terça-feira, 21 de fevereiro de 2017
Sindicato dos Guardas cobra nomeação de Raimundo Pires, atual comandante da Guarda Municipal de São José de Ribamar
 
POR FERNANDO ATALLAIA

DIRETO DA REDAÇÃO


O Sindicato dos Guardas Municipais de São José de Ribamar-Sindguarda cobra que o atual Comandante da Guarda Municipal, Raimundo Pires seja nomeado pelo atual prefeito do município, Luis Fernando Silva(PSDB). A exigência consta no ofício 016/2017 endereçado ao chefe do Executivo. 


Segundo o Sindguarda, Pires vem exercendo as funções inerentes ao  cargo sem portaria de nomeação, o que afronta a Lei Federal 13022 de 2014.  O presidente do sindicato, que assina a exigência, explica que as deliberações do comandante para terem  legitimidade  e serem atendidas de forma legal pelos guardas ele deverá está nomeado pelo prefeito em publicação a ser feita no diário oficial. 

Resultado de imagem para mauro sergio correa sindguarda
Mauro Sérgio Correa, do Sindguarda: ''Desejamos que o novo comandante tenha sucesso na função que está desempenhando, mas dentro da legalidade. O Sindguarda exige que o prefeito Luis Fernando cumpra a  Lei, pois a categoria encontra-se insegura quanto às ordens emanadas do GCM Pires que se constituem ilegais''.
''Desejamos que o  comandante tenha sucesso na função que está desempenhando, mas dentro da legalidade. O Sindguarda exige que o prefeito Luis Fernando cumpra a Lei Federal 13022 de 2014, pois a categoria encontra-se insegura quanto às ordens emanadas do GCM Pires que se constituem ilegais'', disse Mauro Sérgio Correia.



A reportagem tentou contatar o prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva para obter maiores esclarecimentos sobre a questão, mas até o fechamento dessa matéria, não obteve êxito.



O Sindguarda informa que o comandante continua atuando sem nomeação e na ilegalidade. 

Em 5ª denúncia, Cabral é acusado de 148 crimes de lavagem de dinheiro

Na nova acusação apresentada pelo MPF, ex-governador e aliados teriam movimentado R$ 10 milhões.

Nesta terça-feira (21), o Ministério Público Federal no Rio apresentou a quinta denúncia contra o ex-governador Sérgio Cabral. Na nova acusação, Cabral e seu grupo são acusados de 148 crimes de lavagem ocorridos entre 30 de agosto de 2007 e 28 de setembro de 2015, e que somam R$ 10,17 milhões. O ex-governador já havia sido denunciado por 184 crimes de lavagem de dinheiro, envolvendo R$ 39 milhões.

Também foram denunciados por lavagem o ex-assessor da Casa Civil do Governo do Rio Ary Filho, e Carlos Miranda, apontado como um dos operadores financeiros do esquema. O ex-governador e seus aliados já são réus em três ações penais na Justiça Federal no Rio e em uma ação na Justiça Federal no Paraná.

Lava Jato: em 5ª denúncia, Cabral é acusado de 148 crimes de lavagem de dinheiro
Em 5ª denúncia, Cabral é acusado de 148 crimes de lavagem de dinheiro.
A nova denúncia do MPF é resultado da Operação Mascate. De acordo com as investigações, Cabral, Ary Filho e Carlos Miranda usavam três formas distintas para promover a lavagem: transferências bancárias de concessionárias de automóvel de um colaborador para a empresa GRALC/LRG Agropecuária, de propriedade de Carlos Miranda, com a justificativa de prestação de serviços de consultoria de fachada; compra de veículos para a organização criminosa pelas empresas de um colaborador; compra de imóveis da organização criminosa pela empresa de um colaborador.

A investigação teve como ponto de partida delação premiada na qual foram apresentadas provas de transações no valor de R$ 10,17 milhões, ocorridas entre 30 de agosto de 2007 e 28 de setembro de 2015. “Os conjuntos de atos de lavagem de dinheiro narrados tinham por objetivo converter os recursos de propina em ativos de aparência lícita e/ou distanciar ainda mais de sua origem ilícita o dinheiro derivado de crimes de corrupção praticados pela organização criminosa”, diz o MPF em nota.

A investigação aponta ainda os integrantes do esquema teriam ocultado a propriedade de um Camaro 2SS Conversível, avaliado em R$ 222,5 mil e de uma Grand Cherokee Limited, avaliada em R$ 212,8 mil, bem como de sete imóveis no valor de R$ 6,3 milhões.


AS INFORMAÇÕES SÃO DO JB
EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE

Presidente de honra do partido, Marco Aurélio Ferreira falou a Agência Baluarte na tarde dessa terça-feira

Ele criticou a gestão da empresa investigada na operação Lava Jato na terceira maior cidade do estado e ainda sugeriu soluções para a questão. 


POR FERNANDO ATALLAIA

DIRETO DA REDAÇÃO 


O presidente de honra do PPS de São José de Ribamar, Marco Aurélio Ferreira rememorou as conquistas do partido em solo ribamarense e aproveitou para criticar a gestão da Odebrecht Ambiental na cidade. 


Marco, que falou a Agencia Baluarte na tarde dessa terça-feira (21), lembrou que a insatisfação de parte da população com os serviços prestados pela empresa lança luz sobre uma problemática histórica que envolve o fornecimento de água em Ribamar.

''Temos embasamento para falar sobre essa questão, uma vez que fomos pioneiros nessa discussão aqui na cidade; de fato, a Odebrecht vem sendo alvo de reclamações por seus serviços que deixam muito a desejar. Não podemos concordar com a gestão de saneamento feita por essa empresa'', disse. 

O presidente do PPS de São José de Ribamar, Marco Aurélio Ferreira(imagem frontal):
''Temos embasamento para falar sobre essa questão, uma vez que fomos pioneiros nessa discussão aqui na cidade; de fato, a Odebrecht vem sendo alvo de reclamações por seus serviços que deixam muito a desejar. Não podemos concordar com a gestão de saneamento feita por essa empresa''.

O PPS foi um dos responsáveis pela adequação do fornecimento de água em bairros como Parque das Palmeiras e Parque Araçagi. Marco Aurélio Ferreira enfatizou o esforço empreendido à época pela legenda socialista. 


''No Parque das Palmeiras não havia serviços de qualidade quando o assunto era abastecimento e a precariedade no fornecimento de água era uma cruel realidade. Balde na cabeça, literalmente; com a união de todos e o empenho de nosso partido conseguimos várias conquistas para aquela comunidade nessa área'', lembrou Marco que ressaltou ainda ser iniciativa da legenda a implantação do Centro de Distribuição de Correspondências da cidade balneária. ''Hoje o CDC de Ribamar é uma realidade, graças ao PPS ribamarense'', destacou. 


Nas últimas semanas, a atuação da Odebrecht Ambiental voltou a ser questionada por ribamarenses que pedem a saída da empresa investigada do município. A questão que envolve a permanência da Odebrecht Ambiental divide opiniões em São José de Ribamar nos dias atuais. Marco Aurélio Ferreira analisou a situação e indicou possíveis soluções para o imbróglio. 


''Penso que uma pesquisa de campo no formato plebiscitário seria uma das saídas; a vontade do povo é soberana e é inadmissível que uma cidade como Ribamar com quase 200 mil habitantes ainda seja desrespeitada em seus direitos, a população precisa ser consulta se quer ou não que a empresa continue a atuar na cidade; vejo que o Governo municipal também precisa reagir a buscar meios de solucionar o problema em caráter de urgência, o que ainda não aconteceu. Entidades, partidos políticos e sociedade civil precisam unir-se com o mesmo propósito, só assim se chegará a uma solução concreta, palpável'', sugeriu Marco Aurélio.



Leia mais sobre as conquistas do PPS para São José de Ribamar, nos links abaixo relacionados: 





Governo implanta viveiros escavados para piscicultura nas regiões do Munim e Baixada Maranhense

Como parte das ações do Programa “Mais Produção” voltadas para a aquicultura, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) iniciou a implantação de viveiros escavados para piscicultura em seis municípios das regiões da Baixada e do Munim.

Os municípios de Matinha, Arari, Cantanhede, Santa Rita, Miranda do Norte e Nina Rodrigues recebem, cada um, cinco viveiros, perfazendo um total de 30. Cada viveiro tem capacidade de 2000m³.

Os viveiros tem várias utilidades, como a manutenção de reprodutores, alevinagem ou engorda, e o manejo dos peixes durante o ciclo de produção se torna mais fácil com essa estrutura planejada.

Resultado de imagem para SAGRIMA  HONAISER
O secretário da Sagrima, Márcio Honaiser: “Já havíamos realizado a entrega de kits de piscicultura em tanques redes em cinco municípios e agora estamos implantando viveiros escavados nesses seis, como forma de diversificar a cadeia produtiva da aquicultura e difundir aos piscicultores do Maranhão novas tecnologias e oportunidades de renda”.
“Já havíamos realizado a entrega de kits de piscicultura em tanques redes em cinco municípios e agora estamos implantando viveiros escavados nesses seis, como forma de diversificar a cadeia produtiva da aquicultura e difundir aos piscicultores do Maranhão novas tecnologias e oportunidades de renda”, explica o secretário da Sagrima, Márcio Honaiser.

Antes da implantação dos viveiros, os aquicultores dos municípios receberam capacitação técnica e gerencial, via convênio entre Sagrima e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Com os viveiros, irão também alevinos e ração, completando os itens essenciais para que a criação dos peixes se inicie.

Fortalecimento da Aquicultura


A cadeia de aquicultura é uma das cadeias prioritárias do Programa Mais Produção, que vem promovendo o adensamento de 10 cadeias produtivas e arranjos produtivos locais em diferentes escalas (pequenos, médios e grandes), agregando valor aos produtos maranhenses, gerando mais riqueza, emprego e renda.

Entre as ações promovidas estão a assistência técnica e gerencial em aquicultura a 175 propriedades em 19 municípios (Arari, Bela Vista, Cantanhede, Igarapé do Meio, Itapecuru Mirim, Matinha, Miranda do Norte, Nina Rodrigues, Santa Rita, São Mateus, Vitoria do Mearim, Humberto de Campos, Icatu,Primeira Cruz, Estreito, Joselândia, Magalhães de Almeida, Monção, Pindaré Mirim e Tuntum), por meio de convênio entre a Sagrima e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Kits de piscicultura em tanque rede e capacitação em piscicultura já foram realizados nos municípios de Cantanhede, Tuntum, Joselândia, Monção e Pindaré.

Já Icatu e Primeira Cruz receberão os novos módulos do Projeto de Cultivo em Mesas Fixas que em Humberto de Campos vem avançando e abastecendo o comércio em São Luís.

O Mais Produção representa um investimento total de R$ 62 milhões, com ações em 177 municípios, coordenadas pelo Sistema Estadual de Produção e Abastecimento (Sepab), liderado pelo governador Flávio Dino e coordenado pela Sagrima.


MATÉRIA ENVIADA PELA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA SAGRIMA

Vereador do Pen, Arnaldo fez uma avaliação do atual momento administrativo vivenciado pela cidade

POR FERNANDO ATALLAIA
DIRETO DA REDAÇÃO

O vereador Arnaldo Machado (PEN) avaliou os primeiros dois meses da nova gestão municipal de Araioses e, em contato com a Agência Baluarte, fez uma análise do atual momento vivenciado pela cidade no estado. 

Para Arnaldo, que classificou como ‘grande desafio’ o enfrentamento do abandono instaurado pela gestão passada, o município poderá entrar nos trilhos a partir deste ano caso o prefeito eleito em outubro último desprenda esforços contínuos rumo ao desenvolvimento da cidade. 

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up
O vereador Arnaldo Machado, do PEN: avaliação do atual momento administrativo vivenciado pela cidade.
‘’Creio que para se ter uma noção mais acertada do atual momento administrativo teremos que aguardar aí ainda seis meses  para melhor avaliar. A atual administração pegou um caos sem precedentes; o município tem dívidas milionárias para pagar e a destruição causada pela corrupção é visível por todos os cantos. Mas acredito que com muita organização, foco e empenho da nova administração, teremos uma nova realidade próspera e feliz. Este é o grande desafio do atual prefeito’’, afirmou Machado. 

Arnaldo Machado, que é também líder sindical, enfatizou que a região onde a cidade fica localizada é carente de políticas públicas voltadas para a integração dos municípios. ‘’Não só Araioses, mas a região como um todo e os municípios vizinhos precisam na verdade buscar integração nas reivindicações, visando o progresso da região’’, destacou. 
 
Problema recente que vem afetando centenas de famílias do município, a salinidade da agua é uma das questões mais urgentes a ser resolvida. Em Araioses a água ingerida pela população não é a adequada ao consumo. 

‘’Esta é uma luta sem igual. Já solicitamos à Caema que resolva o problema da salinidade da água de Araioses, mas ainda não obtivemos resposta; centenas de famílias estão consumindo água salgada como se fosse doce; a solução deste problema é mais que urgente’’, alertou o vereador.

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB