segunda-feira, 11 de abril de 2016
Poesia Sempre!

Leia o poema Itinerário da obra inédita Ode Triste para Amores Inacabados de autoria do poeta e jornalista maranhense Fernando Atallaia

Itinerário
Poema de Fernando Atallaia para Putas, Camélias e Primeiras-Damas

Onde elas estão ? 
Embrenhadas nas alcovas de nossos pensamentos 

Quando aparecerão?
Quando os reis exaustos, frios, castros adormecerem em Seus dinheiros 


Quem elas são?
As putas-primeiras das primeiras damas em seus apelos 


Que cheiro tem?
Suas púbis-tristes exalando algum veneno


O que escondem?
O desejo de trepar a cada mesa


the-life-of-1930s-parisian-prostitutes-440-body-image-1424802157

Como riem?
Gozando solitárias em seus vestidos


O que querem?
Oceanos invadindo sainhas indefesas


E o que oferecem?
As muitas bocas que veem preenchidas 


Por quem tecem? 
Pelos pelos esquecidos nos invernos do silêncio


E quando quentes?
Bebem do amor de um príncipe-sapo na penumbra


Para quem são?
Para os poetas vagabundeados de aurora 


Quando voltam?
A cada madrugada que a noite lhes convence da aventura




E se amam?
Continuam a fingir em seus castelos.


Fernando Atallaia, São José de Ribamar, Março de 2013

54 comentários:

  1. E um poema pra quem conhece a história do Paraíso e o sabor das belas maçãs que Ka existiam e que levaram Adão ao pecado original

    ResponderExcluir
  2. Uma das profissões mais antigas do mundo, descrita em poesia.Fantástico...Parabéns Fernando Atallaia!

    ResponderExcluir
  3. Muito subliminar e profundo este poema.
    Mais se parecem as tais, aos partidos políticos que a cada primavera aguardam os seus deleites alimentar.
    Considero o poeta Fernando Atallaia, um proeminente versador do cotidiano e frenético mundo maranhense.

    Erisson Sousa

    ResponderExcluir
  4. Parabéns...
    O poema me remete ao contexto atual pelo qual atravessamos historicamente, ouvindo à todo instante relatos de corrupção, retratados numa poesia para quem em meio à madrugada se transforma em sapo, para na aurora se apresentar como príncipe levando adiante o seu fingimento.
    Sóstenes

    ResponderExcluir
  5. O mundo comtemporâneo, valores, esquecidos, poema , sempre difícil descrever o seu sentido culto e cheio de duvidas promiscuidade ,mas vale ressaltar, o momento que vivemos, cheio de ! e ? desejos e anseios e sonhos que jamais esquecidos pois sonhar é viver por um mundo melhor por valores que jamais serão esquecidos.Amo poesia me faz pensar, refletir e não julgar e sim amar.

    ResponderExcluir
  6. Tive que reler três vezes, e três vezes além das três. Tive que dez vezes me embebedar de palavras, e mais dez vezes além das dez. Tive que rever cem damas que, nuas, foram possuídas, e cem vezes além das cem. Tive que voltar mil anos, e outros mil para entender a presença da mulher-poema nas alcovas e fora delas. O poema de Atallaia feminiliza a história do mundo, onde putas e santas, damas e heroínas são o seu componente mais importante, por causa da sua forma e formato.

    Augusto Pellegrini Filho

    ResponderExcluir
  7. Belo poema, vitoriano com curvas ,modernismo nas falas, cultos e cheia de desejos e anseios, !,?,me remete a figuras das mulheres que se sentiam na obrigação da satisfação sexual do companheiro sem pensar em seus anseios por liberdade, a mulher como adorno que não tem opinião mas o mundo muda a cada instante e estamos aprendendo a nos valorizar como sexo frágil, que vive o presente sem pensar no futuro que a Deus pertence.

    ResponderExcluir
  8. Belo poema, vitoriano com curvas ,modernismo nas falas, cultos e cheia de desejos e anseios, !,?,me remete a figuras das mulheres que se sentiam na obrigação da satisfação sexual do companheiro sem pensar em seus anseios por liberdade, a mulher como adorno que não tem opinião mas o mundo muda a cada instante e estamos aprendendo a nos valorizar como sexo frágil, que vive o presente sem pensar no futuro que a Deus pertence.

    ResponderExcluir
  9. "As muitas bocas que querem preenchidas"... Duplo sentido! Um oceano de sensações... Um frenesi!! Como todo excelente poeta, capaz dos mais importantes estarrecedores pensamentos... Parabéns por tão belo poema!

    ResponderExcluir
  10. A autêntica escola Buarquena. Parabéns

    ResponderExcluir
  11. Loucura gostosa de arrepiar... Amei gostoso Uii kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Taty

    ResponderExcluir
  12. Belíssimo poema que aguça a imaginaçao de forma culta, mulheres descritas em forma de poema, mas que vivem vidas "tristes" na intençao de satisfazer quem lhes deseja. Forma bem descrita. Parabéns Fernando.

    ResponderExcluir
  13. Que ousadia, que imaginação, que poder de descrição. Parabéns caro Fernando p esta bela e xeliciosa viagem. Continue nos surpreendeno.

    ResponderExcluir
  14. Fernando Atallaia, um dos maiores senão o maior poeta maranhense da década de 90, parabens meu mestre e sucesso na sua jornada!

    Ronilson -Letras-UFMA

    ResponderExcluir
  15. O POEMA É PAUTADO NUM MIXTO DE AMOR CARNAL E TAMBÉM DE AMOR POÉTICO... É UMA "VIAGEM" MARAVILHOSA PELO MUNDO SENSUAL E SEXUAL... À FERNANDO ATALLAIA, OS MEUS PARABÉNS, ALÉM DE SER SUA FÃ INCONDICIONAL... POETA, ESCRITOR, JORNALISTA DE MUITO SUCESSO E VALOR!!! PARABÉNS, AMIGO QUERIDO...

    ResponderExcluir
  16. Chocante! Parabéns Atallaia! Uma viagem ao reino do amor carnal, retratando a simbiose do prazer com a contemplação...

    ResponderExcluir
  17. Com a marca registrada deste poeta maranhense que com sabedoria coloca corajosamente sexo, picardia,enfim: "púbis-tristes exalando algum veneno",malicia:"Continuam a fingir em seus castelos".Parabéns querido amigo, poeta da esbornia."Para os poetas vagabundeados de aurora"!

    ResponderExcluir
  18. É da geração dele; todos são muito exigentes e estudiosos das artes, geração que não dá ponto sem nó cheia de fera um melhor que o outro, parabéns Fernando , salve salve sua geração maior!

    Ronald Palhares

    ResponderExcluir
  19. Poema marcante, de singular e peculiar estética literária, nos remete ao mundo da intrínseca relação das mulheres que mergulham no universo da satisfação masculina, dos zelosos prazeres que foram condicionadas a oferecer, das efêmeras felicidades, enebriadas pela luxúria. Como sua essência sugere, vivem com seus corações sedentos de preenchimento afetivo, carentes, entretanto, solícitas como o habitual.

    Parabéns, poeta!!!

    ResponderExcluir
  20. Parabéns meu querido poeta Atallaia...
    Mulher é sempre mulher independente da posição ou cargo ocupado. Putas, camélias ou primeira-damas entre quatro paredes o que elas querem no real é liberar o néctar do amor pois em seguida vem aquela vontade de ser amada, entre quatro paredes, as putas(com todo respeito a mulher), querem ser putas porém querem logo após serem tratadas com carinho e muitas carícias assim é a mulher ...
    Por GUTEMBERG PASTOR

    ResponderExcluir
  21. A poesia é cortesã de sua sorte,
    se prostitui em cada verso
    e se na dor se faz forte
    faz do poema libertino seu universo.

    ResponderExcluir
  22. Fernando mais uma demonstra a imensa capacidade do maranhense em poetizar as palavras e transformar o simples em luxo tão complexo que nos faz acreditar que somos mesmo especiais. Parabéns Fernando ! Ismael Filho, jornalista.

    ResponderExcluir
  23. Parabéns amigo poeta tenho uma grande admiração aos seus trabalhos.Um poema diferenciado por trazer a literatura de forma clara e bem transparente, mostrando uma realidade em um mundo imaginário de figuras e "sentimentos" na escrita, parabéns Atallaia!

    ResponderExcluir
  24. Parabéns!Poema erótico escrito com naturalidade e amor. Excelente imaginação. Abraços.

    ResponderExcluir
  25. Deus foi perfeito quando resolveu colocar um poeta como vc no mundo! Saber tocar os nossos corações,passar essa emoção... em fim parabéns maravilhoso, ameiiii

    ResponderExcluir
  26. Parabéns grande mestre por nos compor poemas com um imaginário popular de forma muito real... Jorge Lobato

    ResponderExcluir
  27. Fodaçooooo!!!!! Parabens mais uma vez Poeta, vc nos representa.

    Eduardo Santos-CEUMA I, Odonto

    ResponderExcluir
  28. maravilhoso como sempre,como tudo que escreve.um mestre em falar do cotidiano.yaci fontoura

    ResponderExcluir
  29. Parabéns meu amigo Fernando mais uma vez nos traz uma obra cheia de inspiração...A cada poesia lida um sentimento diferente. Abraço!

    ResponderExcluir
  30. O poema nos remete a um olhar critico sobre a mulher, uma bela análise sobre o pensamento feminino e uma boa analogia com questões contemporâneas . Parabéns!

    Cageo-UFMA

    ResponderExcluir
  31. Revela uma situação corriqueira e que acontece nas instituições publicas maranhenses onde as''damas'' dos ricos de plantão, entre estes deputados, empresários e altos funcionários, buscam diversão às escondidas de seus maridindinhos. Tipico da vida brasileira. Pitoresco da vida maranhense.
    Nota 10 pela linda poesia. Impossível não ser sou fã..
    Joana

    ResponderExcluir
  32. Poema simplesmente incrível, carnal, intenso e inusitado. Adorei! Parabéns Fernando!

    ResponderExcluir
  33. Nossa! difícil encontrar um homem com alma feminina, com toda volúpia e intensidade. sim! um viva a liberdade e prazer em ser mulher.

    Jana

    ResponderExcluir
  34. Nossa Terra é produtora e reprodutora. Recheio de Atenas brasileira que expande-se por terras emaranhadas, eis que surge mais uma bela obra oriunda da ode de outros em outrora. Fernando Atallaia nos trouxe em palavras, as delícias da imaginação humana masculina a qual nunca deverá entender a imaginação humana feminina. Abraços, Rômulo Brandão, seu mais novo admirador.

    ResponderExcluir
  35. Há alguma coisa de medieval nos versos do poema Itinerário. No sentido de que o sexo aqui está contaminado pelo pecado, como se fosse praticado numa sacristia, mulher que se entrega, de forma devassa, na presença de uma imagem de Cristo. O cheiro do incenso e das velas, a beleza da consumação e o horror do arrependimento e do remorso. A teoria de que sem o pecador não existe o santo e que se pode alcançar a redenção, a perfeição, a santidade pelas estradas de sombras, pelos caminhos dos desvios, porque no fundo o que importa é o êxtase da chegada à meta final. E isso é libertação. Assim se chega ao outro lado da margem, viajando sem medo na poesia feliz de Fernando Atallaia.

    ResponderExcluir
  36. O que dizer? Fernando Atallaia, o mestre da poesia maranhense, ataca mais uma vez.Muito belo poema erótico e verdadeiro.

    Paulo de Tarso

    ResponderExcluir
  37. Nota-se que o poema entende o intimo do que se é, do que se quer ser. Revelando a objetividade do que transmite e também, agride. Em forma de um jogral, exibindo certos temporais. Parabéns, a entonação veracidou e casou bem a formação. Da amiga Joicy Carvalho

    ResponderExcluir
  38. Autenticidade, inteligência e ousadia em forma de poesia, onde vislumbra a mulher em uma das profissões mais antiga e consagrada... Mulheres prostitutas, putas, damas que fazem do seu corpo a curva do prazer carnal de um homem que anceia por sedução na mais pura selvageria sexual... Sexo libertinoso, imaginário, liberto e sem compromisso, onde o que vale é levar o parceiro, momentâneo, ao êxtase prazeroso do sexo casual com uma pitada de intimidade carnal entre os dois corpos, nus, unidos pelo sexo. A poesia das cortesãs, traçada em verso e prosa, no delírio sexual, na sedução e prazer da arte singular de satisfação masculina, em que a fantasia e a luxuria consagra o momento de afeto e preenche, muitas vezes, um coração vazio e solitário... O erotismo representado em forma de poesia refletindo e despertando o imaginário sedutor de cada leitor. Parabéns, Fernando Atallaia, pela sua sensibilidade, ousadia e sutileza em descrever, em forma de poesia, as prostitutas na sua mais autêntica capacidade de ser mulher e de se fazer mulher no êxtase do prazer sexual entre dois corpos nunca antes vistos, nunca antes tocados, mas que se entendem e se entregam ardentemente em um momento único de prazer e realizações fantasiosas e delirantes. Flávia

    ResponderExcluir
  39. Autenticidade, inteligência e ousadia em forma de poesia, onde vislumbra a mulher em uma das profissões mais antiga e consagrada... Mulheres prostitutas, putas, damas que fazem do seu corpo a curva do prazer carnal de um homem que anceia por sedução na mais pura selvageria sexual... Sexo libertinoso, imaginário, liberto e sem compromisso, onde o que vale é levar o parceiro, momentâneo, ao êxtase prazeroso do sexo casual com uma pitada de intimidade carnal entre os dois corpos, nus, unidos pelo sexo. A poesia das cortesãs, traçada em verso e prosa, no delírio sexual, na sedução e prazer da arte singular de satisfação masculina, em que a fantasia e a luxuria consagra o momento de afeto e preenche, muitas vezes, um coração vazio e solitário... O erotismo representado em forma de poesia refletindo e despertando o imaginário sedutor de cada leitor. Parabéns, Fernando Atallaia, pela sua sensibilidade, ousadia e sutileza em descrever, em forma de poesia, as prostitutas na sua mais autêntica capacidade de ser mulher e de se fazer mulher no êxtase do prazer sexual entre dois corpos nunca antes vistos, nunca antes tocados, mas que se entendem e se entregam ardentemente em um momento único de prazer e realizações fantasiosas e delirantes. Flávia

    ResponderExcluir
  40. Autenticidade, inteligência e ousadia em forma de poesia, onde vislumbra a mulher em uma das profissões mais antiga e consagrada... Mulheres prostitutas, putas, damas que fazem do seu corpo a curva do prazer carnal de um homem que anceia por sedução na mais pura selvageria sexual... Sexo libertinoso, imaginário, liberto e sem compromisso, onde o que vale é levar o parceiro, momentâneo, ao êxtase prazeroso do sexo casual com uma pitada de intimidade carnal entre os dois corpos, nus, unidos pelo sexo. A poesia das cortesãs, traçada em verso e prosa, no delírio sexual, na sedução e prazer da arte singular de satisfação masculina, em que a fantasia e a luxuria consagra o momento de afeto e preenche, muitas vezes, um coração vazio e solitário... O erotismo representado em forma de poesia refletindo e despertando o imaginário sedutor de cada leitor. Parabéns, Fernando Atallaia, pela sua sensibilidade, ousadia e sutileza em descrever, em forma de poesia, as prostitutas na sua mais autêntica capacidade de ser mulher e de se fazer mulher no êxtase do prazer sexual entre dois corpos nunca antes vistos, nunca antes tocados, mas que se entendem e se entregam ardentemente em um momento único de prazer e realizações fantasiosas e delirantes. Flávia

    ResponderExcluir
  41. Autenticidade, inteligência e ousadia em forma de poesia, onde vislumbra a mulher em uma das profissões mais antiga e consagrada... Mulheres prostitutas, putas, damas que fazem do seu corpo a curva do prazer carnal de um homem que anceia por sedução na mais pura selvageria sexual... Sexo libertinoso, imaginário, liberto e sem compromisso, onde o que vale é levar o parceiro, momentâneo, ao êxtase prazeroso do sexo casual com uma pitada de intimidade carnal entre os dois corpos, nus, unidos pelo sexo. A poesia das cortesãs, traçada em verso e prosa, no delírio sexual, na sedução e prazer da arte singular de satisfação masculina, em que a fantasia e a luxuria consagra o momento de afeto e preenche, muitas vezes, um coração vazio e solitário... O erotismo representado em forma de poesia refletindo e despertando o imaginário sedutor de cada leitor. Parabéns, Fernando Atallaia, pela sua sensibilidade, ousadia e sutileza em descrever, em forma de poesia, as prostitutas na sua mais autêntica capacidade de ser mulher e de se fazer mulher no êxtase do prazer sexual entre dois corpos nunca antes vistos, nunca antes tocados, mas que se entendem e se entregam ardentemente em um momento único de prazer e realizações fantasiosas e delirantes.

    ResponderExcluir
  42. ''E se amam?
    Continuam a fingir em seus castelos''- a Mulher de um certo deputado da AL conhecido na baixada como 'old par vencido' faz isso muito bem, tem um acessor do mesmo que ja torou a dita cuja,, tudo na moita
    parabens grande poeta essa poesia so fala a verdade

    claudinho liderança

    ResponderExcluir
  43. para putas, camélias e Primeiras-damas? Depreciativo. A construção não ficou boa. Crítica construtiva.

    ResponderExcluir
  44. Abusa do TROCADILHO e dar show de recurso linguístico, quantas putas não gostariam de ser um dia respeitadas como primeiras-damas? Quantas dessas damas não gostariam de um dia ser Putas e não podem? E no meio a rosa Camélia a flor exalando a beleza que é natural a todas, perfume que são nós mulheres alme da condição social. Querido muito obrigado por nos representar e defender as mulheres do mundo. AMO o seu trabalho. Beijos da Leca/CEUMA-Biologia

    ResponderExcluir
  45. Onde você encontrou inspiração para está escrita? E quais os signos do universo feminino que contribui com sua inspiração? Obrigado pelo o convite.

    ResponderExcluir
  46. Texto bem escrito e que descreve bem o cotidiano. Parabéns Fernando!!

    ResponderExcluir
  47. Grande arte: ilustrações históricas e texto exemplar. Mais uma vez parabéns e sucesso.
    Você conhece as mulheres e a arte da poesia como ninguém, me inspiro em ti cara, Valeu aí

    Patrick

    ResponderExcluir
  48. Parabéns meu amigo, por mais uma linda obra!

    ResponderExcluir
  49. Nos últimos tempos onde a ferramenta – Wat Sap por sua comodidade e amplitude, popularizou-se, permitindo encontrar uma variedade de pessoas amigas independente de qualquer matiz, já que a velocidade e a facilidade nos contaminou de uma certa maneira que acabou por deixar o facebook em um segundo plano.
    Rara não são às vezes em que acesso, o que foi uma febre nacional não muito distante e que ainda possui seus fiéis adeptos. Nessa esteira, em geral sempre encontro o velho amigo, o bloguista, jornalista, escritor e poeta maranhense Fernando Atalaia e que acaba me colocando em situações delicadas, pois sempre como uma nova publicação me estimula a realizar a leitura de seus versos e poemas e mesmo sem ter condições de aprofundar-me nos reais significados de suas obras, solicita a minha visão.
    Desta vez, seus escritos vão para as PUTAS, CAMÉLIAS E PRIMEIRAS-DAMAS.
    Imediatamente, me vem a lume a sensacional obra do escritor colombiano
    Gabriel Garcia Marquez, prêmio Nobel de literatura que escreveu Memórias de minhas putas tristes, sua primeira obra de ficção, em verdade um livro pequeno, romântico, sem frescura ou doçura nas palavras que nos leva a uma agradável reflexão do romance em si.
    Nessa obra o autor-narrador dessas memórias decide se presentear com uma noite de amor com uma adolescente virgem, sem rodeios, onde apresenta a história do velho jornalista que escolhe a luxúria para provar a si mesmo, e ao mundo, que ainda está vivo.
    Por outro lado, no intitulado poema de Fernando Atalaia, os diálogos indiretos, são ótimos, pois, fazem você prestar atenção e perceber que de maneira alguma, ele tenta ser desrespeitoso com as mulheres. Não percebi e nem interpretei dessa maneira, ao contrário, ele foi capaz de tratar melhor suas lembranças com o início da adolescência da grande maioria dos homens de nossa terra.
    Quem não desfrutou de experiências impares no alvorecer da puberdade ou pelo menos sonhou?
    Vivemos e nos desenvolvemos em mistos de lembrança e realidade e aquele que possui a capacidade de registrar esses flagrantes, só pode mesmo ser considerado um poeta.
    Parabéns Atalaia, você como sempre incomparável.
    Carlos Augusto Furtado Moreira

    ResponderExcluir
  50. Sem sombras de dúvidas você se destaca como um dos poetas mais importantes da sua geração e de uma década que marcou o nosso estado pela qualidade e pela lucidez artística, acompanho sempre seu blog onde tudo que escreves vem recheado de verdade e sentimento.
    Parabéns Querido, sou sua fã.

    Núbia

    ResponderExcluir
  51. Fernando mais uma vez utilizando-se de escolas poéticas como nesse poema um naturalismo contemporâneo. Parabéns meu amigo cada dia se aperfeiçoando as suas técnicas.

    ResponderExcluir
  52. BELO, COMO OS OLHOS DE QUEM VÊ AS CURVAS ARREDONDADAS, COMO SINÔNIMO DE ESTAR NO ALTO DO PARAÍSO. DESCREVE MUITO BEM, COMO ERAM E SÃO AS PUTAS-DONZELAS DE QUARTO OU DE RUA, ISSO NÃO IMPORTA, O QUE INTERESSA, É NO FINAL DE TUDO, O SENTIMENTO DE DESMAIO.

    ResponderExcluir
  53. BELO, COMO OS OLHOS DE QUEM VÊ AS CURVAS ARREDONDADAS, COMO SINÔNIMO DE ESTAR NO ALTO DO PARAÍSO. DESCREVE MUITO BEM, COMO ERAM E SÃO AS PUTAS-DONZELAS DE QUARTO OU DE RUA, ISSO NÃO IMPORTA, O QUE INTERESSA, É NO FINAL DE TUDO, O SENTIMENTO DE DESMAIO.

    ResponderExcluir
  54. Para mim um dos maiores do Brasil o nosso Maranhão ficou pequeno pra tão grande excepcional talento.
    Sara CONTABEIS

    ResponderExcluir

Postagens mais visitadas

Pesquisar em ANB

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações: agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com

Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB