sexta-feira, 23 de agosto de 2013
A musicalidade engajada de Fran Moreira


Atuando em São José de Ribamar desde 1996, Fran Moreira é um dos grandes ínterpretes da cidade. Mas o comprometimento do músico vai bem mais além de sua musicalidade.


Por Fernando Atallaia
Editor da Agência Baluarte
atallaia.baluarte@hotmail.com


Professor de violão, intérprete, músico plural, compositor e um dos maiores entusiastas da música produzida em São José de Ribamar. Este é Fran Moreira. Conhecido por defender uma musicalidade engajada às questões que permeiam o universo dos artistas do município, Moreira começou a dá os primeiros acordes na carreira ainda na década de 90, quando conheceu o mestre João de Deus, um dos expoentes da arte-educação na cidade.

Fran conta que à época teve a sorte de ser convidado pelo artista cinquentenário para participar de uma de suas aulas-show. Animado com o convite, de lá para cá não parou mais. Contabilizando centenas de apresentações na cidade balneária, e em projetos musicais de São Luis, Fran Moreira passeia por uma diversidade de ritmos e gêneros como MPB, Reggae, Blues, Jazz e Música Regional. Em 2004, levou o 1° lugar num festival de música promovido pelo Bar do Sérgio na orla marítica.
O cantor e compositor Fran Moreira: um dos grandes nomes da música produzida em São José de Ribamar
Quando perguntando sobre suas influências musicais o cantor é categórico. '' Zé Ramalho, Zeca Baleiro, Ritta Beneditto, Fernando Atallaia, tem muita gente boa que ouço e admiro. Atualmente ouço muito Fernando Atallaia e voltei a compor depois de 3 anos sem está compondo; estou voltando'', diz. No campo da interpretação propriamente dita, uma lembrança ao amigo ribamarense Eduardo de Sousa( hoje Kadu Ribeiro). '' Quem me apadrinhou como Fran Moreira foi Kadu Ribeiro, na época tocávamos na banda de MPB, Fênix'', recorda.
Moreira em apresentação em uma das casas de shows de São José de Ribamar
Carreira e projeto atual- Atualmente, Fran Moreira integra o grupo CantaRiba, que ajudou a fundar ao lado de novos artistas de São José de Ribamar. O músico vem também se apresentando no formato acústico no Centro da cidade sempre às sextas-feiras e aos sábados no espaço Empório do Sabor. Nas apresentações, que contam com participações especiais, um repertório multifacetado e que agrada a todos os gostos.
Moreira vem tendo a carreira reconhecida pelo público de São José de Ribamar que já o consolidou como um dos grandes nomes da música local, mas ainda assim o intérprete vê certas lacunas e obstáculos a serem vencidos pelos músicos ribamarenses. Afiado, analisa e critica, por exemplo, a postura do Governo Municipal com os artistas de São José de Ribamar. '' Acho que falta um olhar menos sombrio para conosco(...) falta mais atenção da parte deles( Governo Municipal) e os artistas tem que sair e por a cara na rua e mostrar que na cidade balneária tem muito músico bom e de bom caráter, com um belo repertório debaixo do braço'', sugere.

O artista com músicos do grupo Canta Riba
Na busca por melhores condições de trabalho, o músico fala também sobre os pagamentos(cachês) efetuados pelo Executivo aos músicos locais e aponta soluções. ''Acho que não custa nada a Cultura(secretaria) definir em 2( dois) mil reais(por apresentação) para o músico da terra, se eles pagam muito mais para os músicos de fora'', alfineta. Fran se refere aos músicos que fazem MPB na cidade, que ainda não alcançaram, segundo ele, a merecida contemplação de seus trabalhos pelo Poder Executivo ribamarense. '' A cena de MPB hoje é forte em Ribamar, sempre foi na verdade, estamos somente precisando desse reconhecimento, o reconhecimento dos nossos trabalhos'', esclarece o cantor.
Afeito ao debate cultural, o compositor cita ainda um dos ''sonhos'' dos artistas de São José de Ribamar e promete continuar dando as plateias do município arte de qualidade, diariamente. '' O sonho do músico ribamarense é se apresentar na Concha Acústica, onde cantei várias vezes, mas com um projeto semanal lá e não só de vez em quando, um projeto semanal na Concha seria uma vitrine e uma grande iniciativa que agradaria tanto a nossa população como aos turistas que nos visitam todos os dias, enquanto isso não acontece continuarei dando minha arte as plateias da minha cidade, de preferência, diariamente'', afirma.

 


A Justiça que tarda e falha


Comarca de Ribamar só tem 2 juízes que respondem por quase 200 mil jurisdicionados.

Por Fernando Atallaia
Editor de ANB Online
atallaia.baluarte@hotmail.com

Um grupo de advogados de São José de Ribamar promete realizar em breve uma manifestação contra o descaso do Poder Judiciário maranhense na cidade. Segundo informou o advogado Gedeão Wolff.

A manifestação tem a finalidade de denunciar as péssimas e precárias condições de atendimento oferecidas pelo Judiciário a população ribamarense, que num total de quase 200 mil jurisdicionados, só dispõe de dois júizes na comarca local. Um número pífio para uma demanda considerada alta. A desproporcionalidade vem atingindo diretamente advogados que exercem a profissão na cidade, assim bem, como seus clientes. 

Guerreiro Júnior
O desembargador Guerreiro Júnior, presidente do TJ: advogados cobram adequação do Judiciário  à realidade da população de São José de Ribamar
Wolff em contato por telefone com ANB Online falou à nossa Reportagem. ''Nós advogados militantes da comarca de São José de Ribamar temos que tomar providências necessárias para que se restabeleça a boa prestação jurisdicional. Aliás já faz bastante tempo que isso vem acontecendo(precariedade de atendimento e outros descasos)desde que se instalou as varas criminais as mesmas ainda não foram titularizadas, ficando os juízes de outras varas respondendo por elas, trocaram seis por meia dúzia, precisamos criar um movimento com urgência para denunciar essa calamidade que a Justiça ribamarense atravessa'', denunciou o advogado.


Gedeão Wolff
Gedeão Wolff denunciou descaso do Judiciário em São José de Ribamar e conclamou colegas a cobrarem melhores condições de atendimento à população
Uma das cidades mais populosas do estado e com densidade demográfica crescente, São José de Ribamar não tem sido contemplada pelo Poder Judiciário em sua real dimensão. Na prática, a má prestação de serviços oferecida aos munícipes vem refletindo em processos e julgamentos que se arrastam à morosidade levando ao descontentamento generalizado da população da cidade.

'' A realidade é caótica, os processos estão empacados e quem busca solucionar problemas junto à Justiça não tem sequer mínimas condições de acreditar que será resolvido dentro da normalidade e do tempo hábil, uma vez que são milhares de demandas para somente 2 juízes, o Judiciário precisa vê essa questão que vem prejudicando toda população de São José de Ribamar e levando todos ao descontentamento''. alertou Gedeão.

 

 
 
II FESTIVAL DE POESIA DO PAPOÉTICO



"Prêmio Nauro Machado"
 



 Regulamento



O Projeto PAPOÉTICO realizará, nos dias 1, 2 e 3 de outubro de 2013, em São Luís, o II FESTIVAL DE POESIA DO PAPOÉTICO, com a finalidade de estimular e socializar a atual produção poética realizada em língua portuguesa por autores inéditos. O projeto foi idealizado e é executado pelo poeta e jornalista Paulo Melo Sousa. O festival, que integrará a Feira do livro de São Luís – FELIS 2013, adotará como patrono o poeta maranhense "Nauro Machado", sendo regido pelo seguinte regulamento:


Artigo 1 – Poderá participar do Festival qualquer pessoa que escreva poesia em língua portuguesa, e que não tenha livros publicados.

Artigo 2 – O II FESTIVAL DE POESIA DO PAPOÉTICO será realizado em São Luís, capital do estado do Maranhão, nos dias 1, 2 e 3 de outubro de 2013 de 2013, com a apresentação (interpretação) de 20 (vinte) poemas finalistas (dez poemas no primeiro dia, dez no segundo dia e os 10 finalistas no último dia), previamente selecionados pela Comissão Julgadora de Mérito Literário (a divulgação dos escolhidos para a fase final será feita no dia 20 de setembro de 2013), após a avaliação de todos os poemas inscritos. Ao final da sessão de interpretação dos poemas, serão revelados os nomes dos vencedores.

Artigo 3 – Participarão da sessão os autores que tiverem seus textos selecionados pela Comissão Julgadora de Mérito Literário. A audição dos poemas acontecerá nos dias 1, 2 e 3 de outubro de 2013 de 2013 e será acompanhada por duas comissões julgadoras (Comissão de Mérito Literário e Comissão Julgadora de Interpretação) que indicarão os autores e intérpretes premiados após a apresentação final.

Artigo 4 – As Comissões Julgadoras serão compostas da seguinte forma:

Comissão Julgadora de Mérito Literário: formada por 3 (três) poetas atuantes no meio literário. Escolherá os 3 (três) melhores poemas concorrentes, independentemente da interpretação dos poemas.

Comissão Julgadora de Interpretação: formada por 3 (três) atores atuantes no meio teatral. Escolherá as 3 (três) melhores interpretações dos poemas finalistas.

Artigo 5 – Será obrigatória a apresentação dos poemas, que poderão ser interpretados pelos próprios autores ou por pessoas indicadas por eles.
Parágrafo Primeiro: Na ausência de indicação de intérprete, o poema poderá ser lido para garantir a validade da participação.
Parágrafo segundo: A interpretação dos poemas concorrentes não influenciará no julgamento do mérito literário dos mesmos.
Parágrafo terceiro: Os intérpretes poderão utilizar recursos audiovisuais, tais como: som, slides, figurino.
Parágrafo quarto: Concorrentes de outros estados ou de outros países de língua portuguesa terão garantida a interpretação / leitura dos seus poemas.

 
Artigo 6 – Cada concorrente poderá inscrever apenas um poema, inédito, com temática livre, até o limite de duas laudas, assinado com pseudônimo.

Artigo 7 – As inscrições serão feitas por e-mail. O autor deverá enviar:

Preenchimento da ficha de inscrição;

Poema digitado na fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5;

c) Dados biográficos do autor (sete linhas). São solicitados ainda os seguintes dados: Nome do (a) autor (a); Endereço; RG: CPF; Fone; E-mail; Nome do poema; Pseudônimo.

Artigo 9 – As inscrições serão entregues por e-mail, através do endereço eletrônico papoeticofestival@gmail.com, entre os dias 9 de agosto de 2013 e 13 de setembro de 2013.

 
Artigo 10 – O II FESTIVAL DE POESIA DO PAPOÉTICO – PRÊMIO NAURO MACHADO oferecerá aos vencedores do evento premiação em dinheiro, conforme discriminação abaixo:

 
Melhores Poemas:

1º Lugar: R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais);
2º Lugar: R$ 500,00 (quinhentos reais);
3º Lugar: R$ 300,00 (trezentos reais).

Melhores Intérpretes:

1º Lugar: R$ 500,00 (quinhentos reais);
2º Lugar: R$ 300,00 (trezentos reais);
3º Lugar: R$ 200,00 (duzentos reais).

 
Artigo 11 – Os 20 poemas finalistas serão publicados na Coluna Alça de Mira, do JP Turismo (Jornal Pequeno – São Luís / MA), que circula semanalmente às sextas-feiras.

Artigo 12 – Não será permitida a participação, no Festival, de familiares dos membros das Comissões Julgadoras e/ou da Comissão Organizadora do evento.

Artigo 13 – Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora do Festival.

Artigo 14 – A inscrição implica na aceitação integral do presente regulamento.

 
 

 



Regulamento enviado por Paulo Melo Sousa, da Comissão Organizadora.
 
 
Prefeito assina TAC que viabilizará isenção do ITBI em Ribamar
 
 
Documento ainda aguarda assinatura de representantes dos Ministérios da Educação; Saúde; Desenvolvimento Social e Combate a Fome; e das Cidades.
 
O prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim(PMDB) assinou nesta quinta-feira (22), juntamente com representantes do Governo do Estado, Governo Federal, Prefeitura de São Luís, Ministério Público Federal e Caixa Econômica Federal, Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta que beneficiará com a isenção do ITBI (Imposto Sobre Transmissão de Bens Imóveis) mutuários sorteados com unidades habitacionais do programa federal Minha Casa, Minha Vida construídas no território do município de São José de Ribamar.

O Termo de Compromisso foi proposto pelo próprio Gil Cutrim que, desde 2011, vinha buscando, junto ao Governo Federal (gestor do Programa), uma solução que não prejudicasse financeiramente o município de São José de Ribamar, sua população e os mutuários beneficiados. São José de Ribamar vive uma situação atípica e totalmente diferente das demais cidades do Maranhão e do Brasil em relação ao PMCMV. No território ribamarense foram construídos sete conjuntos habitacionais do programa (Nova Terra, Turiúba, Pitangueiras, Nova Aurora, São José, Recanto Verde e Nova Miritiua), sendo que apenas dois (Nova Terra e Turiúba) foram destinados para atender a população da cidade. Os demais, apesar de terem sido construídos no território de São José de Ribamar, foram sorteados para mutuários inscritos no município de São Luís. Tal quadro resultará em um incremento populacional na cidade de mais de 50 mil novos habitantes, oriundos de São Luís, situação que não representa ao município de Ribamar nenhum ganho de receita para ser investida em prol destes novos moradores.

Prefeito Gil Cutrim
Gil Cutrim: assinatura de Termo para solucionar imbróglios territoriais em São José de Ribamar
A assinatura do documento aconteceu na sede da superintendência regional da CEF, na Praça João Lisboa, e contou com as presenças do secretário estadual das Cidades, Hildo Rocha; do presidente da Comissão do Programa em São Luís, Geraldo Castro; da procuradora da República no Maranhão, Ana Karízia Nogueira; do superintendente nacional do PMCMV, Roberto Carlos Ceratto; do superintendente regional da Caixa, Hélio Duranti; e da diretora de Produção Habitacional da Secretaria Nacional de Habitação, Maria do Carmo Avesani – esta última representando o Governo Federal.
Ficou definido, após assinatura das partes envolvidas, que o documento, obrigatoriamente, terá que ser homologado pelos titulares dos Ministérios da Educação; Saúde; Desenvolvimento Social e Combate a Fome; e das Cidades, sendo que os mesmos terão até o dia 06 de setembro para reenviá-lo ao Maranhão. As partes envolvidas, é importante frisar, terão um prazo de 01 ano para cumprir as ações individuais previstas no Termo.

“A assinatura do TAC representa o resultado positivo da luta que travamos em defesa da garantia dos interesses da sociedade ribamarense”, afirmou Gil Cutrim.

Hildo Rocha fez questão de ressaltar o empenho do prefeito ribamarense na resolução do imbróglio. “Ribamar vive uma situação totalmente diferente dos demais municípios do Maranhão porque está recebendo mais de 50 mil novos habitantes oriundos de São Luís. Ao propor o Termo, o prefeito Gil mostra compromisso com a coletividade”, disse.

Maria do Carmo Avesani também reconheceu a determinação de Gil Cutrim no sentido de solucionar a problemática. Já Geraldo Castro elogiou a maturidade das partes que selaram o acordo, destacando também a iniciativa de Cutrim.

De acordo com o TAC, o Governo Federal, através dos Ministérios comprometidos, destinará a Prefeitura de São José de Ribamar recursos financeiros para dotar estes conjuntos habitacionais dos serviços públicos necessários, tais como obras de pavimentação e urbanização de vias; Creches; Escolas Unidades Básicas de Saúde; Centros de Especialidades Odontológicas; Centros de Especialidades e Diagnósticos; Centros de Referência da Assistência Social; dentre outros. 

O município de São José de Ribamar editará, após apreciação e aprovação da Câmara de Vereadores e dentro do prazo para cumprimento do Termo, lei municipal isentando da cobrança do ITBI, com efeitos retroativos, os mutuários beneficiados.
Cabe ao município de São Luís, de acordo com o Termo, garantir aos moradores dos conjuntos habitacionais construídos em solo ribamarense e inscritos pela capital transporte escolar para atendimento às famílias oriundas do município, por um prazo máximo de dois anos ou até a entrada em operação dos equipamentos de educação.
 
O Governo do Estado terá que garantir o número de vagas no Ensino Médio suficientes para atender a demanda gerada pela população ocupante dos empreendimentos
 
Já a CEF terá que entregar as unidades habitacionais aos respectivos beneficiários; promover a execução do objeto dos repasses de recursos do OGU/PAC no âmbito dos programas nos quais ela atua como agente operador; promover o registro dos contratos habitacionais no Cartório de Registro de Imóveis, após a edição da lei de isenção do ITBI para os beneficiários do PMCMV.
 
 
 
 
 
Matéria enviada por Assessoria de Imprensa da PSJR.
 

Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores