terça-feira, 22 de março de 2022

A data também traz à tona temas que são pouco discutidos no presente, mas que os cientistas já colocam como...

Neste 22 de março.
O Dia Mundial da Água comemorado neste 22 de março, é marcado por reflexões acerca do bom uso da água potável, despoluição dos mananciais e proteção das fontes no planeta.

No Maranhão, a data também traz à tona temas que são pouco discutidos no presente, mas que os cientistas já colocam como pautas recorrentes em um futuro próximo. A falta de recursos hídricos é um desses assuntos. 

Dentro dessas bacias estão ao menos nove rios, sendo a maioria de pequeno porte e que desaguam em...

De acordo com o professor e engenheiro sanitário e ambiental, Lúcio Macedo, em seu trabalho 'Gestão das águas no Maranhão', o estado possui hoje apenas 30% de água potável em suas bacias hidrográficas.

"O percentual de água potabilizável nas bacias hidrográficas dos rios Itapecuru, Mearim, Munin, Tocantins, Pindaré é de 30%. A poluição por esgotos e a cunha salina existentes nas bacias do Periá, Açailândia, Paruá e os rios da Ilha como o rio Anil, Bacanga, Pimenta, Calhau estão totalmente contaminados", afirma Lúcio, que também é professor pela UFMA e UEMA.

A falta de recursos hídricos é um desses assuntos. 

Dentro da Grande São Luís, a forte poluição no rio Paciência também é apontado como um agravante para o abastecimento dos moradores. A bacia do Paciência, por exemplo, ainda é usada para consumo dos moradores.
Anil, Bacanga, Tibiri, Paciência, Inhaúma, Praias, Santo Antonio, Estiva, Geniparana, Cachorros e Itaqui.
"Outro exemplo é o caso do rio Pericumã, que é ainda utilizado como manancial para a cidade de Pinheiro, mas sofre influência da baia de São Marcos", declara o pesquisador.

São Luís - Abastecimento ineficaz com recursos locais

Apesar de recorrente, a capital maranhense, segundo os especialistas, não deveria sofrer tanto com escassez de água, pois, mesmo com o atual número populacional, de mais de 1 milhão de pessoas, há na Ilha 11 bacias hidrográficas: Anil, Bacanga, Tibiri, Paciência, Inhaúma, Praias, Santo Antonio, Estiva, Geniparana, Cachorros e Itaqui.

Por outro lado, a poluição eliminou as possíveis alternativas que a população teria para o próprio abastecimento. 

Dentro dessas bacias estão ao menos nove rios, sendo a maioria de pequeno porte e que desaguam em diversas direções, abrangendo dunas e praias. Os maiores são o rio Anil, com 12.63km de extensão; e Bacanga com 233,84 km. 
Não deveria sofrer tanto com...
Para os pesquisadores, a urbanização desenfreada em São Luís sem um plano diretor ocasiona há anos um desequilíbrio no uso da água disponível na natureza. Por outro lado, a poluição eliminou as possíveis alternativas que a população teria para o próprio abastecimento. 
ADINIANDO Atualmente, não há sequer um rio completamente limpo na...

Atualmente, não há sequer um rio completamente limpo na capital maranhense.

G1

EDIÇÃO DE ANB

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

Pesquisar em ANB

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações: agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com

Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB