quinta-feira, 18 de junho de 2015

Professor é preso por tirar fotos por baixo de vestido de clientes em supermercado

Um homem foi preso depois de supostamente tirar fotos por baixo da saia de duas compradoras de um supermercado.
John Wiggins, 55 anos, foi detido depois que utilizou um smartphone para fazer alguns cliques das mulheres que faziam compra em um Wal-Mart em Short Pump, Virgínia, nos Estados Unidos.
fotos
O plano “perfeito” do suspeito consistia em derrubar uma caixa de macarrão e se agachar para pegá-la perto de alguma mulher, enquanto se aproveitava da situação oportuna. 
O plano “perfeito” do suspeito consistia em derrubar uma caixa de macarrão e se agachar para pegá-la perto de alguma mulher, enquanto se aproveitava da situação oportuna. No entanto, uma das vítimas suspeitou que estava sendo fotografada e contou ao marido, que seguiu Wiggins e fez uma imagem dele realizando o mesmo truque em outra cliente desavisada.
A mulher que aparece na foto disse que ficou traumatizada em usar vestidos quando sai para fazer compras. “Eu definitivamente não uso um vestido para ir às compras e eu não sei quando eu vou conseguir fazer isso de novo”, revelou.
Wiggins, que trabalhava como professor em Clover Hill High School, foi demitido depois que as acusações vieram à tona. “Não queremos ele perto das nossas crianças”, disse um dos pais. O suspeito deve comparecer ao tribunal para ser julgado no dia 23 de julho.
Fonte: POP
Comissão da Câmara aprova redução da maioridade penal para 16 anos
Texto reduz limite penal para crimes hediondos e deve ser votado em plenário em 30 de junho
Após sessão tumultuada na semana passada, a Comissão Especial da Câmara dos Deputados que discute a maioridade penal aprovou a redução do limite etário de 18 para 16 anos em casos de crimes hediondos e outros atos violentos. A proposta teve 21 votos a favor e seis contrários. O relatório do deputado Laerte Bessa (PR-DF) apresentado na última quarta-feira foi alterado ontem após acordo entre PSDB, PMDB e outros seis partidos. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, pretende levar o texto ao plenário em 30 de junho.
De acordo com Bessa, as alterações foram feitas “para atender às diversas posições partidárias e ao clamor da sociedade pela repressão aos crimes de maior gravidade cometidos por adolescentes”. Ele ressaltou, contudo, que pessoalmente defende uma posição mais severa, sem a restrição para crimes hediondos. O deputado, que já foi delegado,afirmou que está convicto que um cidadão de 16 anos é capaz de entender o que é certo e errado após 30 anos de enfrentamento a criminosos.
Resultado de imagem para REDUÇAO DA MAIORIDADE PENAL 17 DE JUNHO
A PEC segue agora para o plenário da Câmara, onde precisa ser aprovada em dois turnos com votos de três quintos dos deputados (308 dos 513 votos).
A entrada na sessão foi limitada em função do tumulto ocorrido na semana passada, que acabou com estudantes feridos após a polícia legislativa usar spray de pimenta. Cerca de 30 estudantes contrários à medida protestaram do lado de fora do plenário. Eles colaram cartazes escrito “fora Cunha”, usaram apitos e gritaram “Eu quero mais escola e mais educação. Não à redução”. A presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Carina Vitral, contudo, entrou na sala. O deputado Éder Mauro (PSD-PA) pediu que ela fosse retirada, mas o presidente do colegiado, deputado André Moura (PSC-SE), permitiu que a jovem permanecesse. “(Os contrários à PEC) falam em escolas e outras coisas que podemos fazer no lugar de presídios. Eu prefiro mil vezes encher a prisão de bandidos do que encher os cemitérios de inocentes”, afirmou Mauro.
Manobras
No início da reunião, parlamentares contrários à redução apresentaram requerimentos para continuar a discutir o tema. Segundo a deputada Maria do Rosário (PT-RS), a discussão deveria se estender por mais 16 sessões. O deputado Albergo Fraga (DEM-DF) apresentou requerimento de retirada de pauta da Proposta de Emenda à Constituição 171/1993, que reduz a maioridade de 18 para 16 anos. O pedido foi uma manobra regimental a fim de evitar o adiamento da votação.
O requerimento de Fraga foi rejeitado por 21 votos a seis, de modo que perderam a validade todos os demais pedidos de adiamento apresentados por parlamentares contrários à proposta. “Essa matéria já está aí há mais de 20 anos e a atitude corajosa do presidente Eduardo Cunha deve ser levada em conta”, afirmou Fraga. Cunha garantiu que não iniciará a ordem do dia antes que a matéria seja votada na Comissão
Acordo
Bessa aderiu ao texto que vinha sendo negociado entre o PSDB e o PMDB nas últimas semanas conforme proposta do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP). Ele concordou em retirar do relatório o plebiscito sobre a redução da maioridade, que seria feito no próximo ano. Os tucanos, por sua vez, concordaram em retirar a necessidade do Ministério Público solicitar que o menor de 18 anos responda criminalmente. O acordo em torno da proposta foi negociado ao longo da manhã de hoje no gabinete do líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ). Além de Bessa e do peemedebista, estava presente o líder do PSDB, Carlos Sampaio.
A PEC segue agora para o plenário da Câmara, onde precisa ser aprovada em dois turnos com votos de três quintos dos deputados (308 dos 513 votos). De lá, vai para o Senado, onde passa pelo menos procedimento. Se aprovada, pode ser promulgada pelo Congresso Nacional, sem sanção da presidente Dilma Rousseff. O governo é contrário à redução e defende o aumento da punição para menores infratores e para maiores que aliciarem adolescentes para atividades criminosas, mas não conseguiu agir a tempo para evitar a aprovação da PEC na Comissão.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou ontem que o governo apoia substitutivo a projeto de lei do senador José Serra (PSDB-SP) que aumenta o tempo de punição de menores de três para oito anos. A proposta também altera o Código Penal para dobrar a pena dos que corromperem ou facilitarem a corrupção de menores de 18 anos. O texto será apresentado diretamente no Plenário do Senado, de acordo com Pimentel, a fim de agilizar a tramitação.

Assaltantes dos correios de Santa Helena morrem em confronto com a Policia

Três homens, fortemente armados, assaltaram na tarde desta quarta-feira (17) a agência dos correios da cidade de Santa Helena. A policia foi acionado houve troca de tiros e dai iniciou-se perseguição aos bandidos.
santa helena

Os homens que fugiram sentido a cidade de Turilândia, tiveram um segundo confronto com a guarnição da Policia Militar, onde dois  assaltantes tombaram.
O terceiro assaltante se embrenhou no mato, e ainda não foi capturado. A policia ainda faz rondas na região na tentativa de prender o terceiro assaltante.
As informações são do Blog do Vandoval

Nº de visitas

Confira a Hora Certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores