sexta-feira, 16 de setembro de 2016
Sem acordo, greve de bancários continua nesta sexta-feira

Categoria reivindica reajuste de 14,78%, Fenaban ofereceu 7%

Sem uma nova proposta da Federação Nacional de Bancos (Fenaban), os bancários decidiram continuar em greve nesta sexta-feira (16). Na oitava rodada de negociação, feita nesta quinta-feira (15), os bancos mantiveram a mesma proposta apresentada no dia 9: reajuste de 7% nos salários e benefícios e abono de R$ 3,3 mil, a ser pago dez dias após a assinatura do acordo.

“A nova proposta resulta numa remuneração superior à inflação prevista para os próximos 12 meses, com ganho expressivo para a maioria dos bancários”, disse a Fenaban, em nota, no dia 9. Os bancários, no entanto, pedem reajuste de 14,78% (5% de aumento real, mais a correção da inflação), 14º salário e participação nos lucros e resultados de R$ 8.297,61, entre outras demandas.



“Os banqueiros agem com total descaso ao tentar impor perdas de 2,39% aos bancários, já que insistem em não repor a inflação, e ainda, desvalorizar os funcionários, sem atender às demais reivindicações. Quem quer redução de salário? É inadmissível que o setor que continua a lucrar tanto, mesmo em tempos de crise, opte por um papel tão nefasto de falta de responsabilidade social com seus funcionários e com a economia do país”, disse Roberto von der Osten, um dos coordenadores do Comando Nacional dos Bancários.

A greve dos bancários começou terça-feira passada (6). Nesta quinta-feira (15), 12.608 agências e 49 centros administrativos tiveram as atividades paralisadas em todo o Brasil, segundo o sindicato dos bancários. O número representa 54% das agências no Brasil. A Fenaban não divulgou números.


AS INFORMAÇÕES SÃO DO JB
EDIÇÃO DE ANB ONLINE

Luis Fernando defende o resgate do orgulho de ser ribamarense

O resgate da autoestima dos ribamarenses, que é, sobretudo, o orgulho da população de morar em São José de Ribamar, e o compromisso de reconstruir a cidade, são temas que estão dominando a campanha do candidato da coligação “Aliança Democrática Ribamarense”, Luis Fernando Silva (PSDB).

Apesar do favoritismo e de ser o único candidato a prefeito com registro deferido, sem pendências na Justiça Eleitoral, Luis Fernando tem feito questão de andar diariamente pelas ruas dos bairros de São José de Ribamar e conversar direto com o cidadão sobre a realidade tão dramática que vive o município administrativamente.

Nesta semana, Luis Fernando já percorreu os bairros do Alto do Turu, Jardim Turu, Canudos e Terra Livre, na região limítrofe, e ruas do Cruzeiro e Vila São José, na região da sede. 

foto-2
O candidato Luis Fernando: “Estamos fazendo uma campanha propositiva e vibrante em respeito ao povo, para firmarmos compromisso com o cidadão e assim lutarmos, todos juntos, pela reconstrução da nossa cidade”.
“Estamos fazendo uma campanha propositiva e vibrante em respeito ao povo, para firmarmos compromisso com o cidadão e assim lutarmos, todos juntos, pela reconstrução da nossa cidade”, tem dito o candidato sempre que questionado sobre a intensidade da campanha.

Moradora das imediações do bairro Canudos, na região do Parque Vitória, Waldirene Ferreira Frazão disse que espera ansiosamente pela volta de Luis Fernando para a prefeitura. “Até hoje, desde que ele saiu vivemos um descaso total aqui na região. Por falta de cuidado o asfalto está se acabando, a saúde é uma complicação, as nossas escolas nunca mais foram as mesmas. Nós estamos precisando mesmo que ele retorne e dê continuidade ao trabalho que não continuaram”, declarou Waldirene.

Na Vila São José, num discurso afinado com os anseios dos moradores do bairro, Luis Fernando reclamou da falta de manutenção e conservação das ruas asfaltadas por ele, durante sua gestão, no período de 2005 a 2010.

“Desde que eu saí da prefeitura não fizeram mais nada. Aliás, fizeram, deixaram estragar o asfalto que foi feito aqui. Por onde passo, as pessoas reclamam que estão sofrendo com falta de água. E pior, estão sendo cobradas, não pela água, mas pelo vento que sai das torneiras. Tenho consciência do trabalho que teremos para reconstruir essa cidade. Mas já fizemos uma vez e vamos fazer de novo”, garantiu Luis Fernando em discurso na Vila São José.

Nesta sexta-feira (16), Luis Fernando vista a Vila Sarney Filho I e, na parte da noite, realiza o Comício das Vilas, na Avenida Quixadá. No sábado, pela manhã, continua com as visitas aos bairros, caminhando com a militância e moradores dos bairros Panaquatira e Itapari. Na parte da tarde fará um percurso no Cohatrac V, Village, Jardim Araçagy, Itaguará, Alvorada, Cohabiano, Trizidela, Novo Cohatrac e Nova Aurora com concentração na rua 5, do Cohatrac V.
Voto jovem representa 27% do eleitorado e pode decidir pleito, diz TSE

O Brasil tem cerca de 51 milhões de jovens de 15 a 29 anos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que os jovens entre 15 e 29 anos representam 27% do eleitorado nacional, o que demonstra, para a Justiça Eleitoral, que o voto dessa camada da população deverá ser determinante nas eleições municipais de outubro.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem cerca de 51 milhões de jovens de 15 a 29 anos, correspondendo a um quarto da população do país. Desses, mais de 75% (38.876.290) estão aptos a votar nas eleições deste ano, segundo dados do TSE. Os jovens entre 25 e 29 anos representam 10,83% do eleitorado; de 21 a 24 anos, 8,71% e de 16 a 20 anos, 7,45%.

Resultado de imagem para VOTO JOVEM
 O alistamento eleitoral e o voto são facultativos para os analfabetos, os maiores de 70 anos e os maiores de 16 anos e menores de 18.
Para o cientista político Leonardo Barreto, especialista em comportamento eleitoral, o voto dos jovens pode ser determinante nas eleições porque, por terem mais escolaridade que as gerações anteriores, acabam por influenciar o voto das pessoas do seu círculo social, como pais e avós. Segundo Barreto, pesquisas demonstram que a rede de amizades e familiares é o fator que mais influencia na escolha dos candidatos. “Mas o jovem costuma ter um voto crítico”, diz o especialista.

Voto facultativo

De acordo com a Justiça Eleitoral, 1.638.751 jovens de 16 e 17 anos votaram nas eleições de 2014. Para estas eleições municipais, 2.311.120 adolescentes estão aptos a votar. O jovem nessa faixa etária não é obrigado a votar, mas já tem o direito garantido pela Constituição.

O alistamento eleitoral e o voto são facultativos para os analfabetos, os maiores de 70 anos e os maiores de 16 anos e menores de 18.

O Brasil tem 144 milhões de eleitores aptos a votar nas eleições para prefeitos e vereadores. O primeiro turno será no dia 2 de outubro.

AS INFORMAÇÕES SÃO DA AGÊNCIA BRASIL
EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB