segunda-feira, 10 de abril de 2017
3 Perguntas para Paulo Coelho, presidente do Sindicato de Hospedagem e Alimentação do Maranhão-SEHAMA
 
O setor de Hospedagem e Alimentação no Maranhão é um dos mais importantes do segmento de negócios, prestação de serviços e suporte ao turismo estadual. 


Em 2016, com o anúncio de um pacote de medidas de contenção para a crise econômica que assola o Brasil pelo Governo Federal, o segmento hoteleiro maranhense sentiu, como vem sentindo, as intempéries do novo momento vivenciado pelo país.  


Paulo Coelho é presidente do SEHAMA, sindicato responsável pela representatividade das empresas que atuam no segmento. Nessa rápida entrevista a Agencia Baluarte ele avalia a realidade do setor no Maranhão dos dias atuais. Boa leitura:


POR FERNANDO ATALLAIA

EDITOR-CHEFE DA AGÊNCIA BALUARTE

atallaia.baluarte@hotmail.com


Agência Baluarte- Como presidente do Sindicato de Hospedagem e Alimentação do estado, qual avaliação o Sr. faz do setor hoteleiro maranhense na atualidade ?


Paulo Coelho-  Atualmente o segmento de Hospedagem no Maranhão e mais precisamente em São Luís onde atuamos  é composto por 34 hotéis e pousadas com uma oferta de 3.552 Unidades Habitacionais (UHs), se constituindo um potencial de disponibilidade adequada à demanda turística para a nossa cidade. Contudo, a crise que acometeu  a economia brasileira a partir 2015 e se intensificou em 2016 , tem produzido efeitos danosos às atividades empresariais do setor, tendo em vista a diminuição da quantidade de turistas para o nosso destino.

O presidente do SEHAMA, Paulo Coelho(imagem central) ladeado por Pedro Robson(SLCVD) à esquerda e por Flávio Dino, governador do Maranhão: entrevista a Agência Baluarte para traçar rápida avaliação do setor hoteleiro.  
Não obstante aos efeitos provocados pela crise econômica nacional, já é possível se constar recentemente um sensível movimento de recuperação das atividades ligadas setor do turismo, como hospedagem e alimentação, com a elevação da quantidade da visitação de turistas para nossa cidade, o que provavelmente, deve ser ainda mais alavancada no período de Festas Juninas que se aproxima.


De toda sorte, ainda que as atividades de hospedagem e alimentação necessitem de melhor qualificação e aportes de tecnologias, acredita-se na potencialidade do setor para acolher com qualidade os visitantes de nossa cidade. 


Agencia Baluarte- O fato de São Luís ser detentora do título Patrimônio  Cultural da Humanidade influi positivamente na economia do setor na capital maranhense? 



Paulo Coelho- Com certeza, tendo em vista que o reconhecimento de São Luís como Patrimônio Cultural eleva nossa cidade à categoria de "Cidade do Mundo". Esse status promove uma valorização no mercado interno de turismo e principalmente proporciona maior visibilidade  ao turista internacional.


Assim sendo, ocorre uma potencialização do mercado turístico local, haja vista, que a maior visibilidade conquistada, se constitui em um vetor de atração turística elevando a quantidade de visitantes, o que produz a exponencialização da maior demanda de serviços do setor de turismo, notadamente nas atividades de hospedagem como hotéis e pousadas, nas atividades de alimentação como restaurantes e lanchonetes, assim como nas atividades de artesanato e de entretenimento em geral. Nesse sentido, há por consequência  uma dinamização da economia local com efeitos positivos no mercado de trabalho com a geração de empregos  e elevação da renda empresarial dessas atividades.



Agencia Baluarte- Quais foram nos últimos anos as principais reivindicações e pleitos conquistados pelo SEHAMA  em beneficio de  seus filiados? 


Paulo Coelho- Uma das principais reivindicações e pleitos conquistados dos empresários são os constantes diálogos, com o sindicato dos trabalhadores, discutir a categoria como um todo, as dificuldades na qualificação de mão de obra, legislações, mudanças econômicas, etc.


A função do sindicato patronal não é apenas defender a categoria econômica perante as negociações coletivas de trabalho e dissídio coletivo, mas de atuar em defesa de outros interesses, como por exemplo, entrar na justiça com ações judiciais que visem benefícios fiscais e tributários para todas as empresas da categoria econômica que o sindicato representa.


Participar de feiras e eventos buscando patrocínios junto aos parceiros e órgãos públicos para o benefício do associado.


Neste tocante, o sindicato patronal identifica os principais entraves, lutando em favor da categoria patronal, enviando propostas de projetos de leis ao legislativo e defendendo perante a sociedade situações que prejudicam o segmento, apresentando a todos alternativa de soluções.

4 comentários:

  1. Com os vários títulos que São Luis tem, se recebesse alguma atenção da parte dos seus administradores, passaria por essa crise que devasta o Brasil sem senti-la. É necessário apenas explorar os potenciais extraordinários desta cidade.

    ResponderExcluir
  2. ANB mais uma vez está de parabéns! Interesse da população saber sobre essws tipos de assunto que não chega abertamente. Sobre o Sindicato Patronal, tem meamo que defender a categoria pra fazer valer pra todos!

    ResponderExcluir
  3. Maravilha!Eu estava com saudades das entrevistas meu lindo. Sou sua fã de carteirinha! Bjs

    Vera Lúcia

    ResponderExcluir
  4. São Luís é uma cidade com grandes atrativos turísticos, pois pode oferecer muito daquilo que os turistas procuram: praias com sua beleza natural, culinária típica e uma cultura diferenciada, além de ser um livro aberto de história com suas lendas e sua arquitetura portuguesa. Eu me lembro de que quando aqui cheguei em 1980, achava encantador caminhar pelo centro histórico à noite, no silêncio das quebradas. Ao pisar nas pedras dos becos e das ruas eu me transportava a um passado que ao mesmo tempo encantava e amedrontava. São Luís, no entanto, jamais será uma cidade realmente turística enquanto não atentar para alguns detalhes cuja responsabilidade tem que ser dividida entre o poder público (que não cuida da cidade), dos comerciantes (que cobram preços absurdos sem uma contrapartida de limpeza e atendimento) e do cidadão em geral (que não cuida do seu patrimônio). Conheço muita gente, inclusive donos de agências de turismo, que estiveram aqui e juraram nunca mais voltar (eis um dos motivos porque São Luís não faz parte de um roteiro de agências ligando outras capitais e um circuito de praias paradisíacas). As autoridades, grandes como os governadores e prefeitos que reinam durante algum tempo ou como esse senhor chamada Paulo Coelho, que eu não conheço, me parecem ser tão fantasioso quanto o escritor homônimo do presidente da SEHAMA, pois usam de um ufanismo e de um otimismo exagerados. Eu diria a ele que falta o turismo maranhense tem muito blábláblá e pouca gestão.

    ResponderExcluir

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB