segunda-feira, 30 de setembro de 2019
Afirmação do ex-presidente pôs a esquerda em polvorosa

Em entrevista para um site esquerdista, o ex-presidente Lula, prestes a passar para o regime semiaberto, disse que só quer sair da prisão “com 100% de inocência” e que seria “um prazer” que Sergio Moro e Deltan Dallagnol pudessem entrar em seu lugar (na cadeia):
Resultado de imagem para LULA E MORO
Afirmação do ex-presidente pôs a esquerda em...
” … só saio daqui com 100% de inocência e o maior prazer seria sair daqui e o Moro entrar no meu lugar. Ele e o Dallagnol”, declarou ao site GGN no último sábado.

Lula, que ainda tem outros 6 processos no lombo, continua debochando da Justiça … o lavador de dinheiro conta com alguns ministros do STF, que provavelmente ‘devem algum favor’ a ele.

DB

Criada em 2017, a iniciativa desembarcou na cidade da região dos Lençóis e foi sucesso de público

Uma grande festa popular, recheada de cidadania e de prestação de serviços, marcou, no último sábado (28), a edição especial do projeto Saúde na Comunidade no município de Humberto de Campos.
Criada, em 2017, pelo vereador Genival Alves (PRTB), a iniciativa pioneira no estado e que é referência, na capital São Luís, em atendimento gratuito no setor da saúde básica, desembarcou na cidade da região dos Lençóis Maranhenses e foi sucesso de público.
Contando com o apoio da odontóloga e líder política, Gardênia Sabóia, o projeto atendeu milhares de pessoas na Carreta da Saúde (veículo climatizado, adaptado e que foi adquirido pelo próprio vereador) e nos pontos estratégicos instalados na Praça da Bíblia, na sede do município.
Foram disponibilizadas consultas médicas e odontológicas; aplicação de flúor; distribuição de medicamentos; vacinação, aferição da pressão arterial; testes médicos rápidos; preventivos; oficinas educativas para crianças; oficinas de beleza, dentre outros serviços.
Resultado de imagem para camara de vereadores de sao luis
A 24º edição do Saúde na Comunidade acontece no próximo sábado (05), no bairro do Cohatrac.
“A saúde pública em Humberto de Campos é precária demais. Este projeto nos trouxe vários serviços médicos gratuitos e de muita qualidade. Gostei muito e agradeço o vereador Genival e a Gardênia”, disse a dona-de-casa Domingas dos Santos, moradora do povoado Rampa, um dos mais populosos da cidade.
Para Ana Maria Sousa, que reside na sede do município, o Saúde na Comunidade ofereceu um novo ânimo à população de Humberto de Campos, mostrando que o agente público, quando quer, pode fazer muito pelo bem estar do povo.
“Tenho parentes em São Luís e eles já tinham me falado do projeto. Que o mesmo leva gratuitamente para os bairros serviços de saúde. Quando vi a Carreta aqui em Humberto de Campos, fui até o local e comprovei que o atendimento é muito bom. O vereador Genival está mostrando para todo o Maranhão que é possível fazer o bem para o povo”, comentou.
Gardênia Sabóia agradeceu a parceria do parlamentar e o comparecimento em massa da população humbertoense.
“Foi um dia histórico, maravilhoso, no qual pudemos fazer o bem para este povo que tanto sofre com a falta de ações do poder público municipal. Agradeço, de coração, o amigo Genival. E adianto que vou pedir para ele mais edições do projeto aqui em Humberto de Campos”.
Genival Alves disse ter ficado emocionado com as manifestações de carinho e apoio que recebeu. “Em São José de Ribamar, município situado na Grande Ilha, o clima também foi assim, de muita alegria e satisfação. Me enche de orgulho poder estar desenvolvendo uma ação que beneficia diretamente milhares de pessoas, principalmente as mais carentes”.
A 24º edição do Saúde na Comunidade acontece no próximo sábado (05), no bairro do Cohatrac.
Universidades e Institutos Federais receberão 58% dos recursos

O Ministério da Educação (MEC) destinará 58% dos recursos desbloqueados para recompor o orçamento das universidades e institutos federais, anunciou hoje (30), em Brasília, o ministro da Educação, Abraham Weintraub.
Os recursos, segundo o MEC, cobrirão despesas de custeio como gastos com água, energia elétrica, aquisição de materiais de consumo e outras prestações de serviço.
O anúncio do desbloqueio do orçamento foi feito no último dia 20 pelo Ministério da Economia. A liberação está prevista no decreto 10.028 publicado no Diário Oficial da União na última sexta-feira (27).
Resultado de imagem para abraham weintraud
Abraham Weintraub: "Estamos administrando uma situação crítica com qualidade técnica". 
Ao todo, o governo desbloqueou R$ 8, 3 bilhões do Orçamento deste ano. Entre os ministérios, o que teve maior liberação foi o da Educação, com R$ 1,99 bilhão.
Do total desbloqueado no MEC, as universidades receberão R$ 1,156 bilhão. Com isso, essas instituições, que tiveram, em média, 30% dos recursos discricionários bloqueados no início do ano, seguirão com 15% dessas verbas contingenciadas, segundo Weintraub.  
No início do mês, outros R$ 584 milhões foram disponibilizados às instituições. Com a liberação, seguem bloqueados no MEC R$ 3,8 bilhões.
“Tudo isso vem de recursos suados do pagador de imposto, de famílias que deixam de consumir para pagar”, disse o ministro da Educação. “Estamos administrando uma situação crítica com qualidade técnica”, explicou.

Demais recursos

Os demais recursos descontingenciados serão destinados à educação básica, concessão de bolsas de pós-graduação e realização de exames educacionais, de acordo com o MEC.
Para o Programa Nacional dos Livros Didáticos (PNLD), serão destinados R$ 290 milhões, o que, segundo o ministério, o que garante a continuidade do programa em 2020. Esse programa visa a compra e distribuição de livros didáticos para escolas públicas.
Outros R$ 270 milhões serão voltados para o pagamento de bolsas de estudo vigentes concedidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) receberá R$ 105 milhões para aplicação de exames e formulação de políticas educacionais.
Mariana Tokarnia
Edição da Agência Baluarte
SÃO JOSÉ DE RIBAMAR 'PEGANDO FOGO'
Cenário entra em afiada polarização que dá ao pré-candidato do  Patriotas todas as condições de propor uma unidade em torno da retomada do desenvolvimento em São José de Ribamar
Forças de continuísmo continuam atuar para manter regalias no seio da gestão que levou a cidade ao caos

POR FERNANDO ATALLAIA
EDITOR  DE ELEIÇÕES DA AGÊNCIA BALUARTE

Regalias, amadorismos, ações paliativo-inexpressivas e um grupo que quer a todo custo ainda se manter no Poder na terceira maior cidade do Maranhão.

Essa realidade caracteriza de ponta a ponta a gestão do prefeito de São José de Ribamar, Dr. Sampaio (PTB), mas abriu há exatas três semanas, uma perspectiva nova no cenário político-social da Balneária para o pleito de 2020.
BANEÁRIA 2020 Jota Pinto, do Patriotas, pode  lançar frente ampla pelo desenvolvimento de São José de Ribamar. 
Entre ensaios grotescos de pré-candidaturas de vereadores e a ameaça do passado voltar a gerir a Balneária, o pré-candidato do  Patriotas,  Jota Pinto, se credenciou no atual momento a ser o único nome da disputa com reais condições de lançar uma frente ampla em prol da retomada do desenvolvimento da cidade. Ao lado do atual prefeito, dois nomes tentam uma viabilidade ainda distante de ser alcançada, embora tenham pífias possibilidades de concorrer ao Executivo municipal no pleito vindouro.

Os ribamarenses tem pressa: pelas 137 comunidades locais a urgência pela implantação de projetos estruturais no município rege o debate público. Mesmo as conhecidas picuinhas partidárias já  vem sucumbindo diante da necessidade maior de se fazer frente ao abandono quase irreversível propiciado pela atual gestão.

No comando da cidade há 15 anos, e ao longo desse tempo  atuando com o apoio  irrestrito dos agora pré-candidatos da Câmara, as gestões do grupo dominante não resolveram os problemas vitais de São José de Ribamar. A cidade despencou num abismo  incongruente que não encontra paralelo em outras cidades do estado e vem sendo administrada de maneira ‘adolescente’, na atualidade, por cinco pseudosgestores do prefeito. 

É dentro desse contexto que uma frente ampla pode vir a ser lançada e apenas um nome é capaz de fazê-lo. 
domingo, 29 de setembro de 2019

IMPUNIDADE

Foram 1.940 assassinatos em 33 anos, com apenas 135 condenações entre mandantes e executores

Um levantamento da CPT (Comissão Pastoral da Terra), ligada à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), revela que apenas 117 dos 1.468 casos de assassinatos em conflitos de terra entre 1985 e 2018 foram avaliados por um juiz em alguma instância. Os conflitos, neste período, resultaram em 1.940 mortos. Porém, como mostram os dados, só 8% dos casos foram julgados em mais de três décadas.
Para o advogado da CPT, José Batista Afonso, um dos responsáveis pelo levantamento, o total de mortes nos conflitos por terra é subnotificado, porque na região amazônica, onde acontecem a maioria dos crimes, existem muitas áreas grandes e isoladas. 
 Em Eldorado do Carajás (PA), em 1996, foram 19 mortes e mais de 60 feridos, mas 142 policiais que participaram do massacre foram absolvidos - Créditos: Anistia Internacional
Em Eldorado do Carajás, em 1996, foram 19 mortes e mais de 60 feridos, mas 142 policiais que participaram do massacre foram absolvidos. 
Dos casos de assassinatos que tiveram algum registro, mas sem que a Justiça tenha chegado a condenação dos responsáveis, foram 724 crimes no Pará, o equivalente a 39% de todas as mortes do período, mas com apenas 22 julgamentos. Ou seja, o Pará julgou só 3% dos crimes no campo.
No dia 17 abril de 1996, aconteceu em Eldorado dos Carajás, também no Pará, o massacre que resultou na morte de 19 trabalhadores sem-terra e outros 60 feridos. O massacre teve repercussão internacional, porém, apenas dois policiais foram condenados, outros 142 militares que participaram da matança foram absolvidos. O governador do Estado e o secretário de segurança pública que autorizaram o massacre nunca foram processados.  
No Maranhão, o estudo do CPT apurou 168 mortes de agricultores no período, com apenas seis decisões judiciais (3,5%). Em Rondônia, na região Norte, a situação é similar a do Pará. Foram 153 mortes e dois julgamentos (1,3%).
Na Bahia, foram só dois julgamentos em 33 anos para um total de 130 assassinatos. 
O relatório conclui que 34 mandantes e 101 executores dos assassinatos foram condenados no Brasil. Por outro lado, 16 acusados de serem mandantes e 204 acusados de serem os executores foram absolvidos. 

BdF
Edição de ANB 

Principais Noticias do Governo do Maranhão

Edição 29/09/2019



-Hospital Regional Dr. Jackson Lago registrou mais de 2 milhões de procedimentos em 4 anos (https://bit.ly/2nsxtIP)

-Socioeducando da Funac se classifica para 2ª etapa da Olimpíada Brasileira de Matemática (https://bit.ly/2nqDOo8)

-Pacientes do Hospital de Câncer do Maranhão voltam a falar com ajuda de laringe eletrônica (https://bit.ly/2nJaARq)

-Crianças atendidas no CER Olho d’Água visitam Biblioteca Benedito Leite (https://bit.ly/2nJila0)

-No Dia Mundial Contra a Raiva, cães e gatos são beneficiados com ação no Parque do Rangedor (https://bit.ly/2mQsTUI)

-Governo entrega poço que beneficiará 80 famílias em Timbiras (https://bit.ly/2ok2YFj)


BOLETIM ENVIADO PELA SECRETARIA DA COMUNICAÇÃO SOCIAL E ASSUNTOS POLÍTICOS DO GOVERNO DO MARANHÃO

NO RIO 

Em carta encaminhada ao governador Wilson Witzel, ao presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Claudio de Mello Tavares, ao presidente da ALERJ, deputado André Luiz Ceciliano, e ao Procurador-Geral de Justiça, José Eduardo Ciotola Gussemn, a diretoria da Associação Brasileira de Imprensa – ABI pede a proteção do jornalista João Paulo Saconi, repórter da “Época”, e do influenciador digital Felipe Neto, ameaçados nas redes sociais.
As ameaças, como lembra a carta assinada pelo presidente da ABI, Paulo Jeronimo de Sousa e pelo vice-presidente, Cid Benjamin, que também preside a Comissão de Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos da entidade, são frutos do “tempo de intolerância e da repressão ao pensamento” ao qual se referiu recentemente o ministro Celso de Mello, decano do Na sua manifestação à jornalista Mônica Bérgamo em protesto contra a censura que se tentou impor na Bienal do Livro, o decano do STF, em oportuna manifestação, como ressaltam Pagê e Cid Benjamin, alertou que “um novo e sombrio tempo se anuncia: o tempo da intolerância, da repressão ao pensamento, da interdição ostensiva ao pluralismo de ideias e do repúdio ao princípio democrático!!!!”.
Resultado de imagem para ABI IMPRENSA
As ameaças, como lembra a carta assinada pelo presidente, Paulo Jeronimo de Sousa e pelo vice-presidente, Cid Benjamin, que também preside a Comissão de Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos da entidade, são frutos do “tempo de intolerância e da repressão ao pensamento”.
A diretoria da ABI entende que as ameaças feitas ao repórter de Época por conta de uma matéria publicada na revista – independentemente do juízo de valor que se faça dela – bem como os ataques ao influenciador digital em consequência de sua iniciativa de distribuir livros que seriam alvo de censura, não podem passar impunemente:
“Isto é inaceitável, independentemente de eventuais críticas que possam ser feitas à matéria assinada por João Saconi, e à ação de Felipe Neto”, diz a carta, alertando em seguida:
“Em uma sociedade democrática, na qual críticas e divergências precisam ser vistas com naturalidade ou, se for o caso, questionadas através do devido processo legal, tornam-se inaceitáveis tais práticas, com ameaças e incentivos à violência, muitas vezes desferidas de forma covarde por surgirem em redes sociais onde nem sempre os autores são identificados de forma clara e transparente”.
No documento, encaminhado na tarde de terça-feira (17/09), a ABI alerta que “o Rio de Janeiro, que já tem sido palco de cenas de violência, não pode permitir que surjam novas vítimas da intolerância”.
Após externar a preocupação da entidade com essas novas ameaças, a ABI “clama para que sejam tomadas providências, dentro de suas respectivas áreas de atuação, não apenas para garantir a integridade física de João Saconi e Felipe Neto, bem como providenciando a rápida identificação e responsabilização dos autores de tais ameaças”.
Entende a diretoria da ABI que as autoridades por ela procuradas podem e devem cuidar da segurança dos dois comunicadores, tal como de todos os cidadãos que estão dentro do território do Estado do Rio de Janeiro.
Mais ainda, espera que estas autoridades investiguem os fatos para chegarem nos responsáveis por tais ameaças, de formas a puni-los dentro do devido processo legal.

Discreto e grande conciliador político, o ex-vice-presidente de FHC por dois mandatos convive com Doença de Alzheimer

Marcado pela discrição e por seu físico alto e magro, o político pernambucano Marco Maciel, de 79 anos, teve seus caprichos exemplares e foi um sagaz articulador nos tempos em que tinha poder. Enquanto não estava no posto de chefe de Estado durante as viagens do presidente Fernando Henrique Cardoso, de quem foi vice por dois mandatos seguidos, preferia trabalhar em seu gabinete, no subsolo do Palácio do Planalto. Era uma forma figurada e literal de demonstrar que não queria fazer sombra para o chefe do Executivo. Se somados os dias alternados em que governou de fato naqueles oito anos de governo, ficou mais de um ano na Presidência. Fernando Henrique lhe dedicou espaço em seu “Diários da Presidência — 1995-1996”, lançado em 2015. Em suas 936 páginas, o ex-presidente cita seu vice 122 vezes. Considerado um coordenador político, recebia discretamente levas e levas de políticos em seu gabinete, aliviando o presidente de desgastes desnecessários.
Resultado de imagem para O DRAMA SILENCIOSO DE MARCO MACIEL
O DRAMA SILENCIOSO DE MARCO MACIEL Considerado um coordenador político, recebia discretamente levas e levas de políticos em seu gabinete, aliviando o...
Junto com Michel Temer, também de 79 anos, Marco Maciel é um dos ex-vice-presidentes brasileiros ainda vivos. Só que ao contrário do sucessor de Dilma, Maciel jamais rompeu com o titular do mandato, nem tentou ir além de suas atribuições. Visto como uma figura protocolar pelos detratores, seu verdadeiro papel foi de conciliador. Nesse ponto, pode ser considerado o vice ideal, algo raro na história republicana, principalmente após a redemocratização. Lembremos que Itamar rompeu com Collor, José Alencar foi peça decorativa de Lula e o atual de Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão, já derrapou com as palavras algumas vezes. Maciel primava pela lealdade e jamais foi duro com o superior hierárquico acomodado na cadeira presidencial.
Volta da democracia
O destino, no entanto, está sendo duro com Maciel. Acometido pelo Doença de Alzheimer, há cinco anos ele está afastado do convívio público e vive sob os cuidados de uma equipe de saúde coordenada por sua esposa, Ana Maria, de 78 anos, com quem está casado desde 1967. Os problemas de saúde vem se complicando. Sua condição não era segredo, porém se antes ele pouco falava e tinha lapsos de memória, agora está praticamente mudo e sequer caminha, necessitando de amparo em todos os momentos. Sua esposa veio a público em 21 de setembro, dia mundial da conscientização sobre esta grave e incurável doença neurodegenerativa que acomete principalmente idosos, sem fazer distinção de classe social. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), até 1,2 milhão de brasileiros sofrem desse mal. “As pessoas têm preconceito com o Alzheimer. Acham que a pessoa começa a falar um monte de bobagem e se desliga do mundo. Com meu marido não foi assim. Ele continua sendo o mesmo homem educado com todos”, disse Ana Maria ao jornal Correio Braziliense.
Após deixar seu cargo mais importante, Maciel seguiu na política até 2011, quando terminou o mandato de senador pelo DEM. Com 20 anos no Senado em dois períodos, sua derrota na última tentativa de reeleição foi como um prenúncio da doença. O que parecia uma depressão foi se agravando. O diagnóstico correto de nada adiantou, mas preparou a família. Até 2014, a doença pouco o afetava, mas Ana Maria conta que o marido não conseguia acompanhar conversas e não lembrava de fatos históricos. “Ele percebia o esquecimento e ficava constrangido. No fim de 2014, não quis mais sair [de casa], só para consultas e coisas corriqueiras”, conta a esposa. Como os cuidados especiais exigem o trabalho de uma equipe, o casal mudou do apartamento que possui em Brasília para uma casa alugada onde pudesse acomodar os cuidadores.
Diplomático, o maior feito de Maciel é praticamente desconhecido. A ele é creditada a capacidade de conter o explosivo senador Antônio Carlos Magalhães (PFL/DEM-BA), que presidiu a casa de 1997 a 2001. Ele também ajudou a dissipar o escândalo da pasta Rosa, que denunciava o financiamento ilegal de campanhas de aliados do governo. Seus críticos diziam que ele jamais se expunha. Durante os governos Sarney e Collor, o deputado Ulysses Guimarães (PMDB) afirmava que o senador Maciel era capaz de falar por horas sobre os assuntos mais complexos sem proferir nenhuma opinião ou se posicionar, mesmo sendo presidente do PFL. Não era de todo verdade. Egresso do movimento estudantil no início dos anos 60, entrou na Arena, partido de sustentação da ditadura militar, sendo eleito deputado estadual e federal. No ocaso dos militares, defendeu abertamente a volta da democracia e chegou a ser cogitado como alternativa civil à presidência do general João Figueiredo (1979-1985). Depois, Maciel rompeu com o PDS, sucessor da Arena, ajudando a criar o PFL, que se alinhou com Tancredo Neves contra Paulo Maluf na eleição indireta para suceder Figueiredo. Nessa época, era presidente da Câmara. Foi conservador, claro, mas nem de longe era omisso ou um mero cortesão político. É uma triste ironia que um mestre do diálogo esteja enclausurado no labirinto de sua mente deteriorada justo nesses tempos de tamanho embate político.
ANDRÉ VARGAS
EDIÇÃO DE ANB ONLINE
À PREFEITO DE PINHEIRO
Leonardo e Eliziane prometem fazer a ‘terra de Sarney’ entrar em ebulição no próximo dia 12

POR FERNANDO ATALLAIA
EDITOR DE ELEIÇÕES DA AGÊNCIA BALUARTE

O deputado estadual Leonardo Sá, ao lado da senadora Eliziane Gama, lança no próximo dia 12 sua pré-candidatura a Prefeito de Pinheiro ,  em evento que promete sacudir a cidade.
Resultado de imagem para leonardo sá e eliziane gama pinheiro
DIA 12 Num dos últimos levantamentos realizados, Leonardo bateu...
Num dos últimos levantamentos realizados, Leonardo bateu Luciano Genésio, atual prefeito, em todos os cenários. As disputa na ‘terra de Sarney’  vem sendo uma das mais tempestivas possíveis, com direito a boa dose de execração pública e  perseguição.
sábado, 28 de setembro de 2019

Presidente argentino tentará reverter reveses sofridos nas primárias


O presidente da Argentina, Mauricio Macri, iniciou neste sábado(28) a marcha #Sisepuede por 30 cidades do país, na qual anunciará medidas destinadas à classe média, como parte de uma estratégia para reverter a derrota sofrida em agosto nas eleições primárias. Macri é candidato à reeleição no pleito de 27 de outubro.

A primeira das mobilizações que Macri liderou até a eleição presidencial foi ontem, às 17h, em Barrancas de Belgrano, ao lado do chefe do governo de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta, e da cofundadora do Cambiemos e deputada nacional Elisa Carrió. O Cambiemos é uma coalizão formada pela Proposta Republicana (PRO), partido de Macri, a União Cívica Radical e a Aliança Cívica.
Resultado de imagem para MACRI
"A campanha presidencial que começa neste domingo (29)", escreveu ele, "será diferente de tudo o que vivemos até agora...''. 

Na marcha,o presidente pretende anunciar medidas de socorro para a classe média, pequenas e médias empresas (PMEs) e trabalhadores. "Haverá propostas para PMEs e emprego, e medidas relacionadas à redução de impostos não serão descartadas", disseram à Télam fontes do PRO.
Por meio de suas redes sociais, o presidente lançou hoje a primeira chamada aos eleitores do bairro de Belgrano, um dos redutos de seu partido. "A campanha presidencial que começa neste domingo (29)", escreveu ele, "será diferente de tudo o que vivemos até agora. Quero convidá-lo a fazer algo poderoso, influente, diferente, algo que possa influenciar a eleição, mas que precise de você de uma maneira indispensável", escreveu Macri.
AB
EDIÇÃO DE ANB ONLINE

O subprocurador da República Moacir Guimarães Morais entrou com 1 pedido no... 

O subprocurador da República Moacir Guimarães Morais entrou com 1 pedido no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) na 6ª feira (27.set.2019) para que o órgão investigue o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. A atitude vem após Janot divulgar que tinha planos de matar o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes e, depois, se suicidar.

Resultado de imagem para RODRIGO JANOT
Para Moacir Guimarães Morais, o ex-PGR Rodrigo Janot (foto) divulgou a história com a intenção de ter maior lucro em livro que será lançado nesta semana. 
Para Moacir, o fato de Janot ter ido à uma sessão do STF armado já justifica o instauramento da investigação. Com isso, o ex-PGR corre o risco de ter sua aposentadoria cassada. Leia a íntegra do requerimento.

“Será que o ex-procurador pode ir armado para o Supremo Tribunal Federal e, ainda mais, com a intenção de dar 1 tiro na cabeça de 1 ministro? Isso aí não fere o decoro? A cassação da aposentadoria pode se impor decorrente da apuração de fatos por este órgão externo ao MPF, razão pela qual o suplicante requer a juntada aos autos da matéria”, argumenta Moacir.
Resultado de imagem para GILMAR MENDES
A atitude vem após Janot divulgar que tinha planos de... 
Servidores do Ministério Público Federal, caso do ex-PGR, recebem, em média, R$ 17.904 ao se aposentarem.
sexta-feira, 27 de setembro de 2019
Em palestra na UFPR, em Curitiba, Ricardo Galvão disse também que Inpe ficou mais conhecido após ataques de Bolsonaro

Um auditório com estudantes e professores que sentaram no chão devido a superlotação da palestra do ex-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) Ricardo Galvão, na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Como parte da programação do Seminário de Pós-graduação em Física, a palestra “O Inpe e o monitoramento dos Biomas brasileiros”, aprofundou conhecimentos sobre o Instituto e levantou o debate sobre a divulgação dos dados referentes ao desmatamento na Amazônia.

Uma das primeiras afirmações de Ricardo Galvão foi considerar que sua exoneração e todo debate sobre os dados do desmatamento da Amazônia, acabaram por fortalecer o Inpe. “Muitas pessoas me encontram na rua e dizem que não sabiam da existência do INPE e tudo o que ele faz. Os ataques do governo contra o Inpe, acabaram por fortalece-lo”, relatou.

O físico de 71 anos foi exonerado no dia 2 de agosto do comando do instituto que é responsável por realizar monitoramento e estudos, por exemplo, do desmatamento na Amazônia e outro biomas.  A exoneração aconteceu após a divulgação de dados de satélites do instituto que indicaram um aumento de 68% do desmatamento na primeira quinzena de julho em relação ao mesmo período do ano anterior. Bolsonaro desferiu críticas ao diretor e chegou a dizer que Galvão estaria a "serviço de alguma ONG".
Resultado de imagem para (Inpe) Ricardo Galvão,
Galvão considerou que sua exoneração, e todo debate sobre os dados do desmatamento da Amazônia, acabaram por fortalecer o Inpe. 

Na palestra desta quinta, o cientista apresentou as inúmeras funções e atividades desenvolvidas pelo Inpe, além de cientistas e diretores premiados por seus trabalhos. “A ciência brasileira ainda é encastelada e pouco conhecida da população. A imprensa não trata do que fazemos nos governos. Isso ficou claro quando, após essa polêmica toda, percebemos que a sociedade desconhecia nosso trabalho e a obrigação que temos em divulgar dados”, afirmou.

Sobre a divulgação dos dados a respeito do desmatamento da Amazônia, ele explicou tratar-se de um das tarefas  corriqueiras do Instituto. “A regulamentação que determina a divulgação dos dados para a população. O Plano de Dados Abertos obriga toda instituição pública dar publicidade aos dados”, explicou.  

O ex-diretor destacou que o mais preocupante foi que o governo brasileiro foi alertado e não tomou atitude: “Em janeiro foram 1.300 alertas de desmatamento e nenhum movimento feito pelo Ibama. Em julho, foram 1.800 alertas e nada foi feito”, contou.

“Foram 15 alertas por dia de abril a julho, sem nenhuma providência tomada pelo governo”, concluiu, afirmando também que uma das grandes causas do desmatamento são os discursos antiambientalistas do presidente. “As ameaças e as liberações do governo fragilizaram as inspeções, por exemplo, que deviam ser feitas pelo Ibama”, assinalou.

Por fim, Galvão considerou que a polêmica em torno de sua exoneração só fez crescer a importância do debate amplo na sociedade sobre a produção da ciência brasileira. “Tenho visto muita gente reconhecendo que quando se trata de questões científicas, não existe autoridade acima da soberania da ciência,” disse.

O cientista aplaudido de pé  encerrou dizendo que continuará perseguindo o objetivo de fazer com que a sociedade não seja iludida e venha lutar junto. “É preciso, por exemplo, conscientizar a todos que apagar o fogo das queimadas é apagar o efeito. O que é preciso urgentemente é combater o desmatamento. Por isso, é preciso cobrar que o monitoramento seja feito e que os dados levem o governo a ação”, asseverou.

Ana Carolina Caldas
Edição de Rodrigo Chagas

Principais Notícias do Governo do Maranhão

Edição 26/09/2019


-Maranhão é o 2º Estado que mais criou empregos no Nordeste em 2019

 (https://bit.ly/2lqBRY7)

-Vice-governador Carlos Brandão abre a programação do workshop sobre Cadeia Produtiva do Pescado

 (https://bit.ly/2mYSPxg)

-Governo entrega complexo esportivo do Centro Educa Mais Barjonas Lobão completamente reformado 

(https://bit.ly/2m57Eyd)

-Porto do Itaqui é destaque em ocupação feminina

 (https://bit.ly/2mWeeXT)

-Governo do Estado realiza Dia D de combate às queimadas reunindo gestão e comunidades 

(https://bit.ly/2nCCkr1)

-Ações do Governo do Maranhão para redução da mortalidade materna e infantil são destaque em reunião em Brasília

 (https://bit.ly/2lWBvJh)

-Profissionais da rede estadual de saúde participam de capacitação para prevenção e controle do sarampo 

(https://bit.ly/2n0wnE5)

-Maternidade Humberto Coutinho completa um ano com mais de 1.600 partos realizados 

(https://bit.ly/2lWEqBJ)

-Procurador-Geral do Estado receberá condecoração da Justiça Eleitoral

 (https://bit.ly/2m4XPQP)

-Servidor da Transparência tem artigo científico premiado no XXII Encontro Maranhense de Administração

 (https://bit.ly/2mZ2OCK)

-Zeca Baleiro apresenta show infantil neste fim de semana no Teatro Arthur Azevedo


-Governo inicia capacitação do novo Catálogo de Materiais e Serviços do Estado 

(https://bit.ly/2lwf3q8

-Semana Nacional do Trânsito: Detran-MA realiza palestra para funcionários da TVN 

(https://bit.ly/2m6tvFw)

-Praça Viva Cidade Operária será revitalizada pelo Governo do Estado

 (https://bit.ly/2m88rye)

-Secretários de Turismo do Nordeste se reúnem para fortalecer seus atrativos turísticos 

(https://bit.ly/2nxFPih)

-Setur oferece cursos de qualificação para empreendimentos da área litorânea de São Luís 

(https://bit.ly/2lpseJe)

-MOB entrega nova linha semiurbana para comunidade Village dos Pássaros 

(https://bit.ly/2m8SuYP)

-Governo orienta revendedores de combustível sobre prevenção da contaminação por benzeno 

(https://bit.ly/2m8Oqrx)

-Governo e Prefeituras discutem desenvolvimento de projeto em favor dos Catadores do Maranhão 



BOLETIM ENVIADO PELA SECRETARIA DA COMUNICAÇÃO SOCIAL E ASSUNTOS POLÍTICOS DO GOVERNO DO MARANHÃO

quinta-feira, 26 de setembro de 2019
Dr. Sampaio manda embargar evento apoiado pelo seu principal concorrente
Ribamarenses reagem à truculência pelas quatro regiões da cidade
Artistas locais, bandas, grupos de reggae e produtores culturais  são  prejudicados pela Prefeitura

POR FERNANDO ATALLAIA
EDITOR-CHEFE DA AGÊNCIA BALUARTE

230 mil ribamarenses seguem revoltados desde a tarde desta terça-feira(24), por terem sido inviabilizados pelo prefeito de São José de Ribamar, Dr. Sampaio (PTB), de participar de um  evento cultural que reuniria grandes nomes do segmento musical de reconhecida qualidade artística . Seria a primeira vez, em 15 anos, que os munícipes teriam, de fato, acesso a uma manifestação cultural com prerrogativas estéticas.

Após matéria da Agencia Baluarte ( veja aqui  http://www.agenciadenoticiasbaluarte.com.br/2019/09/sao-jose-de-ribamar-pegando-fogo.html), fontes ligadas ao prefeito informaram a ANB, que Fernando Moura da Silva chamara Dr. Sampaio na ‘catraca’ e a ordem foi uma só: abortar, usando quaisquer expedientes, desculpas ou pretextos, o evento aguardado pela população ribamarense há uma semana.
Tropa de choque no local do evento: ribamarenses temem pela democracia na terceira maior cidade do Maranhão. 

Policiais foram destacados em tropa para o local onde o encontro dos artistas seria realizado e, às expensas     da legitimidade  funcional, impediram que o movimento em torno da arte acontecesse  na cidade. Pré-candidato a Prefeito de São José de Ribamar, Jota Pinto, um dos apoiadores do evento,  comentou a ação da Prefeitura  a quem chamou de ‘’pequeneza lamentável’’.

“Fizemos uma programação especialmente pensada na comunidade, com artistas locais, valorizando a arte e cultura ribamarense. É inaceitável o que ocorreu, o prefeito Eudes Sampaio mandar a polícia impedir as pessoas de comemorar a própria festa. É um ataque à alegria do povo de Ribamar. É uma pequeneza lamentável”, disse.
pré-candidato a Prefeito de São José de Ribamar, Jota Pinto: “Fizemos uma programação especialmente pensada na comunidade, com artistas locais, valorizando a arte e cultura ribamarense...''.

Tutor político de Dr. Sampaio, Fernando Moura da Silva sabe que a única maneira de demolir a ele e a Sampaio é apresentando em São José de Ribamar  algo que tenha originalidade, essência. Enquanto quatro  bajuladores oficiais  acupinchados pelo prefeito  divulgavam em nome da gestão  atrações que vem alienando as comunidades locais  no formato ‘pão e circo’ há  quase 20 anos, do outro lado uma trupe com vasta contribuição à cultura do Maranhão era cerceada por  querer levar aos ribamarenses  uma manifestação comum  a todos na terceira maior cidade do Maranhão: o Reggae é o principal ritmo nas casas e residências das famílias do  município.

Ditadura e Perseguição- A ação foi tórrida. Com direito a ranços de mandonismo, imposição, e, sobretudo constrangimento. São José de Ribamar vive sob essas rédeas desde 2005 quando Fernando Moura da Silva e seu vitalício assessor agora prefeito, naquela época ainda chamado de Eudes Sampaio, atracaram no município.  Ambos  tratam a Balneária   como quintal de suas casas e se sentem os donos da cidade.
Resultado de imagem para sao jose de ribamar eudes sampaio
24 DE SETEMBRO DE 2019 O prefeito da Balneária, Dr. Sampaio: ação de perseguição a artistas entra para os anais da histórica de São José de Ribamar.



''Em 25 anos de carreira é a primeira vez que sou impedido de realizar um show. Olha, no começo do Reggae muitas vezes a polícia entrava nos clubes para revistar. Mas ao trazermos uma festa para a cidade, é o que a gente chama ‘a Babilônia continua em chamas’, isso é coisa da ‘Babilônia’, tentar barrar esse som. A gente ia começar essa caravana hoje e eu fiz inclusive uma música para a cidade: ‘São José, cidade balneária. São José, minha paixão”, desabafou o compositor Tadeu de Obatalá, um dos artistas prejudicados pela não realização do evento. 


‘Os Donos da Cidade’- O que era para ser o maior acontecimento  já realizado em solo ribamarense, por ocasião da data de emancipação, acabou deflagrando , por mais uma vez, o estilo sórdido do grupo que governa São José de Ribamar há quase duas décadas.

Após o impedimento do evento, governistas comemoram o boicote aos artistas chamando os produtores culturais  de ‘forasteiros’, como se a cidade a eles pertencesse. A mensagem de Dr. Sampaio foi clara e abre um precedente perigoso: ele não permitirá que a população tenha acesso a pluralidade cultural, politica e de pensamento e os que se insurgirem contra essa determinação estão passiveis de perseguição. 

Nas redes, os ribamarenses repudiaram o conhecido método governista classificando a ação  como Histórica sob o ponto de vista da perseguição politica em tempos modernos. Muitos deles usaram perfis  para denunciar ataque à democracia em são José de Ribamar.

O expoente do reggae do Maranhão, Tadeu de Obatalá:  ''Em 25 anos de carreira é a primeira vez que sou impedido de realizar um show''. 

‘’Vai entrar para a história. Eu  pensei que aquela  época quando  eles perseguiam as pessoas  já tinha passado. Mas eles continuam perseguindo, à luz do dia, os ribamarenses e os adversários políticos aqui em São José de Ribamar. A interdição desse evento é um mau exemplo que essa gestão dá pro restante do Maranhão e pro País. Saber que aqui em Ribamar a democracia é  frágil, que ainda existe esse tipo de prática covarde é um péssimo marketing da nossa cidade lá fora’’, avaliou  uma internauta.

Postagens mais visitadas

Pesquisar em ANB

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações: agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com

Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB