terça-feira, 22 de novembro de 2016

Desenvolvimento humano cresce no Brasil de 2011 a 2014, mas em ritmo menor

O crescimento do IDHM do país, apesar do cenário econômico adverso no pós 2010, é reflexo da “robustez” da rede de proteção social existente no país.

Levantamento divulgado hoje (22) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) – o Radar IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) – mostra que no período entre 2011 e 2014 os principais indicadores socioeconômicos de desenvolvimento humano no Brasil registraram tendência de crescimento, apesar dos primeiros sinais de desaceleração e estagnação da economia a partir de 2010.

No entanto, o Radar, elaborado a partir dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), revela que enquanto o indicador de renda dos brasileiros cresceu a taxas anuais superiores ao último período intercensitário (2000 a 2010), os dados de longevidade e educação apresentaram taxas de crescimento inferiores.


Resultado de imagem para Desenvolvimento humano cresce no Brasil de 2011 a 2014, mas em ritmo menor
Segundo o levantamento, de 2011 a 2014, o IDHM do Brasil teve crescimento contínuo a uma taxa média anual de 1%, inferior à observada entre 2000 e 2010, que foi de 1,7%. Todas as três dimensões que compõem o IDHM – educação, renda e longevidade – apresentaram crescimento contínuo no período 2011-2014.
Segundo o levantamento, de 2011 a 2014, o IDHM do Brasil teve crescimento contínuo a uma taxa média anual de 1%, inferior à observada entre 2000 e 2010, que foi de 1,7%. Todas as três dimensões que compõem o IDHM – educação, renda e longevidade – apresentaram crescimento contínuo no período 2011-2014.

O subíndice referente à dimensão educação cresceu a uma taxa anual de 1,5%, superior à do IDHM, do mesmo modo que o subíndice de renda, com crescimento anual de 1,1%. Já o subíndice de longevidade evoluiu a uma taxa de 0,6% por ano.
“Tanto no caso do IDHM, quanto dos subíndices de educação e longevidade, a taxa média de crescimento anual no período 2011-2014 foi inferior à observada no período 2000-2010. Apenas no caso do subíndice de renda ocorreu o inverso e a taxa média de crescimento anual foi maior no período 2011-2014”.

De acordo com o levantamento, elaborado pelo Pnud em parceria com a Fundação João Pinheiro e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o crescimento do IDHM do país, apesar do cenário econômico adverso no pós 2010, é reflexo da “robustez” da rede de proteção social existente no país.
“O leve avanço do IDHM no início da década de 2010 pode estar relacionado com a natureza dos dados considerados, que propositadamente têm sensibilidade diferente ao desempenho da economia, e com a rede de proteção social existente no país. Dessa forma, a população brasileira não sofreu grandes impactos no período devido à robustez dos programas sociais, que ofereceram apoio em dimensões básicas da vida humana, como saúde, educação e renda”, afirma o levantamento.

Educação


Em relação à educação, os dados da Pnad analisados pelo Radar IDHM mostram uma taxa média de crescimento anual dos indicadores relativos à frequência escolar e de frequência nas séries finais do ensino fundamental e no ensino médio inferior à observada entre os censos de 2000 e 2010.
“Esse crescimento pouco expressivo dessas taxas alerta para a necessidade de as políticas públicas buscarem reforçar o aumento da frequência escolar, com menor defasagem idade-série, dos jovens e adolescentes de 15 a 17 anos (anos finais do ensino fundamental) e de 18 a 20 anos (ensino médio)”, diz trecho da pesquisa.

Um dos pontos destacados pelo levantamento no indicador de educação é a estagnação no percentual de pessoas com 18 anos ou mais e ensino fundamental completo, que registrou taxa de crescimento de 0,5% ao ano (de 2011 a 2014), significativamente inferior ao último período intercensitário, quando a taxa foi de 3,3% ao ano.

“Em números absolutos, essas pessoas somavam 60,1% em 2011 e 61,8% em 2014. Também chama a atenção a taxa de crescimento lenta do percentual de pessoas com 18 a 20 anos com ensino médio completo, de 2,4% de 2011 a 2014 (contra 5,1% de 2000 a 2010). Em números absolutos, esse percentual passou, em 2011, de 48,4% para 52%, em 2014. Na faixa etária de 15 a 17 anos apenas 61% tinham ensino fundamental completo em 2011. Em 2014, esse número alcançou 65,5%, ainda muito longe do ideal”, diz o Radar IDHM.

Regiões metropolitanas

Na avaliação de 60 indicadores para o Distrito Federal e nove regiões metropolitanas, o Radar IDHM mostra que todas apresentaram tendência de aumento do IDH, com destaque para Curitiba (0,035), Recife (0,025) e Rio de Janeiro (0,025). Entre as que apresentaram os menores avanços estão as regiões metropolitanas de Belém (0,006), Fortaleza (0,013), Belo Horizonte (0,018) e São Paulo (0,018).

Analisando os dados da Pnad, o Radar IDHM concluiu que São Paulo junta-se ao Distrito Federal na faixa do muito alto desenvolvimento humano, reforçando a centralidade desses espaços na rede urbana brasileira, resultado da concentração de infraestrutura social e urbana.

Na conclusão do levantamento, o Pnud diz esperar que os resultados do Radar IDHM “estimulem o desenho e a implementação de políticas públicas que contribuam para gerar avanços na realidade social e econômica do país, com redução das desigualdades socioespaciais e ampliação das oportunidades de inclusão social, visando ao bem estar da população brasileira”.
NOTA DE REPÚDIO


A Agência de Notícias Baluarte, o Blog ANB Online e o seu Editor-Chefe Fernando Atallaia vem a público repudiar as declarações do vereador de São José de Ribamar Teté Vieira em episódio protagonizado por ele, onde investiu de forma desonrosa, desonesta, truculenta e criminosa contra o blogueiro e jornalista titular deste espaço.

Resultado de imagem para TÉ VIEIRA  sao jose de ribamar

O vereador Teté Vieira: para não pagar o que deve, ele acusou jornalista de extorsão.

Teté acusou o jornalista em redes sociais com a conivência de algumas pessoas ligadas a ele, e ainda utilizando-se de ofensas, injúrias, calúnias e palavras de baixo calão, de extorsão. Para fins de esclarecimento e para a restituição da verdade, o profissional de comunicação estava a cobrar uma dívida que deveria ter sido paga no dia 20 deste mês (novembro) por consultoria amistosa prestada pelo profissional ao vereador em acerto feito via um dispositivo de rede social. 


Tendo como principios norteadores do jornalismo que pratica em São José de Ribamar e no Maranhão, a defesa dos direitos individuais, coletivos e a denúncia em tempo integral das práticas criminosas em geral, causou revolta nos milhares de leitores da Agência Baluarte as acusações infundadas de Teté Vieira ao editor de ANB Online. Nas declarações, possivelmente sob efeito de algum alucinógeno o vereador mostra total descontrole, ignorando a Lei ao emitir ofensas, retumbantes mentiras, ameaças, farto repertório de difamações, além de promover e incitar o ódio. 



Não havendo mais ao que repudiar, a Agência Baluarte lamenta profundamente a atitude criminosa do vereador em questão e roga à consciência do parlamentar(se é que ele a tem) que se guie pela verdade dos fatos, que se freie das muitas irresponsabilidades e devaneios cometidos, sob pena de pagar na Justiça pelos atos praticados contra o jornalista e, sobretudo que pague como acordado o que deve não apenas ao titular deste Portal, mas a todos quantos o cobrarem para receber aquilo que lhes é de direito.





Fernando Atallaia

Jornalista

Editor-Chefe da Agência Baluarte
Ministro do STF nega pedido para suspender tramitação da PEC do Teto dos Gastos

Na interpretação dos autores do pedido, a limitação dos gastos restringirá também a atuação dos próximos presidentes.
 O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso negou nesta terça (22) pedido feito por parlamentares da oposição para suspender a tramitação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos públicos do país pelos próximos 20 anos, a chamada PEC do Teto dos Gastos (PEC 55 no Senado, e PEC 241 já aprovada na Câmara).

Luís Roberto Barroso (foto) negou nesta terça (22) pedido feito por parlamentares da oposição para suspender a tramitação da PEC 55 / Valter Campanato/Agência Brasil
A íntegra da decisão do ministro, bem como os argumentos para a negativa, ainda não foi divulgada.





O pedido de liminar foi feito no começo deste mês por deputados do PT e do PCdoB. No pedido, os parlamentares argumentam que a PEC 55/2016 "atenta contra a separação dos Poderes, o voto direto, secreto, universal e periódico e os direitos e garantias individuais".



Na interpretação dos autores do pedido, a limitação dos gastos restringirá também a atuação do presidente da República e de deputados e senadores que serão empossados em 2019, 2023, em 2027, 2031 e 2035.



A PEC encaminhada pelo Executivo ao Congresso prevê que o teto para os gastos seja válido por 20 anos, a partir de 2017, com possibilidade de revisão a partir do décimo ano de vigência. A medida é defendida pelo governo como necessária para superar a crise econômica. A proposta prevê que os gastos públicos totais serão reajustados com base na inflação oficial do ano anterior.



As informações são do repórter André Richter

Edição de Amanda Cieglinski
PMs lotados em Buriticupu estão desaparecidos desde quinta-feira

As forças da Segurança Pública da região estão mobilizadas para localizar os dois militares.

Dois policiais militares lotados no município de Buriticupu, Cabo Cézar e Soldado Alberto, estão desaparecidos desde a última quinta-feira (17), após saírem juntos em uma caminhonete L200 Triton preta, que seria de propriedade do soldado. As forças da Segurança Pública da região estão mobilizadas para localizar os dois militares, que teriam saído para uma missão desconhecida.
cabo-cezar-e-soldado-alberto
Cabo Cezar e soldado Alberto saíram em missão desconhecida e desapareceram.
Sobre os desaparecimentos, o coronel Markus Lima, responsável pelo Comando de Policiamento de Área do Interior 3 (Cpai 3), disse que os dois PMs teriam se encontrado em um posto de combustível da cidade, e, de lá, o cabo deixou seu carro, um Corola prata, e saiu junto com o soldado na L200.
Testemunhas repassaram que avistaram a caminhonete no Assentamento Siquel, localizado na cidade de Arame. Depois, eles não foram mais.

CORPOS ACHADOS

Segundo o coronel Markus Lima, na manhã desta terça-feira (22), por volta das 11h, a polícia recebeu uma informação de que dois corpos teriam sido achados às margens de uma estrada vicinal, nas proximidades do Assentamento Siquel. Ainda conforme o coronel, policiais militares foram enviados ao local para apurar a veracidade da informação e a possibilidade de os corpos serem dos militares desaparecidos.

AS INFORMAÇÕES SÃO DO REPÓRTER NELSON MELO
EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE 
Os dois políticos deram com os burros n'água ao serem reprovados pelo eleitorado ribamarense na última eleição. 

POR FERNANDO ATALLAIA
DIRETO DA REDAÇÃO 

O vereador não reeleito Teté Vieira e o ex-propenso candidato a prefeito delegado à condição humilhante de candidato a vereador de última hora, Arnaldo Colaço caíram no ostracismo e sumiram do mapa do panorama politico de São José de Ribamar. 

Resultado de imagem para arnaldo colaço   sao jose de ribamar

Arnaldo Colaço: alpinismo social que se chocou com egoísmo.

Com respectivas votações vergonhosas, Teté Vieira(514 votos) e Arnaldo Colaço(602 votos) foram reprovados pelos ribamarenses nas urnas de outubro. Os eleitores não aceitaram a mudança suspeita feita por Colaço, até então candidato a prefeito, para candidatura a vereador. Arnaldo foi acusado pelos ribamarenses na ocasião de 'em nome da boquinha' no Governo estadual trair o projeto majoritário. Como consequência, seus correligionários debandaram, deixando claro o que já vinha sendo denunciado pela Agência Baluarte: o advogado aspirava ‘subir na vida’ usando a politica como forma de alpinismo social, preferindo a estabilidade financeira conferida por um secretário do governador à coerência do que vinha pregando.

Já Teté Vieira foi humilhado nas urnas com uma votação inexpressiva para quem se posicionava como único vereador oposicionista de São José de Ribamar diante do prefeito Gil Cutrim, do PDT. A atuação de Teté foi vista como duvidosa pelos ribamarenses que entre os muitos apontamentos, recorriam ao fato de Teté ter se tornado um vereador 'oposicionista' depois de ter visto seus interesses particulares e pessoais contrariados por Cutrim, seu inseparável e antigo amigo.  O desgaste do vereador, que já vinha se notabilizando ,  ganhou ainda mais consolidação quando dos escândalos protagonizados por ele envolvendo ‘noitadas espúrias à base de muitas cachaçadas’.  

Resultado de imagem para teté vieira bebado

O vereador ‘oposicionista’ Teté Vieira: cachaçadas e interesses particulares contrariados pelo antigo amigo Gil.
A 39 dias do início do novo processo politico-administrativo da cidade, tanto Colaço quanto Teté buscam se agarrar desesperadamente ao que sobrou de suas raras perspectivas. O primeiro pretende lançar-se deputado estadual após desfiliação do PSB, partido que ainda preside. O segundo aposta na vitória do continuísmo do vereador Beto das Vilas na presidência da Câmara Municipal onde almeja um 'cargo-boquinha' naquela Casa.


Mas o fato é que os ribamarenses atentos ao oportunismo midiático de ambos não deram trégua.

Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores