quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015
Lava Pratos encerra temporada carnavalesca no Maranhão
Festa acontece neste fim de semana em São José de Ribamar e deverá reunir mais de 100 mil foliões. Programação nowww.sjr.ma.gov.br/carnaval
Os foliões maranhenses irão se despedir da temporada carnavalesca neste fim de semana no município de São José de Ribamar.

Trata-se do tradicional Lava Pratos, evento promovido pela administração do prefeito Gil Cutrim e que, este ano, chega a sua 69ª edição reunindo, durante dois dias, mais de 100 mil pessoas no Parque Municipal do Folclore Therezinha Jansen, na orla marítima da sede da cidade.

A programação do Lava Pratos 2015, que está disponível no www.sjr.ma.gov.br/carnaval , começa na noite de sábado (21), a partir das 20h com o show da Banda N´Gandaya seguido das apresentações de Forrozão Uz Primuz, Banda Energia, Banda Reprise e Banda Zero Hum.
Resultado de imagem para LAVA PRATOS SAO JOSÉ DE RIBAMAR 2015
Lava Pratos promete reunir multidão em São José de Ribamar no próximo fim de semana 
No domingo (22), como acontece todos os anos, a programação terá início mais cedo, a partir das 13h30, com os shows de Vamu de Samba, Ailana Lee e Banda, Banda Fênix, Pepê Júnior e Banda, Banda Kollé, Banda Argumento e Banda Pago Beats.

Nos dois dias, nos intervalos das apresentações, a festa será comandada pelo DJ Neto Blemes.

É importante ressaltar que também no domingo a Avenida Gonçalves Dias, principal da sede, estará aberta durante todo o dia para receber desfiles de agremiações.
 Segurança, trânsito e saúde
Para garantir a comodidade e segurança dos foliões, esquemas nas áreas da saúde, trânsito e segurança, por exemplo, foram montados pela Prefeitura e Governo do Estado.
Mais de 590 homens da Polícia Militar estarão no município trabalhando durante os dois dias de Lava Pratos. Barreiras disciplinadoras serão instaladas pela PM nas duas rodovias estaduais (MA 201 e MA 204) que dão acesso à sede da cidade executando o trabalho de fiscalização e de cumprimento da lei seca. Homens do Corpo de Bombeiros estarão prestando apoio na terra e no mar (botes e um barco resgate ficarão de prontidão em pontos estratégicos da orla). Seguranças privados contratados pela Prefeitura também estarão trabalhando e auxiliando as ações da Polícia e do CB.
O Hospital Municipal e o Centro de Saúde Honório Gomes, ambos localizados na sede da cidade, funcionarão em regime de plantão 24h com equipes médicas reforçadas e ambulâncias extras. 
O trânsito na sede do município sofrerá algumas intervenções no sábado à tarde (a partir das 13h) e durante todo o domingo de Lava Pratos. As vans que estiverem trafegando no sentido MA-201/Ribamar deverão seguir pela Avenida Clodomir Cardoso, passando pela Avenida Garrastazu Médici, Rua da Avenida até a Rua Bom Jesus (ponto final ao lado da Data Control). Os ônibus que estiverem trafegando nesse mesmo sentido deverão seguir pela Avenida Clodomir Cardoso, passar pela Avenida Garrastazu Medici e chegar ao Parque da Campina (ponto final).
A partir das 11h de domingo, o ponto de embarque e desembarque de passageiros, da linha Terminal Cohab/Ribamar, será no pátio externo da empresa TCM, localizada na Avenida Clodomir Cardoso.
Os ônibus que deixarem a Sede com destino a São Luis e Paço do Lumiar pela Estrada de Ribamar (rodovia estadual MA-201) deverão seguir o seguinte itinerário: Parque da Campina, passando pela Rua Humberto de Campus e Avenida Clodomir Cardoso até chegar à rodovia estadual. As vans que trafegarem nesse mesmo sentido farão o seguinte itinerário: Rua Bom Jesus, passando pela Avenida Clodomir Cardoso até chegar à MA-201. Carros de passeio poderão utilizar as ruas paralelas à Avenida Gonçalves Dias.
A história do Lava-Pratos

O Lava-Pratos de São José de Ribamar é considerado como o primeiro Carnaval fora de época do país, além de encerrar oficialmente a temporada momesca no Estado. 

O Lava-Pratos, de acordo com historiadores ribamarenses, teve sua origem no ano de 1946, no então chamado “Carnaval da Vitória”, assim batizado após a vitoriosa participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, que terminou em 1945.

Tudo começou quando a Escola de Samba Batuqueiro Naval, de São José de Ribamar, resolveu, na terça-feira de Carnaval, visitar outras agremiações em São Luís, dentre elas a Turma da Mangueira, Turma do Quinto e Águia do Samba. 

Por esse motivo, as escolas visitadas resolveram retribuir a gentileza, no primeiro domingo da Quaresma, na sede do Batuqueiro Naval, à época situada na Rua Nova, na sede do município. Dessa forma, outras agremiações começaram a peregrinação até São José de Ribamar, em razão de terem se sagrado campeãs do Carnaval da capital maranhense. 

Com o passar do tempo, outras Escolas de Samba e outros grupos carnavalescos da Ilha, como é o caso da Casinha da Roça, por exemplo, começaram a se deslocar todos os anos para Ribamar para abrilhantar o evento.
Programação Lava Pratos 2015 de São José de Ribamar

 Sábado – dia 21
20h – Banda N´Gandaya
21h – Forrozão Uz Primuz
22h – Banda Energia
23h – Banda Reprise
0h30 – Banda Zero Hum
 Domingo, dia 22
13h30 – Vamu de Samba
15h – Ailana Lee e Banda
16h30 – Banda Fênix
17h30 – Pepê Júnior e Banda
19h – Banda Kollé
20h30 – Banda Argumento
21h30 – Banda Pago Beats
Matéria enviada por Assessoria de Comunicação e Imprensa da PSJR

SwissLeaks o caramba! O nome do negócio é Suíçalão do HSBC

A mídia que achincalha a Petrobrás protege indecorosamente o HSBC e os barões ladrões por trás desse grande escândalo financeiro.


Por Antonio Lassance

Um escândalo de grandes proporções abala o mundo das finanças.


O assunto envolve ninguém menos que o segundo maior banco do mundo, o HSBC, e políticos, grupos de comunicação, esportistas, artistas e demais celebridades do mundo dos superendinheirados.


Os bacanas, milhares deles brasileiros, cometeram crimes de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e evasão em grandes proporções. Isso sem contar com outros crimes que podem estar associados à origem do dinheiro.


Depósitos milionários foram feitos no banco britânico HSBC, em sua filial na Suíça, para desviar montanhas de dinheiro que deveriam ser pagas em impostos, mas que preferiram fazer um passeio pelos Alpes.


Não se trata de dinheiro privado. É dinheiro público depositado em contas privadas. É corrupção da grossa, mesmo que feita por 'gente fina' - gente diferenciada, pelo menos por suas contas bancárias; e gente educada, pelo menos na arte de sonegar impostos e lavar dinheiro. 

reprodução (montagem: Carta Maior)
Depósitos milionários foram feitos no banco britânico HSBC, em sua filial na Suíça, para desviar montanhas de dinheiro que deveriam ser pagas em impostos, mas que preferiram fazer um passeio pelos Alpes.

Sonegação e lavagem de dinheiro são e devem ser tratados como crimes de assalto aos cofres públicos. Por isso, a tradução exata do escândalo conhecido lá fora como SwissLeaks (**), em bom Português, é Suíçalão.


Suíçalão do HSBC, para ficar claro o mentor intelectual do crime e para manter no ar a suspeita, mais que plausível, de que muitos outros bancos possam ter feito o mesmo.


É preciso tratar o caso pelo apelido que ele merece, nem acima, nem abaixo do que se fez com os mensalões, o petrolão e o trensalão.


Chega de camaradagem com a corrupção privada. Sonegação e lavagem de dinheiro são coisas de gente que faz - como dizia a propaganda do finado Banco Bamerindus, doado a esse mesmo gigante das finanças, o HSBC, por um Banco Central que foi sempre muito benevolente com Londres e a Suíça.


O fato de que os crimes relatados vinham sendo cometidos há décadas deixa claro como o mundo dos ricos é mantido em uma zona de conforto por governos - incluíndo-se aí seus bancos centrais -, judiciário e imprensa, mesmo quando as táticas são mais que conhecidas.


O escândalo ainda mostra como os grandes bancos são as maiores lavanderias do planeta. O HSBC não apenas abriu suas portas e seus cofres para os depósitos em dinheiro. O banco orientou clientes a como realizar em segredo práticas sabidamente criminosas.


Para coibir a prática de forma mais eficaz seria preciso estabelecer uma regulação do sistema financeiro internacional que impusesse maior transparência e punições mais duras. Alguém imagina que, sem isso, coisas desse tipo jamais irão se repetir? Claro que não. Ficar à espera de vazamentos é pouco.


Os barões ladrões brasileiros estão na nona colocação entre os que mais surrupiaram dinheiro, com a ajuda do HSBC suíço.

O valor sonegado apenas por esse seleto grupo está estimado, por enquanto, em R$ 20 bilhões.


O valor é próximo aos R$ 18,7 bilhões não pagos em impostos pelo Itaú quando realizou a fusão com o Unibanco, em 2008.


O dinheiro dessas duas 'pequenas' sonegações é maior que o de qualquer outro escândalo de corrupção, mas nem todos se escandalizam em igual proporção.


A corrupção fiscal é hoje o principal inimigo do Estado brasileiro, de suas políticas sociais, como a saúde, há décadas subfinanciada, e até mesmo de suas políticas fiscal e monetária.


Daria para pagar um bom pedaço dos juros da dívida pública com o dinheiro dos ricos, ou melhor, o dinheiro dos pobres que os ricos preferem sonegar.  


Apesar de todas essas evidências, o escândalo de corrupção até agora tem merecido apenas notas de rodapé do cartel de mídia aqui presente.


Como na época da ditadura militar, sabemos detalhes do escândalo mais pela mídia internacional do que pelo cartel midiático que nos habita.


A mídia que achincalha a Petrobrás protege indecorosamente o HSBC e os barões ladrões por trás desse grande escândalo financeiro. Todos são tratados com candura ou mantidos em obsequioso segredo.


É que, para nossa mídia orwelliana, todos são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros.

Antonio Lassance é cientista político.


(**) A expressão SwissLeaks se refere aos vazamentos ('leaks') que permitiram que investigações sob segredo de justiça se tornassem públicas. A Suíça ('Swiss') foi o destino preferido do dinheiro roubado.

Justiça anula eleição da Câmara de Central do Maranhão

Blog do AM

O juiz José Jorge Figueiredo dos Anjos Júnior, titular da Comarca de Guimarães, respondendo pela Comarca de Mirinzal, decidiu anular a sessão da Câmara Municipal de Central, realizada no dia 12 de dezembro passado, em que o atual presidente, vereador Felisvaldo Prazeres Barros, o Valdinho (DEM), tomou uma decisão inesperada: sumiu com o livro de ata para evitar o registro de outras candidaturas, reuniu alguns aliados [a minoria] fora da Câmara e proclamou-se presidente reeleito do legislativo municipal.
Na época, Valdinho sem fundamentação legal impediu o registro da chapa de liderada pelo vereador Claudenilson Cardoso Costa, o Nilson de Godo (PSL) à Mesa Diretora. Em seguida, ignorou a inscrição dos opositores e considerou-se reeleito para o biênio 2015/2016.
Valdinho x Nilson: os dois disputam na Justiça o poder de comandar a Câmara
Valdinho x Nilson: os dois disputam na Justiça o poder de comandar a Câmara
Mediante a decisão do presidente Valdinho, uma bancada formada pela maioria dos vereadores se reuniu no dia 1º de janeiro de 2015, para eleger Claudenilson Cardoso Costa, o Nilson de Godo (PSL), como presidente. O resultado do pleito foi registrado na Serventia Extrajudicial de Mirinzal, no Livro de Registro Civil de Pessoas Jurídicas n° 01, fls. 272-272v.
Prefeito Benedito Barros, ao lado dos dois filhos: um é o prefeito de fato, o outro é o presidente da Câmara eleito numa eleição com indícios de fraudes.
Depois do resultado favorável, Nilson de Godo ingressou com uma ação por abuso de poder pedindo, inclusive, a anulação do pleito que elegeu Valdinho como presidente da Casa Legislativa.
Processo por abuso de poder foi protocolado no dia 29 de janeiro
Processo por abuso de poder foi protocolado no dia 29 de janeiro
Em sua decisão, o juiz considerou a eleição de Nilson de Godo dentro dos parâmetros de legalidade previstos no regimento interno da Câmara.
Portanto, a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores do Município de Central do Maranhão para o biênio 2015/2016 realizada em 01.01.2015, cuja ata fora juntada a fls. 35-37, mostra-se dentro dos parâmetros de legalidade previstos no estatuto interno da referida entidade”, diz trecho da decisão.
INDÍCIOS DE FRAUDE
Na decisão ao qual o blog teve acesso, o magistrado afirmou que existem indícios de que houve ilegalidade na eleição do vereador Valdinho para permanecer no comando da Câmara.
De acordo com o disposto no Regimento Interno acostado aos autos, a eleição da Mesa Diretora se dá por maioria absoluta (artigo 14 do Regimento Interno), porém, a alteração do Regimento Interno se dá por quorum qualificado de 2/3 ( artigo 171, §4º, alínea “e”, do Regimento Interno). Logo, há fortes indícios de que houve ilegalidade na eleição realizada em 12.12.2014, já que a data para a sua realização não poderia ser alterada naquele mesmo dia e nem com o quorum de apenas cinco vereadores. Por essas razões, determino a suspensão da eleição da Mesa Diretora da Câmara de Central do Maranhão para o biênio 2015/2016 realizada em 12.12.2014, registrada na Serventia Extrajudicial de Mirinzal”, concluiu o magistrado em sua decisão.
Homem morre afogado após se enroscar em rede de pesca em açude de Piripiri


Um homem morreu durante uma pescaria na quarta-feira (18), no Açude Anajás, em Piripiri. De acordo com relato de testemunhas Antônio Anísio, 46 anos, estava pescando no Açude com amigos e parentes quando uma tarrafa, um apetrecho de pesca, enroscou na vítima.

Os profissionais do SAMU ainda tentaram reanimar a vítima por vários minutos com massagens cardíacas, mas já não havia mais o que fazer.

Antônio Anísio, que era morador do povoado Anajás, zona rural de Batalha, estava na casa de familiares e teria convidado o sobrinho para ir pescar.


Meio Norte

Deputado federal recebeu doação de secretário investigado por corrupção em Santa Rita

O secretário municipal de Saúde de Santa Rita, Uthan Avelino de Jesus Carvalho, que recebeu ‘superpoderes’ do prefeito de Santa Rita, Antônio Cândido Ribeiro, o Tim (PRB) para movimentar todas as contas da Prefeitura do Município fez doação à campanha do deputado federal Zé Carlos (PT), nas eleições de 2014. As informações estão disponíveis ao público no site do Tribunal Superior Eleitoral (www.tse.gov.br).
ENVOLVIDO ATÉ O PESCOÇO Doação de R$ 4 mil liga deputado a secretário investigado por corrupção em Santa Rita
O que chama atenção nisso, não é o valor da doação, mas, a relação entre financiador e candidato. A contribuição feita pelo auxiliar de Tim ao deputado petista foi no dia 4 de agosto de 2014, com valor “estimado” de R$ 4 mil.
Considerado o homem-forte da prefeitura de Santa Rita, Uthan Avelino tem forte ligação com o agiota Josival Cavalcanti da Silva, mais conhecido como Pacovan, investigado pela Operação Usura, deflagrada em 2011 pela Polícia Federal.
Ligado à agiota Pacovan, secretário Uthan Avelino que movimenta as contas da Prefeitura de Santa Rita doou R$ 4 mil para campanha do deputado federal Zé Carlos
Ligado à agiota Pacovan, secretário Uthan Avelino que movimenta as contas da Prefeitura de Santa Rita doou R$ 4 mil para campanha do deputado federal Zé Carlos
Uthan não tem muita experiência com gestão pública. Em 2005, por exemplo, o Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA) julgou irregular sua prestação de contas, referente ao exercício financeiro de 2003, ano no qual exercia a presidência da Câmara de Santa Rita. Além disso, ele tem nas costas extensa lista de processos, condenações e investigações judiciais, dentre outros processos.
Levantamento feito pelo blog revela que o doador da campanha do deputado Zé Carlos responde só em Santa Rita, a 03 processos, sendo 02 apenas na primeira instância. A demora da Justiça em julgar os casos coloca Uthan como réu em outras ações judicias propostas pelo Ministério Público no período em que ainda era presidente da Câmara de Santa Rita.
Investigado por corrupção no período em que ainda era presidente da Câmara de Santa Rita, Uthan Avelino  é réu em três ações judiciais
Investigado por corrupção no período em que ainda era presidente da Câmara de Santa Rita, Uthan Avelino é réu em três ações judiciais
No dia 13 de novembro de 2014, a promotora Karine Guará Brusaca Pereira, titular da Promotoria de Justiça da Comarca de Santa Rita, determinou a coleta de informações, depoimentos, certidões, perícias e demais diligências para apurar especificamente a prática de supostas irregularidades na contratação de empresas fantasmas na Prefeitura. Como Uthan é responsável pela assinatura de documentos relacionados, por exemplo, a ordenação de despesas, ele pode inclusive, ser arrolado em processos de desvio de recursos públicos que começaram a tramitar na Justiça. Desde que o caso começou a ser investigado pelo Ministério Público, o secretário desapareceu do Município.
Inquérito vai investigar corrupção na Prefeitura de Santa Rita
ESQUEMA NO ‘MINHA CASA, MINHA VIDA’Mas este não é o único caso de corrupção que pode envolver o financiador da campanha do deputado petista. O blog vai trazer nos próximos dias detalhes de um suposto esquema de desvio de recursos destinados à construção de moradias do Minha Casa Minha Vida, principal programa habitacional do governo federal. Aguardem!
Fonte: Blog do Antônio Martins

Idosa é presa após furtar perfume que deixa homens ‘fogosos’

Uma mulher de 82 anos foi presa após ter sido flagrada furtando um perfume de uma farmácia em Richmond (Geórgia, EUA).
102_1126-blog-sexiest
Anneliese Young estava tentando levar um frasco de “Sexiest Fantasies”, que segundo o fabricante, “deixar qualquer homem fogoso”
Anneliese Young estava tentando levar um frasco de “Sexiest Fantasies”, que segundo o fabricante, “deixar qualquer homem fogoso”, além de proporcionar uma “explosão de sensualidade” para as mulheres que usarem o produto.
De acordo com o site Smoking Gun, a idosa foi liberada após ser indiciada por furto.
Vagões descarrilam na Estrada de Ferro Carajás
Uma composição de vagões descarrilou na madrugada de hoje (18) na Estrada de Ferro Carajás, próximo ao município de Miranda do Norte. O tombamento interrompeu temporariamente a operação de transporte de cargas.
Segundo nota da Vale, em razão do incidente, as viagens no trem de passageiros estão canceladas nos dias 19 de 20 de fevereiro.
Uma composição de vagões descarrilou na madrugada de hoje (18) na Estrada de Ferro Carajás, próximo ao município de Miranda do Norte
A partir de sábado (21), os passageiros que já haviam adquirido seus bilhetes poderão se dirigir às estações para remarcar sua passagem ou solicitar reembolso. Mais informações podem ser obtidas pelo Alô Ferrovias: 0800 285 7000. Ainda segundo nota, a Vale lamentou os transtornos e reiterou o compromisso com a segurança de suas operações e das comunidades ao longo da ferrovia.
Fonte: iDifusora

Com patrimônio declarado de R$ 108,6 milhões em 2014, Alfredo Kaefer (PSDB-PR), o deputado mais rico do Brasil, enfrenta desde o final do ano a falência de 27 empresas. Processo foi decretado pela Justiça após serem identificadas “fraudes processuais e confusão patrimonial”

A justiça decretou a falência da Diplomata S/A, “holding”, que controla 26 empresas e pertence ao deputado federal Alfredo Kaefer (PSDB). A sentença seguiu recomendação do Ministério Público, já que um parecer do promotor de Justiça Carlos Bachinski apontou fortes evidências de fraudes processuais e confusão patrimonial, além de descumprimento do programa de recuperação judicial.

Alfredo Kaefer deputado mais rico
Alfredo Kaefer (PSDB), o deputado mais rico do Brasil que faliu 27 empresas (reprodução)
A decisão que decretou a falência do grupo descreve que as empresas não colaboraram com o processo de recuperação judicial e sonegaram informações solicitadas, como a entrega de documentos contábeis.
O grupo empresarial tentou, segundo a sentença, escolher os fatos a serem apresentados para afastar a responsabilidade dos controladores.

Mais rico do Brasil

O tucano Alfredo Kaefer é o deputado mais rico do Brasil, com patrimônio declarado de R$ 108,6 milhões em 2014.

Kaefer era dono de várias empresas, incluindo o Aeroporto do Oeste do Paraná, shopping center e até administradora de cartões de crédito.

O grupo Diplomata, de Alfredo Kaefer, responde a mais de 5 mil ações judiciais, grande parte delas na área trabalhista.

Paradoxalmente, Kaefer apareceu em uma decisão judicial no ano passado onde se declarava pobre para não pagar custas processuais de R$ 910 em uma ação que figura como réu.


Fonte: Pragmatismo Político

'El País': O Brasil corre o risco de sofrer um confronto popular?

Analistas temem que país entre em círculo de conflito como ocorre na Argentina e na Venezuela

O jornal espanhol El País publicou nesta quarta-feira (18/02) um artigo onde o correspondente Juan Arias traça um panorama da atual  situação política brasileira e os reflexos na população: “O Brasil, em vez de se dividir, sempre se uniu no passado para defender as grandes batalhas democráticas. Foi assim nas manifestações de massa das ‘Diretas Já’, para pedir a volta do direito ao voto popular, e quando, juntos, os brasileiros saíram às ruas, vestidos de preto, para exigir o impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello. O país nunca teve comichão pelo confronto popular”, diz Arias.
“Mas pela primeira vez os analistas começam a se preocupar com a possibilidade de que o Brasil entre, por motivos políticos e para reagir à corrupção e à crise econômica e de desencanto com a política, num círculo de confronto popular que pode deixá-lo mais parecido com a Argentina ou com a Venezuela do que com sua própria história”, alerta o jornalista.
Ele prossegue: “No Brasil começam a ressoar dois gritos preocupantes: o de impeachment da presidenta Dilma, recém-eleita nas urnas, e o de uma possível guerra civil, não sangrenta, mas de consequências difíceis de medir, em que os cidadãos poderiam acabar se enfrentando nas ruas, pela primeira vez não unidos em defesa de uma causa comum, mas com ruídos de ‘guerra’.
Resultado de imagem para JORNAL EL PAÍS
“O Brasil, em vez de se dividir, sempre se uniu no passado para defender as grandes batalhas democráticas. Foi assim nas manifestações de massa das ‘Diretas Já’, para pedir a volta do direito ao voto popular, e quando, juntos, os brasileiros saíram às ruas, vestidos de preto, para exigir o impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello. O país nunca teve comichão pelo confronto popular”, diz Arias, correspondente do Jornal. 
Já foi explicado pelos especialistas em direito que o pedido de impeachment não é nenhum golpe contra a democracia, já que está previsto na Constituição e pode ser solicitado por qualquer cidadão que acredite que haja motivos para isso”, lembra Arias, acrescentando que o impeachment precisa ter dois terços dos votos na Câmara e no Senado”.
“Difícil saber o eco popular que poderão ter as manifestações convocadas em caráternacional para 15 de março, para pedir a saída da presidenta”, diz Arias, acrescentando: “Tal pedido, inclusive bradado nas ruas pelos brasileiros descontentes com o governo, como um dia fez o PT ao pedir, na oposição, a saída do então presidente Fernando Henrique Cardoso, não deveria ser motivo de preocupação em termos democráticos”.
“O que hoje começa a dar medo é que algumas forças políticas, tentadas pelo demônio da perpetuação no poder a qualquer preço, em vez de buscar meios de sair da crise, possam acabar dividindo o país, como já acontece na Argentina e na Venezuela, com impulsos, como naqueles países, de amordaçar a informação livre.
Nada pior neste momento, por exemplo, que uma parte do partido do governo querer empurrar as ruas usando seus sindicatos e movimento sociais contra as medidas de austeridades defendidas por seu próprio governo para tirar o país da crise”, escreve o jornalista.
“A reação do governo frente a um pedido de impeachment da presidenta Rousseff deve ser apresentar fatos que mostrem que não há motivo para isso. Tudo, é claro, à luz do sol, aceitando os resultados das legítimas investigações, sem tentar domesticá-las nem manipulá-las.
A força do Brasil, invejada em vários continentes pelos países que sofrem com a tentação de rasgos nacionalistas ou ideológicos, sempre foi sua unidade nacional, apesar de suas imensas diferenças geográficas e culturais”, diz Juan Arias.
“A verdadeira democracia exige que até aos mais necessitados e indefesos seja dada a liberdade de escolher como e por quem querem ser defendidos, porque a História ensina o quão perigosa é a força desses excluídos quando descobrem que estão sendo enganados ou manipulados pelos malabarismos do poder”, conclui Arias, para o jornal El País.

Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores