domingo, 29 de maio de 2016
Fórum PEN-51 CIDADE SUSTENTÁVEL acontece amanhã na igreja Assembleia de Deus do Parque Vitória.

POR FERNANDO ATALLAIA

DIRETO DA REDAÇÃO

A 2ª edição do fórum PEN51-CIDADE SUSTENTÁVEL será realizada amanhã, dia 30, às 19h na igreja Assembleia de Deus do Parque Vitória.

Totalizando 25 encontros que visam discutir a realidade social, cultural e econômica de São José de Ribamar, o evento, segundo informou o pré-candidato a prefeito Jota Pinto, deverá dá prosseguimento à construção de um organograma de propostas a ser elaborado pelo partido para as eleições deste ano.

Resultado de imagem para JOTA PINTO  PEN
DISCUTINDO A CIDADE O pré-candidato a prefeito Jota Pinto estará amanhã com o fórum CIDADE SUSTENTÁVEL no Parque Vitória; evento segue para o Araçagi em sua 3ª edição
Em contato com a editoria de Politica da Agência Baluarte, Pinto frisou que o fórum teve boa recepção em sua estreia, com o comparecimento dos ribamarenses dos mais diferentes bairros do município na ocasião.

‘’A 1ª edição realizada na Vila Kiola congregou centenas de pessoas em torno de propostas e projetos para a cidade, com destaque para o fato dos presentes serem todos ribamarenses’’, disse ele.

Após o evento de amanhã, o fórum segue para a região do Araçagi, onde acontece a 3ª edição da iniciativa.
‘’Sou vagabundo e amo a policia’’, grita jovem enquanto é torturado pela PM

Este tipo de violações e torturas promovidas por policiais são recorrentes nas periferias de SP

Sim, tortura, bem como estabelece Lei 9455/97, em seu artigo 1º, ítem I: “constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental”. Este foi, entre outros, o crime praticado pela Polícia Militar no último domingo, dia 22 de maio, contra um adolescente negro no Jardim Planalto, região de Sapobemba, zona leste de São Paulo. Um vídeo que circula na internet mostra o momento exato.



Tudo aconteceu provavelmente entre 21h e 23h, horário em que o “fluxo” (baile funk) na Praça da Leidiane, localizado na Av. Manuel Pimentel, ainda concentrava centenas de jovens. Percebe-se no vídeo que havia pessoas na rua e o comércio funcionava. Eis que moradores da rua Francisca Marinho são surpreendidos com gritos nada habituais. Uma viatura da Polícia Militar passa lentamente, seguindo a velocidade dos passos de um policial que caminha segurando em uma mão o cassetete e na outra um adolescente negro, exibindo-o com as mãos para trás, algemado e coagido a gritar em prantos e a plenos pulmões: ''Eu amo a Polícia! Eu amo a Polícia! Eu sou vagabundo! Eu não presto! A Tática é foda!''

Quando não desaparecidos ou mortos, jovens são habitualmente humilhados e torturados de maneira a servir de exemplo aos demais adolescentes e à comunidade. - Créditos: Reprodução
Sim, tortura, bem como estabelece Lei 9455/97, em seu artigo 1º, ítem I: “constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental”
Ao receber a denúncia da grave violação de direitos registrada pela gravação, o Centro de Direitos Humanos de Sapopemba/CDHS (Cedeca), de maneira imediata acionou e representou a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo, exigindo providências e apuração do crime cometido pela PM.


Este tipo de violações e torturas promovidas por policiais dentro e fora do horário de serviço são recorrentes nas periferias de São Paulo. Quando não desaparecidos ou mortos, jovens são habitualmente humilhados e torturados de maneira a servir de exemplo aos demais adolescentes e à comunidade.

O Cedeca Sapopemba informou à este Blog que provocará um diálogo aberto e franco junto a comunidade, a partir das seguintes questões a serem refletidas:

1) Os adolescentes e jovens de nossas famílias estão ocupando a praça, que é espaço público para se encontrar e se divertir. Quais são as outras opções que eles têm?

2) Como assegurar o direito dos idosos e das pessoas que precisam descansar para trabalhar no dia seguinte e ao mesmo tempo garantir também o direito dos jovens à ocupação do único espaço que eles tem? Vamos conversar com os jovens e moradores?

3) Até quando a prefeitura da cidade e o governo do estado ficarão omissos em relação à violência promovida ela policia, ante problemas que deveriam ser solucionados por politicas públicas, oportunidades e direitos sociais?

4) Apoiar a prática criminosa de alguns policiais vai resolver ou piorar o problema?

Aos que defendem os valores dos direitos humanos, cabe parabenizar e apoiar a postura corajosa do Cedeca e da comunidade local em se mobilizar para denunciar a cotidiana violência policial que vitimiza jovens, em sua maioria negros, todos os dias naquela região.

Tortura, humilhação pública e coação são dimensões do genocídio negro promovidos pelo Estado e suas polícias, que há tempos denunciamos. Aliás, para quem tem dúvidas quanto à caracterização de tortura dos atos cometidos pela PM, confira abaixo o que diz a lei e assista o vídeo:

Lei 9455/97 – Art. 1º Constitui crime de tortura:

I – constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental:

  1. a) com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de terceira pessoa;

 

  1. b) para provocar ação ou omissão de natureza criminosa;

 

  1. c) em razão de discriminação racial ou religiosa;

 

II – submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo.

Pena – reclusão, de dois a oito anos.

 

  • 1º Na mesma pena incorre quem submete pessoa presa ou sujeita a medida de segurança a sofrimento físico ou mental, por intermédio da prática de ato não previsto em lei ou não resultante de medida legal.

 

  • 4º Aumenta-se a pena de um sexto até um terço:

 

I – se o crime é cometido por agente público;

II – se o crime é cometido contra criança, gestante, portador de deficiência, adolescente ou maior de 60 (sessenta) anos;

Por Douglas Belchior em seu blog, com informações do Centro de Direitos Humanos de Sapopemba/CDHS e do CEDECA-Sapopemba/Monica Paião Trevisan

Adolescentes são apreendidos com carro roubado em São Luís

Quatro adolescentes de 14 e 16 anos foram abordados no sábado (28).
Eles foram encaminhados para a Decop, na capital.

Quatro adolescentes foram apreendidos no fim da tarde de sábado (28), no bairro Cidade Operária, em São Luís, após serem flagrados conduzindo um veículo roubado.

Segundo informações da polícia os adolescentes, que possuem 14 e 16 anos respectivamente, estavam próximos a Praça do Viva, na Cidade Operária, quando foram abordados por policiais em um veículo roubado de placas NMY 9901, conforme confissão feita por um dos adolescentes durante depoimento.

Adolecentes tentaram fugir da polícia em São Luís em veículo roubado (Foto: Divulgação/PM-MA)

Adolescentes tentaram fugir da polícia em São Luís em veículo roubado

Após serem abordados, os quatro adolescentes decidiram fugir, mas foram perseguidos pelos policiais e foram impedidos de continuar a fuga após colidirem com um motociclista que passava pelo local.

Depois da colisão, os quatro adolescentes abandonaram o veículo, no entanto o condutor do carro roubado, um dos adolescentes de 16 anos, foi capturado pelos próprios populares que passavam pelo o bairro.
Resultado de imagem para tatiana pereira juventude
Tatiana Pereira, secretária de Juventude do Maranhão
Já os outros três adolescentes conseguiram fugir e só foram apreendidos pela a equipe policial depois de serem flagrados em cima do telhado de uma residência.

Os quatro adolescentes que roubaram o veículo foram apreendidos e encaminhados para a Delegacia do bairro Cidade Operária (Decop), na capital.

As informações são da repórter Márcia Carlile, do G1 MA

Edição da Agência Baluarte
Polícia identifica quatro suspeitos de participar de estupro coletivo no Rio
De acordo com relato da jovem à polícia, ela teria sido estuprada por 33 homens.

A Polícia Civil já identificou quatro homens suspeitos de terem participado do estupro de uma jovem de 16 anos, no fim de semana passado, no morro São José Operário, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio. De acordo com relato da jovem à polícia, ela teria sido estuprada por 33 homens na casa.


Em depoimento à polícia, a adolescente contou que foi visitar o namorado em uma casa no alto da comunidade que era usada por homens ligados ao tráfico de drogas na região. Imagens postadas pelos supostos agressores no Twitter geraram indignação ao mostrarem a menina desacordada com órgãos genitais expostos. No vídeo, um homem admite: “uns 30 caras passaram por ela”.
Dos quatro identificados até o momento, dois são suspeitos de terem divulgado as imagens nas redes sociais; um é o rapaz que tinha um relacionamento com a jovem; e o quarto identificado aparece no vídeo ao lado da garota.


Resultado de imagem para estupro coletivo no Rio
O Ministério Público do Rio (MPRJ), que acompanha o caso, através da 23ª Promotoria de Investigação Penal, informou que a Ouvidoria da instituição já recebeu cerca de 800 denúncias sobre os criminosos e que já encaminhou o material retirado das redes sociais para os órgãos de investigação do crime
O Ministério Público do Rio (MPRJ), que acompanha o caso, através da 23ª Promotoria de Investigação Penal, informou que a Ouvidoria da instituição já recebeu cerca de 800 denúncias sobre os criminosos e que já encaminhou o material retirado das redes sociais para os órgãos de investigação do crime.
Em nota, a Polícia Civil informa que a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) e a Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) estão trabalhando de forma integrada na investigação do crime.


A Subchefia Operacional e o Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE) colocaram suas unidades à disposição para auxiliar na investigação.
O cidadão que tiver qualquer informação que possa contribuir com a investigação, especificamente endereços dos suspeitos ou novas provas do fato, pode entrar em contato com a Polícia Civil através da Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) pelos telefones (21) 2334-8823, (21) 2334-8835, pelo chat online ou pelo Disque Denúncia 2253-1177.


Os delegados de Polícia Alessandro Thiers e Cristiana Bento, responsáveis pela investigação, atenderão a imprensa nesta sexta-feira, às 12h30, na Cidade da Polícia, para apresentar novas informações sobre o caso.
A vítima do estupro coletivo foi levada na manhã de ontem (26) para o setor de ginecologia do Hospital Maternidade Maria Amélia, no centro do Rio, onde fez exames e tomou medicamentos para evitar doenças sexualmente transmissíveis e Aids.


a Agência Brasil
Edição da Agência de Notícias Baluarte
Novo tratamento promete curar impotência com choques no pênis


Uma nova tecnologia promete melhorar a vida de pacientes que sofrem de disfunção erétil no Brasil. Já conhecido e aplicado em países como Israel e França, o método consiste, basicamente, em dar choques no pênis para garantir a ereção.
Calma, pode soar extremo o tratamento de choque, mas urologistas e pacientes afirmam que o tratamento é indolor, pouco invasivo, e os efeitos começam a aparecer em poucas semanas. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) já autorizou o uso da tecnologia no país, que começou a ser feito em 2015. Mas também não é a solução para todo o problema: a sociedade de urologistas diz que o tratamento deve ser visto com cautela, pois a tecnologia é nova e ainda não há estudos suficientes para comprovar seus resultados.

Novo tratamento promete curar impotência com choques no pênis
Brochas já podem contar com choques para curar impotência

A disfunção erétil é a dificuldade de manter o pênis rígido o suficiente para a penetração. Isso acontece na maioria das vezes em homens com problemas de circulação sanguínea na região peniana, seja por doenças, artérias entupidas de gordura ou pela idade.
Em vez de dilatar as artérias já existentes por algumas horas, o que remédios como o Viagra fazem, os choques estimulariam a criação de novos vasos sanguíneos dentro do pênis. Com mais artérias levando o sangue, a circulação e rigidez aumentam.
“Não é para ser apenas um quebra-galho momentâneo. É para resolver o problema na estrutura do pênis”, diz o urologista Sérgio Bassi, que aguarda a liberação de uma máquina similar à já aprovada pela Anvisa.
Como funciona o tratamento de choque?
O primeiro passo é passar um gel no corpo do pênis, como o gel usado para ultrassons. Em seguida, basta encostar a máquina no órgão e ela transmite ondas para o pênis, dando choques indolores. Os choques são ondas eletromagnéticas que na frequência correta estimulam a criação de novas artérias. Esse efeito foi percebido primeiro em máquinas usadas para quebrar pedras no rim, então a frequência da onda foi diminuída para tratar artrite na fisioterapia e, agora, a disfunção erétil.
Normalmente são recomendadas quatro sessões para o tratamento dar resultado, uma por semana durante um mês, de acordo com Wagner Raiter José, de São Paulo, que tem licença e usou o método em cerca de 20 pacientes.
AS INFORMAÇÕES SÃO DO UOL NOTÍCIAS
EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 9164 10 67

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB