sexta-feira, 31 de outubro de 2014
NOVO BOICOTE
Administração Gil Cutrim é conhecida no estado por perseguir, protelar e manobrar contra Direitos dos Servidores Municipais. 

 Por Fernando Atallaia
 Direto da Redação

Não bastasse a manobra ou o recente boicote contra o reajuste de 8% dos professores municipais, agora a administração Gil Cutrim ataca por mais uma vez. E desta feita contra os ribamarenses concursados em 2011 que, até hoje, não foram efetivados sob alegação da Prefeitura de certa ‘indisponibilidade financeira’.

Walker Aires
Walker Aires(foto) é um dos concursados em 2011 que nunca foi efetivado  
A gestão Cutrim, que mantém empresas contratadas a peso de ouro em detrimento dos concursados, vem sendo alvo de duras e severas críticas por parte da população ribamarense. Famílias inteiras reclamam da postura arbitrária do Executivo que insiste em ‘deixar de molho’ os profissionais que por direito já deveriam está trabalhando em suas respectivas funções. ‘’ Já se passaram três anos e nada, nunca fomos chamados e o MP não toma uma atitude nesse sentido, não sabemos mais o que fazer’’, denuncia Walker Aires, um dos concursados.

Para fazer frente ao problema, os ribamarenses que prestaram concurso nesse período alimentam uma página na internet (http://concursados2011.blogspot.com.br/) onde expõem a revolta com os Cutrim. A administração pública municipal, por sua vez, tenta, a todo custo, esconder o fato de não valorizar as categorias trabalhistas em Ribamar.

Gil Cutrim com o seu vice Eudes Sampaio: declarada aversão ao Funcionalismo Público Municipal que se faz ouvir  em manobras e boicotes contra os servidores 
Na prática, os maiores imbróglios já vivenciados nesse contexto se deram nessa esfera, onde polêmicas com guardas municipais, professores, pessoal da Saúde e demais servidores públicos municipais foram e são constantes e recorrentes ao longo da gestão do prefeito. Nos últimos quatros anos, a chamada ‘administração de Gil’ já provou por ‘A mais B’ não ter compromisso com o setor na cidade. Os concursados de 2011 não esperam entrar  2015 sem serem chamados. Para eles, diante da ausência do Ministério Público e das autoridades competentes, a esperança é, ainda, a última que morre. 
Mulheres luminense participam do encerramento da Campanha Outubro Rosa
As Secretarias Municipais de Políticas para as Mulheres e de Saúde realizaram, na manhã desta sexta-feira, 31, uma manhã de atividades para o encerramento da campanha do Outubro Rosa, na Academia da Saúde, no Viva Maiobão.
Cerca de 70 mulheres, com faixa entre 25 e 70 anos assistiram a palestras sobre a importância da atividade física e alimentação saudável e ainda, sobre o autoexame das mamas e demais temas relacionados à saúde feminina.  Em seguida participaram de aulas de alongamento, ginastica laboral, dança, e ao final, foi servido um café da manhã.
Baixe IMG_1376.JPG (270,3 KB)
Cerca de 70 mulheres, com faixa entre 25 e 70 anos assistiram a palestras sobre a importância da atividade física e alimentação saudável
Para a aposentada, Antônia Maria da Conceição, 65, a manhã foi muito proveitosa, com as palestras e atividades. “Todos os dias faço caminhadas e participo das atividades da Academia da Saúde”, contou.
Durante o mês de outubro, foram realizadas blitz, palestras preventivas em todas as 15 unidades de saúde, mutirão do autoexame e panfletagem.
A secretária da Mulher, Carla Sousa, ressaltou a grande quantidade de mulheres que aderiram à campanha e realizaram o autoexame. “ Alcançamos neste segundo ano do Outubro Rosa em Paço do Lumiar números significativos de mulheres atendidas e continuaremos em atividade para chegarmos cada vez mais próximos dessas mulheres com nossos serviços de prevenção e orientação”, frisou a secretária.
Baixe IMG_0893.JPG (240,2 KB)
Durante o mês de outubro, foram realizadas blitz, palestras preventivas em todas as 15 unidades de saúde
Servidores – Na ultima quinta-feira, 30, a Coordenação de Saúde da Mulher promoveu um encontro com servidores, onde tratou sobre a saúde feminina, e foi apresentada a palestra “Amor e Sexo”, pelo médico ginecologista Dr. João Neto.
A coordenadora de Saúde da Mulher, Bianca Mendes destacou os serviços realizados nas UBS, voltados para a saúde feminina, bem como as consultas , encaminhamentos ao especialista e exames citológicos que hoje são realizados no próprio município.

Matéria enviada por Coordenação de Comunicação da Prefeitura de Paço do Lumiar. 

Maranhãozinho - De Josimar, eleitores não lembram nem o número


Por Henrique Bois
Blog do Bois 

Maria Edinilson Lopes do Nascimento, 54 anos, não sabe ler nem escreve seu nome. Tem vaga noção de números e documentos, entre eles o título de eleitor. No dia 5 de outubro, Maria saiu de casa acompanhada do neto para votar. “Não me lembro do número”, responde sobre a indagação para quem votou. “Foi meu neto de 13 anos que apertou o botão”, confessa a ilicitude. 

Dona Maria do Nascimento: carvão e roça de juquira ajudam Bolsa Família
Maria do Nascimento é moradora de Maranhãozinho, município distante 232 km da capital, que vinte anos depois de criado gerou um fenômeno eleitoral jamais imaginável: Josimar de Maranhãozinho. Nome próprio inspirado numa clássica alusão à figura de linguagem em campanhas eleitorais. Josimar Cunha Rodrigues (PR), natural de Várzea Grande (CE), foi eleito deputado estadual depois de ter sido prefeito do município no oeste do Maranhão.

É mais que provável Maria ter sido uma dos 99. 252 eleitores que votaram para deputado estadual em Josimar de Maranhãozinho, número 22.000 no TRE-MA, campeão de votos para a Assembleia Legislativa do Maranhão nas eleições estaduais deste ano. Maranhãozinho tem apenas 6.817 eleitores aptos a exercer o direito do voto. No primeiro turno, a presidenta Dilma Rousseff recebeu 83,14% dos votos disputando com Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB), segunda colocada com 8,41% dos votos válidos.

Obra de quase R$ 1 mi se apagou na memória da população e das contas do governo
Com quase 15 mil habitantes, próximo à fronteira com o estado do Pará, Maranhãozinho, um paradoxo da gramática que sintetiza a realidade do estado, é um dos campeões de carência no estado.  Por outro lado, o desperdício ou desvio de recursos está na porta de entrada e saída do município.  Exemplo disso são os R$ 994.897,96 oriundos do Ministério do Turismo para construção dos portais de entrada da cidade. A obra que deveria ser iniciada em 30 de dezembro de 2011. Não teve início, nem fim.

A casa onde mora Maria Nascimento, na rua da BR (oficialmente Avenida Luiz Rocha), fica do lado oposto e a poucos metros de distância das casas de Josimar e do atual prefeito Auricélio, ex-motorista e vizinho conjugado do ex-prefeito. Embora modesta, a residência está acima do aspecto medonho de mais de 400 mil moradias no Maranhão.
O caminho para a triste Maranhãozinho no Maranhão: cidade desolada pela corrupção 
Enquanto na fachada da casa do deputado eleito ainda tremulam bandeiras de campanha e banners estampados com sua sorridente figura, a placa fixa ao lado da modesta moradia de Maria Nascimento anuncia a venda de carvão ao custo de R$ 13 o saco. Maria diz ter visto poucas vezes o deputado eleito, ex-prefeito do município.

“A de Josimar tá gastando mais de 30 milhões”, ironizou o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, Edmar Cutrim, em conversa telefônica gravada ilicitamente pela govenador Roseana Sarney (PMDB), dias antes do primeiro turno das eleições. Em linguagem tosca e corriqueira no submundo, Cutrim se referia aos superlativos gastos de campanha do ex-prefeito de Maranhãozinho. 

Residências do ex-prefeito e deputado eleito e do atual prefeito: condomínio do poder
Os números em Maranhãozinho são grandes para pequenas obras. A construção de uma praça na sede do município, outro convênio com o Ministério do Turismo, no valor de R$ 1,4 milhão, foi iniciada em junho deste ano, em plena copa do mundo. O prazo de execução se estende até julho do próximo ano.
A previsão e gastos do deputado eleitor era de R$ 5 milhões, valor acima do patrimônio declarado à Receita Federal do empresário (!): um pouco acima de R$ 6 milhões. Todas essas cifras soam estranhas. São aumentativos para um mundo zinho que Maria compartilha com os poucos vizinhos numa cidade pacata – em dez meses deste ano não houve registro de um único assassinato -, mas sem perspectiva na margem da BR – 316. Nem por isso a viatura da PM economiza gasolina com rondas ostensivas principalmente durante ensolaradas manhãs.

A placa anuncia obra iniciada na Copa de 2014
Muitos dos quase cem mil eleitores de Josimar de Maranhãozinho desconhecem sua trajetória política. Mas conhecido pelas festas que promove na região, regada a muito forró e farra, Josimar necessita apagar o passado. Como legislador terá, no mínimo, contato imediato com a ilegalidade do nepotismo, gravado em bronze no prédio do terminal rodoviário do município, inaugurada no apagar das luzes da sua administração. Além de agradecer com veemência à Hidraelo pelos serviços realizados entre 2005 e 2012, período de sua gestão, Josimar deixou o nome da secretária municipal de obras, Maria Josenilda Cunha Rodrigues.  

Viatura da PM circula numa ronda diurna em Maranhãozinho
Realidade das Marias

 “Meu marido é roçadeiro de juquira”, brinca Maria. O sustento mesmo advém do Bolsa Família que ela afirma ser de R$ 226,00. “Tem gente que ganha até 400. Eu não sei como é isso”, diz a maranhãozinhense, numa licenciosidade ao gentílico, já que Maria é natural de Colônia, município de Igarapé Grande.

O cadastro é do filho, David Anderson, 17 anos, fora da sala de aula desde o ano passado. “Ele vai com meu marido pra roça”, revela a mãe de duas filhas, ambas com cadastro no CadUnico, do Ministério do Desenvolvimento Social. Maria sonha com a aposentadoria do marido, entrevado pelo trabalho e quase incapaz de angariar o sustento da casa.

As despesas correntes ficam por conta da assistência. Assim é com o oftalmologista que dá consulta de graça, mas vende o óculo. Daí aumentar a dificuldade em Maria do Nascimento identificar números.

A vizinha, Maria Edilene Linhares do Nascimento, que diz estar inscrita no Projovem e perceber bolsa de R$ 30 por mês, padece do mesmo mal. Matriculada na Unidade Integrada Henrique de La Roque, aos 18 anos, Maria Edilene está na 8ª série. No município existe uma única escola de ensino médio: a Gardênia.ues, aferroado à parede do prédio.

DA POESIA DE FERNANDO ATALLAIA E SOBRE O PESO DA FLOR

Hagamenon de jesus
Por Hagamenon de Jesus 
 A mais importante pergunta que normalmente nós, da escória, nos fazemos ao ler algum poema é: “Esta criatura é mesmo parte da estapafúrdia e maviosa escória da poesia?” Ou a Grande Mãe Poesia o chamou, momentaneamente, apenas para tocá-lo, para encantá-lo e, com seu poder de sensibilizar, transportá-lo, por certo tempo, para além do animal humano?  Ou com este chamado pretende que novos caminhos se abram em seu ser, para tocá-lo e dirigir seus passos em sua real direção? Ou esta pessoa apenas se equivoca e imagina que pode ludibriar a poesia e usá-la para, de algum modo, tirar proveito disto? Neste último caso, tenha as vantagens que tenha, engana-se a si mesmo.  Toda engodo e chumbo, a poesia será como uma flor que se fecha e se nega em seu coração. Flor de engano. E ele sempre saberá disto, do quanto pesa esta flor.
Nos demais casos, a Grande Mãe Poesia é sempre o passo que inicia a jornada de um homem, um homem que a partir de agora foi tocado pela crua ou mirífica beleza da nossa humanidade. 

Creio que no caso de Fernando Atallaia e de seu Ode Triste para Amores Inacabados, pode-se falar da existência de um ser poético manejando as palavras. Gostei da ideia de inconclusão da experiência amorosa que permeia o título. É uma gota de pragmatismo na semântica romântica que ele sugere. E já que o tempo está mesmo meio inconcluso e dilacerado... E já que de há muito tempo o sentimento romântico já não é tão romântico assim...

As experiências amorosas, transfiguradas em poesia pelo autor, demonstram parte do manancial estético-formal no qual se banhou: dos românticos aos modernistas (e ciente das experiências posteriores), mas optando, para este livro, principalmente pelo recurso do verso livre modernista. Já o conteúdo é tocado a doses de amor, mas modulado pela concreção da vida e das circunstantes históricas. É um amor feito de açúcar cristal e de chorume, límpido e impuro, e concreto, bruto, com seus escolhos, com seus gorgulhos. São estas matizes, esta modulação que se percebe nestes versos que apontam para os hipócritas: “Caiam fora morram sem a foda saiam fora sem a xana de uma donzela na cadeira / Pois além dessas teias há ainda muitos girassóis/ muitos girassóis” (Rendez-vous).

Talvez a principal ideia-tema que direciona o livro seja a de que digam o que disserem, façam o que fizerem, não foi possível deixar de amar. Ser despedaçado e sórdido, insuficiente e fraco, este condicionado ser não pôde deixar de amar. Mas amou o estrangulado agora do nosso amor, como nós todos, e com todos os nós: “Amei com a tempestade na garganta / com o grito preso aos lençóis / Amei com todos os nós (...) / Sereias mal amadas sem nenhum mar. (...) / Quem sabe do amor mais que eu que amei de muletas (...)” (Amores à Parte).

Pensa-se que pelo que o livro propõe, ao autor lhe foi suficiente o recurso do verso livre que predomina nos poemas. Contudo, pelo que já conhece de recursos estético-formais em sua convivência com a poesia e a música, bem como pela sua já reconhecida capacidade criativa, crê-se que à medida que sua produção poética for seguindo e novas intenções artísticas forem surgindo, teremos a utilização de mais recursos de seu arsenal estético-formal. Digo isto porque penso que forma é a necessidade de um conteúdo e de uma intenção artística, não o inverso. Senti falta também de um número maior de poemas de temática mais declaradamente existencial, que sei ser uma outra face do poeta, conforme aparece em “A Casa”, um dos bons poemas do livro. Mas sei também, pelo que o próprio título do livro deixa claro, que neste momento não era esta a intenção.
E enquanto aguardo o que ainda virá da produção poética de Fernando Atallaia, fico tranquilo, fico tranquilo contemplando, desfrutando desta flor triste que é “Em nome da Filha”, bela, tocante e dolorida elegia em que o poeta semitona nosso lado romântico-piegas, exploração sexual e a sordidez do social:

Saqueei a vida da mulher que me apareceu vinda do interior 
                                                  Do interior de suas faltas de seus olhos de seus ossos
(...)
Todo dia é a mesma coisa tento amenidades                  
E digo que lançarei um livro
A mulher sorri um sorriso sem dentes
                   e mostra o decote
Chamar-se-á Ode Triste para Amores Inacabados
(...)
A mulher na cadeira sentada à meia noite é a mesma criança que nasce sem pelos
                                                                                                                            Sem nada


Sim, ao ler este e outros poemas do livro de Fernando, fico tranqüilo. Fico tranqüilo e certo de que o poeta poderá continuar cultivando, em forma de poesia, suas flores tristes e seus girassóis, porque, para ele, nunca lhe pesará esta flor.


Hagamenon de Jesus

 Poeta e crítico literário maranhense contemporâneo.

Após derrota, PSDB pede ao TSE recontagem de votos e auditoria das urnas

Texto protocolado diz que a confiabilidade da apuração da urna eletrônica tem sido questionada pela população nas redes sociais
Da Redação
O PSDB entrou nesta quinta-feira (30) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com um pedido de auditoria a fim de que se verifique a "lisura" da eleição presidencial. A ação, assinada pelo coordenador Jurídico Nacional do PSDB, o deputado Carlos Sampaio (SP), pede que seja autorizada a criação de uma comissão formada por técnicos indicados pelos partidos políticos para a fiscalização dos sistemas de todo o processo eleitoral.
O texto protocolado diz que a confiabilidade da apuração e a infalibilidade da urna eletrônica têm sido questionadas pela população nas redes sociais. O partido argumenta que a sociedade está questionando a veracidade do resultado das eleições e diz que a auditoria é necessária para garantir a “confiança do povo brasileiro no processo eleitoral”.
Aécio ainda não exorcizou a derrota e pede recontagem
O advogado da campanha do PSDB Flávio Henrique Pereira disse - em entrevista ao site G1 - que o objetivo é "restabelecer a credibilidade da apuração dos votos. “Basta uma pequena análise na internet para ver que surgem dúvidas de todos os lados. Defendemos que se faça a auditoria para restabelecer a credibilidade do sistema”, disse.
“Nas redes sociais os cidadãos brasileiros vêm expressando, de forma clara e objetiva, a descrença quanto à confiabilidade da apuração dos votos e a infalibilidade da urna eletrônica, baseando-se em denúncias das mais variadas ordens, que se multiplicaram após o encerramento do processo de votação, colocando em dúvida desde o processo de votação até a totalização do resultado”, diz o texto.
Na eleição, o candidato a presidente pelo PSDB, Aécio Neves, teve 51 milhões de votos (48,36%) contra 54,5 milhões (51,64%) da presidente Dilma Rousseff, reeleita pelo PT.

Bira do Pindaré na Sectec; Fernando Furtado na Assembleia

Bira do Pindaré na Sectec para Fernando Furtado assumir na Assembleia 
O governador eleito, Flávio Dino (PCdoB), anunciou na noite desta quinta-feira (30), o deputado estadual eleito Bira do Pindaré (PSB), como o novo secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SecTec). O parlamentar é professor e Mestre em Políticas Públicas. Desta forma, o segundo suplente da Coligação Todos pelo Maranhão, o pescador Fernando Furtado (PCdoB) assume uma vaga na Assembleia.

Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores