terça-feira, 21 de março de 2017

Prefeito Negão, Miranda do Norte e lideranças recebem senador Roberto Rocha


O senador Roberto, em visita a vários municípios maranhenses, esteve em

Miranda do Norte neste sábado, 18/03, ocasião em que foi recebido na

prefeitura municipal pelo prefeito Negão, o vice-prefeito Joubert Sergio

Marques, vereadores, secretários municipais e lideranças  do município.



Em reunião, foram  tratados diversos temas, entre eles investimentos na

área de água e esgoto, com agravo para o drama no abastecimento de água

deficitário vivido pela população, que se agrava com o crescimento da

cidade.

Roberto-Rocha1
O senador Roberto, em visita a vários municípios maranhenses, esteve em Miranda do Norte neste sábado, 18/03, ocasião em que foi recebido na prefeitura municipal pelo prefeito Negão, o vice-prefeito Joubert Sergio Marques, vereadores, secretários municipais e lideranças do município.


Roberto Rocha ouviu atentamente a solicitação das lideranças, informando ,

em seguida sobre a existência de recursos na Fundação Nacional de Saúde –

FUNASA, no valor de 16 milhões, e se prontificou a buscar soluções,

colocando o seu gabinete à disposição.



A vereadora Cristiane solicitou agendamento para reunião do senador com

representantes locais para tratar de mais questões de interesse da

população do município, ao que o senador prontamente  disponibilizou os

contatos do seu gabinete.
Graça Paz destaca seminário sobre a revitalização dos rios maranhenses

A deputada Graça Paz (PSL), na sessão desta segunda-feira, 20, destacou o seminário denominado “Revitalização dos Rios Maranhenses”, que será realizado no próximo dia 24, a partir das 9h, no auditório Alberto Abdalla, na FIEMA.  

O evento - que é de iniciativa do gabinete do senador Roberto Rocha e do Instituto Cidade Solidária - tem como objetivo principal discutir os graves problemas que estão ocorrendo com os rios maranhenses, como por exemplo, o assoreamento crescente; o lançamento de dejetos; o desmatamento, principalmente, de suas nascentes; do uso indiscriminado da água para a irrigação em grandes volumes sem o devido atendimento das exigências legais, ambientais e as normas da ANA - Agência Nacional de Águas. Além dos problemas que ainda precisam ser diagnosticados em todas as bacias hidrográficas.  

Graça Paz destaca seminário sobre a revitalização dos rios maranhenses
A deputada Graça Paz:
''Toda essa preocupação fundamenta-se na defesa intransigente do maior patrimônio do Maranhão que são suas águas, depois do seu povo. Assim, após receber o convite para participar desse importante evento em nosso Estado, senti-me obrigada, naturalmente, pela condição de representante do povo do Maranhão, neste Parlamento, a falar da importância do tema e exortar a todos os meus colegas aqui presentes para participarem desse momento ímpar de discussão do futuro daquilo que é vida para todos nós''.
Os correalizadores desse evento são: o Ministério do Meio Ambiente; a Agência Nacional de Águas (ANA) e o MEA - Movimento Ensinando e Aprendendo. Estarão presentes no seminário o senador Roberto Rocha; o Ministro do Meio Ambiente, deputado Sarney Filho; a presidente da CODEVASF, Kênia Marcelino; o presidente da ANA, Vicente Andreu; o Secretário Nacional de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental, Jair Vieira Tannus, bem como professores, autoridades da área e especialistas no assunto do Maranhão e de Brasília, os quais serão palestrantes e debatedores.

Emenda

Graça Paz enfatizou que visando solucionar a degradação dos rios maranhenses, o senador Roberto Rocha destinou Emenda Parlamentar no valor R$ 7,5 milhões, sendo R$ 2,5 milhões para a CODEVASF iniciar os estudos necessários para diagnosticar os problemas e R$ 5 milhões para a UEMA realizar o monitoramento dos rios, por meio de estações permanentes, inclusive buscando identificar as espécies de peixes em cada bacia começando pelo Rio Itapecuru e, posteriormente, o repovoamento das espécies.

“Toda essa preocupação fundamenta-se na defesa intransigente do maior patrimônio do Maranhão que são suas águas, depois do seu povo. Assim, após receber o convite para participar desse importante evento em nosso Estado, senti-me obrigada, naturalmente, pela condição de representante do povo do Maranhão, neste Parlamento, a falar da importância do tema e exortar a todos os meus colegas aqui presentes para participarem desse momento ímpar de discussão do futuro daquilo que é vida para todos nós”, acentuou Graça Paz.


AS INFORMAÇÕES SÃO DA AGÊNCIA ASSEMBLEIA
EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE 

PF investiga no MA grupo que colocava em risco sigilo de operações

Operação Turing foi deflagrada nesta manhã (21) em São Luís.

Cerca de 80 policiais cumprem 23 mandados judiciais.


A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira (21), em São Luís, a “Operação Turing”. A operação tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa composta por servidores públicos e particulares que causavam problemas as investigações da PF no Maranhão. 

Aproximadamente 80 policiais federais estão cumprindo 23 mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporária, quatro de condução coercitiva e 15 de busca e apreensão, em residências e locais de trabalho dos investigados. As ordens judiciais foram expedidas pela 2ª Vara da Justiça Federal, situada na capital.

Exoneração de Danilo (Foto: Reprodução/ Diário Oficial)
Exoneração de Danilo (Foto: Reprodução/ Diário Oficial)
Aproximadamente 80 policiais federais estão cumprindo 23 mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporária, quatro de condução coercitiva e 15 de busca e apreensão, em residências e locais de trabalho dos investigados. As ordens judiciais foram expedidas pela 2ª Vara da Justiça Federal, situada na capital.

Prisões
 
A Justiça Federal decretou a prisão temporária, pelo prazo de 5 dias de Danilo dos Santos Silva (ex-secretário de Inovação Penitenciaria da Seap) que foi exonerado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) no último dia 10 de março e dos blogueiros Luis Assis Cardoso Silva de Almeida, Luis Pablo Conceição Almeida e Hilton Ferreira Neto.
Outros cinco blogueiros foram conduzidos cercitivamente Antonio Marcelo Rodrigues da Silva, Yuri dos Santos Almeida, Marcelo Augusto Gomes Vieira, Antonio Martins Filho e Ezequiel Martins da Conceição.

A Justiça também determinou busca e apreensão nos endereços de utilizados por todos os representados.

Investigação
 
A investigação, iniciada em 2015, revelou que um policial federal revelava antecipadamente fatos sob sigilo de Justiça a blogueiros. Estes, por sua vez, ameaçavam funcionários públicos e empresários, e pediam valores em troca da não divulgação na mídia local dos fatos descobertos em desfavor deles.

Os investigados aproveitavam também a oportunidade para fugirem ou destruírem provas. Em troca, o servidor público conseguia publicações na imprensa em seu favor, permitindo sua inserção em cargos de confiança do Estado. Ele chegou a assumir a função de Secretário Adjunto da Administração, Logística e Inovação Penitenciária.

A PF apura ainda possíveis frustrações do caráter competitivo de licitações do sistema prisional, bem como eventuais desvios na execução de verbas públicas.

Operação Turing
 
O nome da operação é uma referência a Alan Turing, um cientista e matemático britânico responsável pelo desenvolvimento de uma máquina utilizada durante a Segunda Guerra Mundial, capaz de interceptar e decodificar dados criptografados transmitidos pela máquina Enigma. Por analogia, a investigação buscou desvendar, esclarecer os dados sigilosos praticados pelos investigados.


AS INFORMAÇÕES SÃO DO G1MA
EDIÇÃO DE ANB ONLINE
 

Deputado Raimundo Cutrim criticou a operação “Carne Fraca” feita pela Polícia Federal


O deputado Raimundo Cutrim (PCdoB) em sessão plenária criticou o resultado da operação “Carne Fraca” da Polícia Federal. E fez duras críticas ao Governo Federal.

“O presidente da República que é fraco demais, que não está comandando suas instituições. Eu, como delegado de Polícia Federal, tive a oportunidade de trabalhar no Brasil todo e tive a oportunidade de comandar as maiores operações da Polícia Federal no Brasil, e vejo hoje a Polícia Federal sem comando. Isto é perigoso para o Estado e para a instituição”, afirmou.

Deputado Raimundo Cutrim.
O deputado disse que a imprensa mostrou que o presidente da República não tinha conhecimento da operação, nem o Ministério da Agricultura assim como o ministro da Justiça. “Vejam bem a irresponsabilidade de jogar uma matéria dessas envolvendo 21 frigoríficos do Estado na imprensa nacional e mundial.
O deputado disse que a imprensa mostrou que o presidente da República não tinha conhecimento da operação, nem o Ministério da Agricultura assim como o ministro da Justiça. “Vejam bem a irresponsabilidade de jogar uma matéria dessas envolvendo 21 frigoríficos do Estado na imprensa nacional e mundial. A China já suspendeu a compra de carne, bem como a Coreia do Sul. A China compra 80% da carne produzida no Brasil, a Rússia e outros países”, informou.

Raimundo Cutrim afirmou que não é contra a apuração com vigor e profissionalismo dos fatos denunciados, mas contra a maneira como foi divulgado. “Hoje a nossa preocupação é que a Polícia Federal está, evidentemente, sem comando. Nós não podemos aceitar que uma operação dessa envergadura não seja dada ao conhecimento do diretor geral da Polícia Federal, não foi dado conhecimento ao ministro da Justiça e ao presidente da República”, enfatizou.

O deputado criticou também o modelo de financiamento das campanhas que afeta o país há muito tempo. “Essa Lava Jato está evoluindo e não vai acabar nunca porque desde que se instituiu a República, a corrupção vem de lá para cá. É um modelo político nosso que estamos acompanhando. Esta que passou não foi diferente das outras e com certeza as que virão serão também a mesma coisa se não tiver uma reforma que proíba tudo quanto é gasto político e que possa haver uma maneira de ter uma fiscalização mais concreta e mais objetiva”, garantiu.


AS INFORMAÇÕES SÃO DA AGÊNCIA ASSEMBLEIA
EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE 

Sinpol participa de manifestação contra Reforma da Previdência

Policiais civis, além de membros da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Associação da Polícia Técnico-Científica (APOTEC), Associação Maranhense de Escrivães (AMEPOL), Agentes de Trânsito e Agentes Penitenciários, realizaram ato contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que faz reformas na Previdência Social. A manifestação, coordenada pela União dos Policiais do Brasil (UPB) e Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (COBRAPOL), ocorreu na manhã dessa quarta-feira, dia 15, na entrada da Assembleia Legislativa do Maranhão, em São Luís. A mobilização foi simultânea em todos os estados.

Durante o movimento, as entidades classistas receberam o convite para participar de uma reunião na Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa. Com coletes e palavras de ordem, os manifestantes se deslocaram até a Sala das Comissões, local do encontro. Na oportunidade, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão (Sinpol/MA), Elton Neves, reforçou que a categoria está lutando para que as regras da PEC 287, submetidas aos policiais, sejam excluídas.  “A atividade policial, seja na rua ou dentro das unidades, é extremamente estressante, penosa e vai além das nossas próprias condições físicas. Esperamos que essa Casa possa fazer coro à essa questão, para reivindicar, junto ao Governo Federal e usar de todos os meios possíveis, de todo o alcance que, certamente, é maior do que o nosso, para que se possa impedir esse absurdo que querem fazer com a nossa classe”, disse.

O presidente do Sinpol, Elton Neves:"A Polícia Civil carece não só de uma melhora de efetivo. Nosso pleito perpassa, também, pela valorização da classe, visto que está muito longe de chegar ao ideal. Além disso, nós temos, na ativa, 2.178 policiais. Poderíamos ter o efetivo de 3.055, o que ainda é muito pouco. Ou seja, a quantidade de cargos que é disponível, que seria possível, ainda não atinge a necessidade. A sociedade sente na pele a falta de estrutura da Polícia Civil''.
A presidente da Apotec, Érica Brito, afirmou que a reforma, uma vez aprovada, ignora a atividade​ de risco dos profissionais de segurança pública. “Não há condições de visualizarmos um policial com 89 anos na rua, ou um perito criminal com 90 anos, em uma cena de crime. Precisamos de uma proposta consistente para a categoria de segurança pública”, ressaltou.

Atendendo aos anseios dos agentes de segurança, o presidente da Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa, deputado estadual Júnior Verde (PRB), propôs uma audiência com as instituições, com a participação de deputados estaduais, federais e senadores, com o objetivo de somar forças contra as medidas da reforma. “Nós, enquanto parlamentares, estamos preocupados quanto a garantia dos direitos. Não podemos admitir que haja a perda desses direitos”, comentou.
A sugestão foi acatada por todos. O encontro está previsto para ocorrer no dia 31 de março, às 9h, na Assembleia Legislativa do Maranhão.

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA REÚNE COM CATEGORIA

Também nessa quarta-feira, dia 15, a segurança pública do Maranhão foi debatida em reunião da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, em que participaram representantes do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol/MA), dos policiais e bombeiros militares e agentes penitenciários.

Na ocasião, o presidente do Sinpol, Elton Neves, expôs a situação específica da Polícia Civil, destacando o salário defasado da categoria, a estrutura precária das unidades, como prédios insalubres, e até falta de algemas, além do baixo efetivo policial. “A Polícia Civil carece não só de uma melhora de efetivo. Nosso pleito perpassa, também, pela valorização da classe, visto que está muito longe de chegar ao ideal. Além disso, nós temos, na ativa, 2.178 policiais. Poderíamos ter o efetivo de 3.055, o que ainda é muito pouco. Ou seja, a quantidade de cargos que é disponível, que seria possível, ainda não atinge a necessidade. A sociedade sente na pele a falta de estrutura da Polícia Civil”, declarou.

O presidente da Comissão de Segurança, deputado Júnior Verde (PRB), garantiu que a Comissão vai cumprir sua função de interlocutora e que as solicitações serão repassadas ao Governo do Estado. “Nós queremos dialogar. Precisamos ouvir as forças de segurança. Estamos falando da base. Os alicerces estão nas entidades representativas. Queremos tomar decisões acertadas. As decisões mais acertadas são provenientes dos entendimentos. Queremos chamar o governo para interagir com as classes, no sentido de buscar políticas públicas para fortalecer a segurança do estado”, ressaltou.
Participaram da reunião os deputados estaduais Levi Pontes (PCdoB), Cabo Campos (DEM) e Wellington do Curso (PP).

Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores