terça-feira, 28 de março de 2017
Autor do clássico  Graúna em Roça de Arroz enviou ao poeta comentário acerca da obra Ode Triste para Amores Inacabados
 
O imortal da Academia Maranhense de Letras, Waldemiro Viana, autor do clássico  Graúna em Roça de Arroz, enviou comentário acerca da obra Ode Triste para Amores Inacabados, do poeta e jornalista maranhense Fernando Atallaia. 

O imortal da Academia Maranhense de Letras, Waldemiro Viana, sobre a obra poética de Fernando Atallaia: ‘’Li com prazer tua seleção de poemas. Jurássico que sou, amante da poesia antiga,  encetei a leitura com natural travo crítico. Em vão. A força, o vigor  dessa estrutura poética que cavalga versos sem alaridos e expurga jantares das feiras do pensamento aos bancos de praças sempre vazios me encantou de tal forma que fez dissipar em mim toda e qualquer resistência ao estilo. E se, como apregoas, toda poesia tem seu silêncio, tu o rompes com a competência de quem entende muito bem de seu ofício’’. 
Waldemiro, que é amigo  pessoal do escritor José Sarney e um dos mais importantes romancistas de sua geração ,  expressou entusiasmo diante dos poemas do livro ao que afirmou que ‘’Li com prazer tua seleção de poemas. Jurássico que sou, amante da poesia antiga,  encetei a leitura com natural travo crítico. Em vão. A força, o vigor  dessa estrutura poética que cavalga versos sem alaridos e expurga jantares das feiras do pensamento aos bancos de praças sempre vazios me encantou de tal forma que fez dissipar em mim toda e qualquer resistência ao estilo. E se, como apregoas, toda poesia tem seu silêncio, tu o rompes com a competência de quem entende muito bem de seu ofício’’. 


Waldemiro Viana ocupa a cadeira número 2 da Academia, tendo sido recepcionado pela escritora e poeta Dagmar Desterro em 1984 quando passou a compor os quadros da AML. Além de Graúna em Roça de Arroz é também autor de numerosa obra composta pelos títulos A questionável amoralidade de Apolônio Proeza. São Luís: Edufma, 1990; O mau samaritano. São Luís: Edufma, 1999; A tara e a toga. São Luís: Fundação José Sarney, 2011; O pulha fictício. São Luís: Edições AML, 2013 e de Passarela do centenário & outros perfis (sonetos). São Luís: Edições AML, 2008, dentre muitos outros.

7 comentários:

  1. Parabens Fernando, voce é um grande poeta, jornalista e compositor de mão cheia. Tudo que voce faz me emociona. Beijos para ti, querido.
    Rosana - Sua eterna admiradora

    ResponderExcluir
  2. Seus poemas são verdadeiras pérolas. Parabéns Atallaia, seu talento é nato. A sua sensibilidade e carisma estão presentes também em suas palavras.

    ResponderExcluir
  3. Waldemiro disse tudo, não há muito a acrescentar. Eu também aprecio o teor rascante dos seus poemas, que cortam como faca afiada. Ele, poeta da velha guarda, de medidas comportadas deve ter ficado aturdido com o turbilhão das suas ideias. Enquanto ele se espanta, eu danço ao som das suas palavras.

    ResponderExcluir
  4. Em suas obras, Atallaia navega por universos irresistíveis aos olhos dos amantes da boa literatura.
    Que o devido reconhecimento que recebes até dos imortais da Academia sirva como mola propulsora para a tua inspiração.
    Parabéns, poeta!!!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom,meu amigo!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns atalaia sempre te falei que você é muito profundo. vc é um grande artista. bjs

    ResponderExcluir

IPVA 2017

Pesquisar em ANB

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 9164 10 67

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB