domingo, 15 de março de 2015

E continua rendendo a indicação de Bruno Guimarães de Sousa para ser o novo Chefe da 15ª Ciretran, de São João dos Patos. A revolta é geral.
Aliados de Flávio Dino em São João dos Patos e Paraibano não se conformam com a nomeação de Bruno para o cargo. 
Aliados de Flávio Dino em São João dos Patos e Paraibano não se conformam com a nomeação de Bruno para o cargo. Alegam que deram sangue para eleger o governador e agora ficaram a ver navios.
Nas fotos enviadas por  email para este blog, fica comprovado que Bruno foi um forte cabo eleitoral de Edinho Lobão(PMDB) na campanha passada.
Bruno 3
MAIS SEM-VERGONHICE Outro que vestiu a camisa da candidatura de Edinho na eleição de 2014 foi o prefeito Waldênio(PMDB). Nas imagens o prefeito carrega um adesivo com o número 15 – número do PMDB, estampado na camisa. Ele também já foi chamado 
Outro que vestiu a camisa da candidatura de Edinho na eleição de 2014 foi o prefeito Waldênio(PMDB). Nas imagens o prefeito carrega um adesivo com o número 15 – número do PMDB, estampado na camisa.
Cabe mencionar que a indicação de Bruno foi feita pelo deputado pula-pula Rogério Cafeteira (PSC), que também apoiou Edinho e agora virou líder do governo.
Fonte: Blog do Hilton

Manifestante faz topless na Avenida Paulista

RIO - Não chega a ser um toplessaço, mas uma manifestante em São Paulo resolveu tirar a blusa para protestar contra o governo da presidente Dilma Rousseff. A mulher fez topless em plena Avenida Paulista e gritava aos que passavam pela via: "O que a gente quer é ser livre, sem corrupção". Milhares de pessoas são esperadas para a manifestação que está programada para começar às 14h. A aglomeração já é grande no entorno do Museu de Arte de São Paulo (Masp).
Manifestante faz topless na Avenida Paulista
Não chega a ser um toplessaço, mas uma manifestante em São Paulo resolveu tirar a blusa para protestar contra o governo da presidente Dilma Rousseff. 

O Movimento Endireita Brasil, que está próximo ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), colocou pessoas com máscaras de Lula e Dilma atrás de uma "cela" montada num carro de som. Manifestantes gritavam: "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão", enquanto tiravam fotos e selfies
Um grupo chamado "SOS Forças Armadas" aderiu ao protesto que acontece em São Paulo contra o governo federal. Cristina Pebiani, líder do movimento, disse que o grupo vai seguir até o Quartel General do Exército:

- Não somos golpistas. Temos nosso direito de exigir mudanças. Queremos convocar nossas Forças Armadas porque os três poderes estão corrompidos - disse Cristina.


Fonte: Extra Rio 

Ciclistas tiram a roupa para pedir respeito no trânsito do Rio

Evento Pedalada Pelada pede mais políticas de conscientização.
Manifestantes reclamam do desrespeito aos usuários de bicicleta.

G1
A Cinelândia, palco tradicional de protestos na cidade do Rio de Janeiro, recebeu um grupo de manifestantes bem-humorados na tarde deste sábado (14). Cerca de 70 pessoas, de acordo com a organização do evento, participaram da segunda edição da Peladala Pelada do Rio de Janeiro. O evento é organizado pela World Naked Bike Ride e já aconteceu em várias cidades do mundo. Os ciclistas pedalam com pouca, ou nenhuma roupa, com o objetivo de chamar a atenção para a falta de segurança que sofrem diariamente. Veja acima no vídeo de Cristina Boeckel.
Ciclistas sem roupa na Pedalada Pelada (Foto: Cristina Boeckel/G1)
O evento é organizado pela World Naked Bike Ride e já aconteceu em várias cidades do mundo.
Apesar de o evento prever a presença de manifestantes nus, estes preferiram iniciar a Pedalada Pelada com alguma roupa pois, segundo explicaram os organizadores, o objetivo não era chamar a atenção para a nudez, mas para a "fragilidade do corpo humano sobre duas rodas em meio à um trânsito tão violento".
"(...) Me desnudo por que é a forma mais sincera de mostrar minha fragilidade. Um pedido de cuidado e respeito", diz o texto conclamando para o evento nas redes sociais. O grupo saiu pedalando da Cinelândia sem divulgar o destino, que segundo alguns dos manifestantes, deverá ser uma praia isolada onde então tirariam as roupas.
Ciclista sem roupa para mostrar a fragilidade do corpo (Foto: Cristina Boeckel/G1)
"(...) Me desnudo por que é a forma mais sincera de mostrar minha fragilidade. Um pedido de cuidado e respeito", diz o texto conclamando para o evento nas redes sociais. 
O fotógrafo Bernardo Lima, que usa a bicicleta na maioria dos seus deslocamentos, conta que o movimento pede mais atenção dos motoristas.
"Quem sabe agora, que estamos nus, os motoristas vão nos ver. A gente espera que a prefeitura dê mais condições para os ciclistas", diz Bernardo, que já foi vítima de dois atropelamentos.
Os ciclistas se preparam para sair na Pedalada Pelada (Foto: Cristina Boeckel/G1)
"A maioria das ciclovias liga o nada a lugar nenhum para quem usa a bicicleta como meio de transporte. É mais importante a conscientização dos motoristas do que encher a rua de ciclovias''. 
Apesar da grande malha de ciclovias do Rio, ele conta que elas foram pensadas para passeios.
"A maioria das ciclovias liga o nada a lugar nenhum para quem usa a bicicleta como meio de transporte. É mais importante a conscientização dos motoristas do que encher a rua de ciclovias. A lei nos dá o direito de andar na rua", explica.
Discursos antes do evento falaram da importância do corpo e lembraram o legado de Luz Del Fuego, a precursora do naturismo no Brasil. Músicas também animaram a concentração.
O casal Victor Barreto e Analia Gerpe também compareceu. Eles afirmam que a manifestação é importante para revelar a fragilidade do corpo humano diante da violência no trânsito.
A ciclista pinta o corpo para dar o recado (Foto: Cristina Boeckel/G1)
Mesmo de short e top, Analia estava com o corpo pintado em apoio à causa.
"Essa pedalada chama a atenção para a importância de lutar contra a falta de respeito. O nu é uma maneira de chamar a atenção", conta Victor, que é artista plástico e participou da primeira edição do evento.
Victor conta que sua relação com a bicicleta começou na infância, como a de tantas pessoas, mas, ao longo do tempo, a brincadeira se transformou em um meio de transporte. Segudo diz, faz 80% de seus deslocamentos de bicicleta.
Mesmo de short e top, Analia estava com o corpo pintado em apoio à causa.
"Ninguém respeita os ciclistas. Não vou ficar nua, mas apoio totalmente a causa", afirmou.

Desembargador afasta prefeito de Bacuri

Baldoino é afastado do cargo pela segunda vez.

O Tribunal de Justiça determinou, ontem sexta-feira (13), o afastamento imediato do prefeito de Bacuri, José Baldoino da Silva Nery (PP). Essa é a segunda vez que o gestor é afastado.
Atendendo pedido do Ministério Público do Maranhão (MPMA), que recorreu com ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa, o desembargador Antonio Fernando Bayma Araujo, acatou o pedido da promotora de justiça Alessandra Darub Alves, titular da Comarca de Bacuri.
Prefeito José Baldoino.
PELA SEGUNDA VEZ O prefeito de Bacuri, José Baldoino: ele ainda não assimilou a ideia de que a corrupção não é um bom negócio 
A Promotoria de Justiça de Bacuri requereu cópia, em julho deste ano, de todos os contratos de prestação de serviço de transporte escolar firmado pelo Município. Mesmo assim, os documentos não foram encaminhados ao MPMA.
Além disso, o Ministério Público pontuou que foi forjada licitação de 2014, fazendo-a de forma retroativa. Para concretizar esse objetivo, o município teria falsificado a assinatura de um advogado que prestou serviços a Prefeitura de Bacuri.

Denunciados PMs envolvidos na morte de mulher arrastada por viatura

Cláudia Ferreira foi baleada durante um tiroteio no Morro da Congonha, zona norte do RJ, em março do ano passado. Ao ser socorrida por policiais, ela teve o corpo arrastado por 350 metros, preso no porta-malas do carro.
Por Vladimir Platonow
Da Agência Brasil 
O Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro denunciou dois policiais militares pela morte da auxiliar de limpeza Cláudia Ferreira, baleada em um tiroteio com traficantes no Morro da Congonha, em Madureira, na zona norte do Rio, em 2014.
Claudia foi arrastada por cerca de 350 metros pela viatura policial, ao cair da mala do veículo, quando era levada para um hospital. Os policiais Rodrigo Boaventura e Zaqueu Pereira Bueno foram denunciados por homicídio doloso qualificado. A notícia foi divulgada hoje (12) pelo MP.
O Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro denunciou dois policiais militares pela morte da auxiliar de limpeza Cláudia Ferreira, baleada em um tiroteio com traficantes no Morro da Congonha, em Madureira, na zona norte do Rio, em 2014.
A 2ª Promotoria do 3º Tribunal do Júri entendeu que houve dolo eventual na conduta dos policiais, pois eles assumiram o risco de causar morte ao fazer disparos de fuzil em uma situação em que qualquer pessoa que passasse pelo local poderia ser atingida.
O MP concluiu que Rodrigo e Zaqueu, e mais quatro PMs que participaram da ação, alteraram o cenário do crime, na medida em que removeram o corpo de Claudia do local onde ela foi baleada, colocando-o no interior da viatura, a pretexto de socorrê-la, mesmo sabendo que já se encontrava morta.
Também foi denunciado o traficante Ronald Felipe dos Santos, por tentativa de homicídio qualificado contra os policiais e por associação para o tráfico. Na época do crime, a defesa dos policiais alegou que o motorista da viatura não se deu conta de que a porta traseira do veículo estava aberta e que Claudia estava sendo arrastada na pista. De acordo com a defesa, o motorista só descobriu isso quando foi alertado por outro policial.

Deprimida por não ter meninos, mulher mata as três filhas na Índia

Mulher tentou se matar em seguida, mas foi salva.
Segundo a imprensa, ela passava por tratamento médico.

Do G1

Uma mulher indiana matou suas três filhas e depois tentou se suicidar porque estava deprimida ao não conseguir ficar grávida de um menino, em uma sociedade na qual é notória a preferência pelas crianças do sexo masculino, informou nesta terça-feira (10) a imprensa local.

A mãe, Radha Devi, de 27 anos, tentou se suicidar na tarde de segunda-feira (9) em Nova Délhi se pendurando em uma árvore, mas alguns pedestres a viram e conseguiram salvá-la, afirmaram fontes policiais à agências "Indian Express" e "Ians".
Resultado de imagem para Deprimida por não ter meninos, mulher mata as três filhas na Índia
Antes de assassinar as meninas, Devi ligou para seu marido para contar sobre sua intenção, mas quando o homem chegou ao local do fato suas filhas já estavam mortas
A polícia encontrou no pé da árvore na qual a mulher tentou se suicidar os corpos de suas três filhas de 8 meses, 3 anos e 8 anos, que ao que tudo indica foram estranguladas.
Antes de assassinar as meninas, Devi ligou para seu marido para contar sobre sua intenção, mas quando o homem chegou ao local do fato suas filhas já estavam mortas, de acordo com a polícia.
A mulher passava por um tratamento médico por depressão e ansiedade e narrou à polícia no hospital para onde foi levada que não era feliz, ao ser incapaz de engravidar de um filho homem.
Na Índia a preferência pelos meninos ocorre porque o filho perpetua a linhagem, herda a propriedade e cuida de seus pais na velhice, enquanto, no caso das meninas, os progenitores devem pagar um grande dote à família do namorado.
Como causa desse fator cultural, no gigante asiático são praticados de maneira ilegal abortos seletivos e feticídios femininos.
O censo indiano de 2011 revelou que há 7,1 milhões de meninos a mais que meninas com idades compreendidas entre os 0 e 6 anos; e no total da população indiana (de 1,2 bilhão de pessoas), há 940 mulheres para cada mil homens.
Segundo a ONG ActionAid, a Índia "perde a cada dia" cerca de 7 mil meninas que morrem antes de completar 6 anos, algumas porque são assassinadas logo após nascer, em uma sociedade que "em grande medida despreza a mulher".

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB