MÃO PESADA Que seja devolvido aos cofres públicos o valor de R$ 883.944,40.  

Os valores atualizados, segundo os parâmetros estabelecidos na sentença, referem-se ao ressarcimento integral do dano ao erário (R$ 294.648,12) e multa civil (R$ 589.296,28).

Na ação de execução da sentença, o Ministério Público requer a intimação do réu para que efetue o pagamento dos valores devidos, na pessoa do seu advogado. Caso o ex-prefeito não cumpra a determinação no prazo de 15 dias, foi requerido o acréscimo de multa de 10% ao montante da condenação e posterior expedição de mandado de penhora e avaliação.

OUTRAS PENALIDADES

Na sentença que condenou o ex-prefeito de Arari, existem outras penalidades, como a perda da função pública, caso ainda a exerça; suspensão dos direitos políticos pelo período de oito anos; proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 05 (cinco) anos, contados do trânsito em julgado desta sentença.

Mp
Edição de Anb
''O Coronavírus está quebrando a nossa crença”, o luto imposto aos povos indígenas na pandemia

Aldeias restringem ou suspendem seus rituais fúnebres tradicionais enquanto pedem debate para conciliar particularidades culturais das etnias aos protocolos restritivos do Governo

Quando alguém do povo indígena Kuikuro morre no Alto do Xingu,  o corpo é pintado com desenhos ancestrais para poder partir para o mundo dos mortos. Há de se adorná-lo ―e abraçá-lo fortemente durante a despedida― como se o preparasse para uma festa. Pintar aquele que partiu é vesti-lo com a roupa dos antepassados, é dar-lhe os elementos para ser respeitado do outro lado. Mas desde que a epidemia do coronavírus começou a avançar sobre as aldeias ―já são mais de 8.000 infectados e 184 mortos no país,  segundo o Governo, e mais de 400 segundo a contabilidade da associação de povos originais―, grupos indígenas tiveram que suspender seus diversos rituais para tentar frear o contágio nos territórios. Com base em orientações da Organização Mundial da Saúde, o Brasil determina que mortos pela covid-19 sejam enterrados com caixão lacrado ou cremados, sem velório longo ou aglomeração, para evitar novos surtos. “Agora, quem morre não vai ser bonito no mundo dos mortos. O parente pode passar o resto da vida no outro mundo com vergonha”, diz o indígena Takumã Kuikuro. “O coronavírus está quebrando a nossa crença. Você não vê o morto, não pode pintar nem abraçar. Todo mundo tem que se afastar. Isso dói, está machucando a nossa espiritualidade”.
91 Melhores Ideias de índia | Mulheres indigenas, Indios ...
''Quem morre não vai ser bonito no mundo dos...''.  
Na aldeia Ipatse ―uma das 109 que acomodam pelo menos 16 etnias no Xingu e onde Takumã mora―, nem mesmo parentes que morreram por outras doenças no ano passado poderão ter seus ritos fúnebres concluídos agora. Lá, todos os anos os indígenas esperam o tempo de seca entre julho e agosto, quando a água do rio fica mais cristalina e facilita a pesca, para fazer a última homenagem aos líderes que faleceram no ano anterior. Preparam o peixe e comidas à base de mandioca para os dois dias do seu ritual mais importante, quando recebem centenas de parentes de outras aldeias.

Kuarup é a última cerimônia para chorar os mortos. Os participantes tocam flautas e chocalhos. Troncos de madeira são colocados no centro da aldeia para representar os líderes mortos, que são chamados para receberem, mais uma vez, as pinturas que lhe servirão de adorno no outro mundo. Durante horas, eles choram por quem morreu. Depois, é hora de alegrar o espírito do falecido. Os homens mais fortes da tribo lutam e mais cânticos são entoados. Quando o Kuarup termina, acaba também o luto. Mas a festa que aconteceria neste ano foi adiada para o ano que vem por conta da pandemia.

“Nosso luto vai continuar mais um ano. Não vamos poder fazer nosso último choro agora e vamos chorar ainda pelos que vão morrer por essa doença. É através do Kuarup que nossa alegria pode voltar. Mas cada vez mais aumenta a tristeza”, diz Takumã. No Xingu, ao menos 56 indígenas já contraíram a covid-19 e dois morreram, segundo o Governo. O avanço da epidemia sobre as aldeias, historicamente vulneráveis e submetidas a um sistema de saúde frágil, acendeu um alerta e vem alterando as cerimônias tradicionais entre vários povos, que têm adotado suas próprias medidas sanitárias e orientado a comunidade ―incluindo a suspensão ou restrição de rituais― para frear o contágio. Eles entendem o perigo de uma doença grave como esta, e para a qual ainda não há remédios, para a comunidade. Mas sabem também que precisam dos rituais para que tanto quem morreu quanto quem ficou possa seguir em frente.

BEATRIZ JUCÁ
EDIÇÃO DE ANB
Ribamarenses foram às redes denunciar, por mais uma vez, intenção política do Vice pré-candidato em promover-se à base do caos na Saúde

POR FERNANDO ATALLAIA
DIRETO DA REDAÇÃO

Causou embaraço  à percepção dos mais de 230 mil ribamarenses das quatro regiões a entrega de respiradores à gestão do vice-prefeito Zé Eudes(PTB), pelo presidente do seu partido, Pedro Lucas Fernandes. Os ribamarenses foram às redes e denunciaram, por mais uma vez, a intenção política do vice em oxigenar a pré-candidatura à custa da pandemia.
Respiradores SJR

Os ribamarenses, que denominaram os aparelhos de ‘respiradores eleitoreiros’, chamaram atenção para o fato de que o município já houvera recebido desde o início da crise sanitária em São José de Ribamar algumas dezenas de milhões de reais para o enfrentamento do surto, mas só agora os respiradores- que poderiam ter sido adquiridos bem antes-, chegam à cidade pela ‘via eleitoreira’.

Causando espécie  na população, os chamados ‘respiradores eleitoreiros’ foram comemorados por Zé Eudes num momento onde os munícipes  denunciam o aprofundamento das fissuras na Saúde da cidade. Médicos ameaçam paralisar os atendimentos há quatro dias por falta de pagamento à categoria. O vice-prefeito , no entanto, visivelmente abatido pela alta rejeição que contabiliza ao seu modo de administrar, ainda não explicou  o fascínio que tem pelo abandono instalado no Sistema de Saúde do município.
Eliziane Gama participa do ato de lançamento da pré-candidatura do ...
SÃO JOSÉ DE RIBAMAR BARGANHA-GURIJUBA? População foi às redes denunciar lance político do Vice  pré-candidato Zé Eudes, do PTB: acima imagem dos ‘respiradores eleitoreiros’, designação dada pelos ribamarenses. 
A revolta dos ribamarenses se deu pela ineficiência das medidas paliativas adotadas pela gestão do petebista em São José de Ribamar. Mas, mas ainda pela morosidade na aquisição de equipamentos e insumos que poderiam ter evitado dezenas de mortes registradas em tempo hábil nos bairros locais. Há cinco  meses, a  gestão de Zé Eudes já tinha em caixa receita suficiente para o enfrentamento do Coronavírus. A entrega por um deputado dos aparelhos seria, portanto,  desnecessária caso a gestão do vice optasse por não se omitir, utilizando os muitos recursos destinados à compra de respiradores para atender os milhares de desassistidos. 

O que não ocorreu. 
sábado, 11 de julho de 2020
Ex-secretário e pré-candidato a Vereador, Rommeu é um dos nomes de destaque para a Câmara de Vereadores
Ele segue fortalecendo o projeto político em nome da renovação

POR  FERNANDO ATALLAIA
EDITOR DE ELEIÇÕES DA AGÊNCIA BALUARTE
atallaia.baluarte@hotmail.com

Quando em maio de 2017 Rommeu Amin assumiu a titularidade da Secretaria Municipal de Desportos e Lazer (Semdel) da prefeitura de São Luís, no ano anterior ele  havia concorrido a uma das vagas da Câmara de Vereadores da capital maranhense. Obteve mais de 4 mil votos na ocasião.
Rommeo Amin assume a secretaria de esportes de São Luís nesta ...
EM NOME DA RENOVAÇÃO O ex-secretário de esportes e pré-candidato a Vereador de São Luís, Rommeu Amin: opção de qualidade ao Parlamento ludovicense, ele segue fortalecendo o projeto político. 
Passados três anos da eleição que o pôs no centro do debate pela renovação do Legislativo, o agora ex-secretário volta à cena da eleição de 2020 com a pré-candidatura ao Parlamento ludivocense apoiada por centenas de lideranças jovens e importantes nomes oriundos dos mais variados  seguimentos sociais de São Luís.

Atendendo a um pedido da população que vê nele compromisso com as causas do Esporte, Trabalho, Saúde, Cultura e  Juventude, Rommeu Amin segue fortalecendo a pré-candidatura e já dispara como uma das principais  opções  de qualidade àqueles que acreditam que o pleito deste ano representará um novo tempo para as comunidades da capital do estado.
quinta-feira, 9 de julho de 2020
Márcio Jerry reafirmou seu apoio à candidatura de Pinto, reforçando que o pedetista pode contar com o PCdoB em Ribamar

“Jota é um amigo que se lança a este desafio de disputar a Prefeitura da terceira mais populosa cidade maranhense. Vejo muita dedicação, responsabilidade e competência neste projeto e reafirmo aqui o nosso apoio”. 

O pré-candidato a prefeito de São José de Ribamar, Jota Pinto (PDT), realizou nesta quinta-feira (9) uma visita ao presidente do Diretório Estadual do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry. Ele fez questão de agradecer pessoalmente ao parlamentar o apoio do partido à sua candidatura na cidade balneária, oficializado em junho.

“É uma honra ter o apoio do PCdoB, que acredita no nosso projeto de tornar São José de Ribamar um município empreendedor e de oportunidades de trabalho para os ribamarenses. Nossa bandeira é trabalho, e contar com vocês dos diretórios estadual e municipal nos enche de ânimo para crescermos ainda mais”, afirmou Jota Pinto.
OFICIALIZADO EM JUNHO Ele fez questão de agradecer pessoalmente ao parlamentar o apoio do partido à sua...
O deputado Márcio Jerry reafirmou seu apoio à candidatura de Jota Pinto, reforçando que o pedetista pode contar com o PCdoB em Ribamar. “Jota é um amigo que se lança a este desafio de disputar a Prefeitura da terceira mais populosa cidade maranhense. Vejo muita dedicação, responsabilidade e competência neste projeto e reafirmo aqui o nosso apoio”, ressaltou Jerry.

Na oportunidade, ambos tiveram um diálogo produtivo a respeito de São José de Ribamar. Jota conversou sobre as prioridades que estão compondo o seu plano de gestão para o município.

Diretório Municipal

Há duas semanas, Jota Pinto havia visitado o Diretório Municipal do PCdoB em São José de Ribamar. Na oportunidade, foi recebido pelo seu presidente, professor Fábio Orlan. “Nós do PCdoB de Ribamar nos unimos a este projeto do PDT e vamos caminhar juntos com o Jota Pinto”, declarou Fábio Orlan.
FESTA EM SÃO JOSÉ DE RIBAMAR O deputado federal e presidente estadual do PCdoB, Márcio Jerry: “Jota é um amigo que se lança a este desafio de disputar a Prefeitura da terceira mais populosa cidade maranhense. Vejo muita dedicação, responsabilidade e competência neste projeto e reafirmo aqui o nosso apoio”. 
“Visitamos o Diretório Municipal do PCdoB para agradecer o apoio e confiança. Fomos muito bem recebidos e com entusiasmo. Será uma bela caminhada em prol dos ribamarenses”, concluiu Jota Pinto.
terça-feira, 7 de julho de 2020
Revitalizando a antiga cena de debates vividos no passado, a Sede do partido representará um centro de discussões em torno do desenvolvimento da terceira maior cidade do Maranhão

POR FERNANDO ATALLAIA
EDITOR DE ELEIÇÕES DA AGÊNCIA BALUARTE

 A inauguração da Sede do PDT de São José de Ribamar revitaliza a antiga cena de debates vividos no passado, quando líderes políticos faziam dos diretórios municipais espaço de discussão de questões relacionadas à cidade.
PDT confirma candidatura de Jota Pinto em São José de Ribamar ...
Revitalizando a antiga cena de debates vividos no passado, a Sede do partido representará um centro de discussões em torno do desenvolvimento da...
Acompanhando em tempo real as informações do pleito de 2020  fornecidas pela Agência Baluarte, os mais de 230 mil ribamarenses das quatro regiões sentiam, há anos, a ausência de um espaço que representasse um fórum de debates na Balneária.

A inauguração da Sede do PDT repara esta e outras lacunas.
domingo, 5 de julho de 2020
TODO ENFIADO? 

Segundo ela, o pagamento é em euro

A campeã do Miss Bumbum World Suzy Cortez afirmou em entrevista ao jornal Meia Hora que fatura mais de R$ 1 milhão por mês com seus ensaios de nu explícito. Segundo ela, o pagamento é em euro (o acesso aos brasileiros é bloqueado).
Notícias | Suzy Cortez arranca suspiros em ensaio sensual. VEJA ...
A Miss Bumbum Suzy Cortez: nudes milionários. 
“Cobro tudo em euro. Todas as minhas fotos são de nu explícito, faço sete ensaios por mês, mas eles gostam de uma coisa mais caseira também. A faixa etária do público é de 18 a 30 anos”, explicou a musa.

“Acho que essas relações virtuais são uma tendência, as pessoas estão sem tempo e online elas podem encontrar prazer e ter contato com a musa que desejam”, ressaltou ela.


A batalha continua
Flávio Dino 🇧🇷 (@FlavioDino) | Twitter

Por Flávio Dino

Prestes a completar quatro meses de forte enfrentamento à pandemia do coronavírus no Maranhão, vemos à frente um longo caminho a ser trilhado. É bem verdade que de mais longe viemos, com momentos muito difíceis, mas incansavelmente perseguimos o objetivo de preservar vidas, todos os dias. Hoje, após mais de 100 dias de combate, vemos um horizonte de estabilidade que nos traz esperança, mas que, ao mesmo tempo, nos alerta de quão importante é não baixar a guarda e avançar com coragem e equilíbrio.

Infelizmente, em grande parte do país o cenário é de preocupação e crescimentos exponenciais dos índices de contaminação em regiões recentemente consideradas imunes. Esta não é a realidade do coronavírus e isto tem ficado cada dia mais evidente. Enquanto não tivermos a vacina, é fundamental que as estratégias de enfrentamento sejam fortalecidas. Aqui no Maranhão, os rumos da batalha são definidos por dois pontos centrais: as medidas assistenciais e as regras sanitárias.

Temos mantido muita eficiência quanto à assistência hospitalar no Maranhão. Em face da ampliação que realizamos na rede estadual de saúde, hoje dispomos de oferta segura de leitos em todas as regiões maranhenses, tanto clínicos quanto de UTIs. Desde o início da pandemia, incrementamos em quase 600% a quantidade de leitos exclusivos para tratamento de Covid-19 no Maranhão, chegando a mais de 1600 leitos ativos atualmente. Ampliamos unidades existentes e aceleramos obras em andamento, de modo que chegamos a 13 novos espaços para atendimento especializado a casos de coronavírus, além de 11 ambulatórios, com uma malha interligada por UTI aérea e ambulâncias com UTI, para traslados de casos mais graves. Como legado, pela primeira vez na história, o Maranhão passa a ter hospitais de média e alta complexidade em todas as Regionais de Saúde.

Em outra vertente, tão importante quanto, é o cumprimento das regras sanitárias. Cabe ao poder público a edição das medidas legais, mas o dever de cumpri-las é de todos nós. É equivocada a sensação de que já vencemos o coronavírus e podemos retomar a normalidade de tudo. Pelo contrário, especialmente do ponto de vista nacional, que traz impactos ao Estado, estamos muito longe de vencer o coronavírus. Sublinho, portanto, que é imprescindível que todos obedeçamos as regras sanitárias vigentes.

Trilhando o caminho da efetiva conjugação de medidas assistenciais e observância das regras sanitárias, avançamos em conquistas importantes. A exemplo de sermos o estado com menor índice de contágio do país pela segunda semana consecutiva, conforme revela estudo conjunto da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), amplamente divulgado nos últimos dias. Também registramos o acerto da retomada gradativa das atividades comerciais e de serviços no Maranhão. Segundo dados do Ministério da Economia, o Maranhão foi o Estado que apresentou a menor redução de empregos formais em todo o Nordeste. Prova de que o equilíbrio coerente entre medidas sanitárias e a preservação da economia é possível.

Estamos em meio a um desafio gigantesco que mobiliza a todos nós. Reforço o agradecimento aos profissionais da saúde que nos ajudaram a chegar a esse momento de estabilidade e seguem na batalha para avançarmos no combate ao coronavírus. Com seriedade e compromisso seguiremos trabalhando até que a vitória chegue. Conto com o apoio de toda a sociedade maranhense para que com consciência, união, fé e esperança possamos perseverar, porque a batalha continua. Mas vamos vencer!

Flávio Dino é governador do Maranhão

quinta-feira, 2 de julho de 2020
Jota Pinto aponta avanços na Educação - Zeca Soares

Nota de esclarecimento

1 – Não tenho qualquer ingerência nas decisões internas do Partido da Mulher Brasileira (PMB).

2 – O apoio oficial à minha pré-candidatura a prefeito de São José de Ribamar pelo PMB foi amplamente divulgado pela presidente do Diretório Estadual, Efigênia Tavares, no mês passado, e me causou muita alegria por ser um grande reforço ao nosso projeto político e coletivo pelo município, assim como outros partidos que têm nos declarado apoio.

3 – O afastamento de qualquer dirigente municipal de um partido é uma decisão tomada pelo diretório estadual e não envolve terceiros. Tanto o afastamento do presidente municipal, quanto a nomeação do presidente interino foram decisões do diretório estadual do PMB, nada tendo a ver comigo.

4 – Esclareço que venho sofrendo ataques pessoais sem sentido e injustificados por parte do sr. Lindon Jolkson Araújo em redes sociais e blogs aos quais tenho silenciado. Espero que o bom senso prevaleça e cessem as ofensas para a continuação harmônica do processo democrático com vistas às eleições municipais em São José de Ribamar.

Jota Pinto
Pré-candidato a prefeito de São José de Ribamar

Vice-prefeito mantém ineptos nas redes para defendê-lo
Zé Eudes  acredita que ganhará as eleições em São José de Ribamar em três grupos de whatsApp

POR FERNANDO ATALLAIA
EDITOR DE ELEIÇÕES DA AGÊNCIA BALUARTE

O vice-prefeito de São José de Ribamar, Zé Eudes, do PTB, acredita que tem a eleição ganha em São José de Ribamar em três grupos de whatsApp, onde mantem ‘apoiadores’ despreparados para defendê-lo.

Contraproducente, os membros de um grupo participam dos dois outros  e  alternam-se entre si, discutindo  as mesmas defesas e, pontualmente, esbarrando em contradições, acusações mútuas e confusões. 
PTB lança pré-candidatura de Eudes à reeleição em Ribamar • Blog ...
O vice Zé Eudes: eleição ganha em três  grupos de...
É dentro desse ambiente atabalhoado que Zé Eudes mantém sua pré-candidatura em São José de Ribamar.