quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Divulgada imagem do suspeito de ter sequestrado a menina Juliana

A polícia já está com as imagens de câmeras de videomonitoramento e procura o suposto sequestrador

Na noite desta quinta-feira foi divulgada nas redes sociais imagem de câmera de videomonitoramento do momento em que um suposto sequestrador, ainda não identificado, leva a menina Juliana Cordeiro Moura, de 9 anos, na manhã da última quarta-feira, no bairro do Cohatrac, em São Luís.
Na imagem pode se observar a menina Juliana, com a mesma roupa que saiu de casa, montada na bicicleta vermelha de um homem moreno, camisa manga comprida vermelha, tênis vermelho, bermuda jeans e com uma sacola branca, que poderia ser o galeto que a garota tinha saído para comprar.
IMG-20160114-WA0049-310x174
A polícia já está com as imagens de câmeras de videomonitoramento e procura o suposto sequestrador
A polícia já está com as imagens de câmeras de videomonitoramento e procura o suposto sequestrador.
Segundo relato da tia criança, Ciany Moura, Juliana teria ido comprar galeto, quando foi abordada por um indivíduo que se utilizou de informações falsas de que o pai dela teria dívidas com o suspeito e que precisava entregar alguns documentos por meio da garota. Juliana então suspeitou da atitude e se negou a acompanhá-lo. Foi quando o homem então teria utilizado de força física para imobilizá-la e levá-la até um matagal onde ficaram por algumas horas".
AS INFORMAÇÕES SÃO DO REPÓRTER RODRIGO SANTOS, DE O IMPARCIAL
Ribamarenses vêm denunciando nas redes sociais a atual situação de insegurança pela qual passa a cidade
Eles culpam prefeito e vereadores por indiferença ao problema.

PORFERNANDO ATALLAIA
DIRETO DA REDAÇÃO

Dos 17 vereadores de São José de Ribamar eleitos em 2012 para representar os munícipes da terceira maior cidade do Maranhão, nenhum deles se debruçou até hoje sobre o grave e sério problema que vai se arrastando por todos os bairros da cidade: consolidação da violência e da criminalidade no município.

Acontecimentos constantes, diários, a incidência de assaltos, tiroteios em vias públicas, arrastões à beira da praia de banho, assaltos, assassinatos e demais atrocidades tiram, atualmente, a paz dos moradores da Sede (onde fica localizada a igreja matriz) e dos habitantes das Vilas que já não sabem a quem recorrer.

O prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim: indiferente ao problema
Em 2015, a convite dos políticos da oposição local que tentavam aproveitar a ‘pertinência da pauta’ para tirar quinhões eleitoreiros, o secretário de Segurança Pública do Estado(SSP), Jeferson Portela, esteve na cidade por várias ocasiões. Não deu em nada.  Das centenas de registros dando conta do aumento do índice da criminalidade na Grande Ilha, grande parte das ações criminosas acontece em solo ribamarense.

Despreocupados com a problemática que envolve falta de policiamento e gritante ausência de politicas públicas preventivas, prefeito e vereadores se mostram indiferentes. A população de São José de Ribamar, por sua vez, vem reagindo de forma contundente e promete não deixar barato. ''Vamos dar o troco nas urnas em outubro'', afirma, de forma categórica, um ribamarense revoltado.

FALTA DE COMPROMISSO COM A TERCEIRA MAIOR CIDADE DO MARANHÃO Jeferson Portela, titula da SSP, esteve na cidade por diversas ocasiões: visitas que não deram em nada 
Nas redes sociais, o carnaval deste ano, anunciado pelo prefeito Cutrim(PDT) com cortes orçamentários avaliados em 40%,  acompanhou a insatisfação popular. Um internauta ribamarense disparou:

''Essa história de "carnaval" aqui em São José de Ribamar, quando disserem assim: "Lá vem o bloco!", se você estiver na porta, coloque a vovó pra dentro, as crianças, entre rápido e feche a porta, aí você fica imaginando o que acontece, e não espere por policiamento não, faça a sua parte. Não precisa se deprimir com a minha postagem, tá bom? Estou falando apenas o que é ÓBVIO'', diz a mensagem publicada numa rede social.

O presidente do Legislativo ribamarense, Manoel Albertin: Câmara Municipal não empreende nenhum esforço no sentido de reverter quadro de consolidação da violência
Com um ínfimo contingente policial que, a bem da verdade, não é suficiente para a segurança dos bairros da Sede, a Policia Militar vem se desdobrando com uma logística precária que é também estendida para a Região das Vilas, onde há mais de 200 comunidades carentes de medidas e ações de segurança. Sem contar com as áreas limítrofes coirmãs de São Luís, a capital. Nestas, crimes de toda ordem tornam-se cada dia mais rotineiros e comuns, constituindo a paisagem. 

Escola pública em São Luís é saqueada e aulas são suspensas

Bandidos levaram merenda escolar, materiais de cozinha e a bomba d’água.
Semed está realizando o levantamento dos danos sofridos.

O clima de insegurança levou a direção da unidade de ensino básico Pedro Marcosine Bertol, do bairro Camboa, em São Luís (MA), a suspender as aulas nesta quinta-feira (14) por conta do recente episódio de violência no local. O prédio foi alvo de assalto na madrugada de quarta (13), quando bandidos saquearam a merenda escolar, materiais de cozinha e a bomba d’água.

Professores e alunos foram dispensados por causa da insegurança no local (Foto: Danilo Quixaba/Mirante AM)
O clima de insegurança levou a direção da unidade de ensino básico Pedro Marcosine Bertol, do bairro Camboa, em São Luís (MA), a suspender as aulas nesta quinta-feira (14) por conta do recente episódio de violência no local
G1 esteve no local e encontrou os portões fechados. Os funcionários administrativos que estavam dentro da escola não quiseram falar sobre o assunto por medo, mas confirmaram que todos os professores e alunos foram dispensados. O prédio onde funciona o colégio municipal estava desativado, exatamente, por causa do clima de insegurança na região.
A escola Pedro Marcosine Bertol funcionava no bairro Jaracaty, mas acabou sendo interditada em abril do ano passado devido a problemas estruturais como rachaduras nas paredes e fissuras no teto.

Por causa do risco de desabamento, os estudantes foram transferidos para o prédio na Camboa.

Na época, os pais de alunos não aceitaram a mudança, mas acabaram cedendo para não atrasar o ano letivo dos filhos. A mudança para a Camboa seria temporária, no entanto, até agora não foram iniciadas qualquer obra de recuperação no prédio do Jaracaty.

O secretário de educação de São Luís, Geraldo Castro, justificou a demora na reforma do prédio do Jaracaty. “Aquele prédio (Jaracaty) possui problemas estruturais. Estamos com os laudos sendo feitos, assim como a avaliação do terreno. Mas não posso precisar quando as obras vão ter inicio, porque ainda estão sendo concluídos os levantamentos”, afirmou.


Ladrões levaram merenda escolar e até bomba d'água da unidade de ensino (Foto: Divulgação / funcionários)
Por causa do risco de desabamento, os estudantes foram transferidos para o prédio na Camboa
Ainda de acordo com o secretário, o maior problema tem sido os ataques que a escolas estão sofrendo. “Estamos repondo o material a policia está à procura dos que cometeram o ilícito. Estamos com os laudos (do prédio do Jaracaty) sendo feitos por causa da avaliação do terreno”, finalizou.
A secretaria de educação espera que o contrato com a empresa que presta serviço de vigilância a Prefeitura de São Luís seja regularizado até o começo do mês.

As escolas da área de Educação Infantil iniciarão o ano letivo de 2016 no dia 22 de fevereiro, bem como as escolas de Ensino Fundamental sem dias letivos a repor. Para as demais, as aulas iniciarão nos dias 22 de março. O replanejamento do calendário foi possível a partir de uma série de adequações realizadas no decorrer dos anos de 2014 e 2015.
AS INFORMAÇÕES SÃO DO G1
EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE

Mulher morre ao pular de ônibus durante assalto no Alto do Turu

Marciléia Furtado e outras quatro pessoas pularam do ônibus em movimento para fugir da ação dos bandidos

Na noite dessa quarta-feira, dia 13, foi registrada a morte de uma passageira que pulou de um ônibus durante um assalto ao coletivo que faz a linha Alto do Turu.

image
A vítima foi identificada como Marciléia Furtado, 34 anos. Ela e outras quatro pessoas pularam do ônibus em movimento para fugir da ação dos bandidos. Ao cair no chão, a passageira acabou falecendo no local
A vítima foi identificada como Marciléia Furtado, 34 anos. Ela e outras quatro pessoas pularam do ônibus em movimento para fugir da ação dos bandidos. Ao cair no chão, a passageira acabou falecendo no local.

De acordo com informações, dois suspeitos entraram no coletivo no Terminal de Integração da Cohab. Depois, outro comparsa também entrou no ônibus para render o motorista e anunciar o assalto com os demais criminosos. 



O novo comandante da Polícia Militar do Maranhão, coronel Pereira: ele conseguirá conter a onda de roubo a residências, assaltos a coletivos, furtos, tráfico de drogas, assassinatos e violência que vem destroçando a Ilha? Marciléia foi mais uma vítima

A ação iniciou na avenida principal do bairro Alto do Turu. O bando formado por dois homens e uma mulher obrigaram o motorista a levá-los para o Parque Jair. Além da renda do coletivo, os criminosos levaram também os pertences dos passageiros. 

A polícia realiza buscas para localizar os criminosos que ainda não foram identificados.

IPVA 2017

Pesquisar em ANB

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 9164 10 67

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB