quarta-feira, 24 de julho de 2013

Uma avenida desprezada


Avenida Mascarenhas de Morais em São José de Ribamar agoniza há décadas


Por Fernando Atallaia
Editor da Agência Baluarte
atallaia.baluarte@hotmail.com


A avenida Mascarenhas de Morais, conhecida pelos maranhenses como 'Estrada da Mata' não teve a sorte de ser uma das vias de fato asfaltada pelos prefeitos que passaram por São José de Ribamar nos últimos 10 anos. Tudo porque o calçamento colocado pelas gestões anteriores a do prefeito Gil Cutrim(PMDB), mostrou ao longo dos anos não ter sido de boa qualidade. Ou pelo menos da qualidade merecida a uma via de acesso tão importante ao município ribamarense.

Eximidas as (ir)responsabilidades dos gestores passados, o descaso e o abandono ainda continuam a pontuar a extensão do perímetro, atualmente. Como se não bastassem os buracos, crateras e os desníveis da estrada, que proporcionam prejuízos gritantes aos condutores de veículos que por lá tem de passar, a Mascarenhas de Morais ainda é tida como uma avenida perigosa, haja vista o trajeto tumultuoso que oferece diariamente a pedestres e ciclistas.

 
Avenida Mascarenhas de Morais em São José de Ribamar oferece preocupação e risco  aos munícipes
Esta semana por ocasião do projeto 'Movimentação' do Governo Municipal, o caos pelo qual passa a via chamou atenção dos ribamarenses que utlizaram as redes sociais para bradar contra o desprezo sofrido pela Avenida. Fotografias de trechos da estrada se fizeram ouvir por toda cidade. ANB Online conversou com alguns munícipes, e obteve algumas declarações sofríveis. '' Meu marido já quebrou o carro pra mais de 5 vezes, é muito buraco na estrada, a situação está insuportável, a gente já acorda pensando no sofrimento que tem que enfrentar'', disse a dona de casa Rosária Silva, moradora do bairro Vila Sarney Filho.

O jovem prefeito Gil Cutrim tem o desafio de comandar pela segunda vez a terceira maior cidade maranhense (KARLOS GEROMY/OIMP/DAPRESS)
População cobra do prefeito Gil Cutrim uma ação imediata de recuperação para a Mascarenhas de Morais  

Devido às muitas cobranças da população que reside às bordas da Avenida, um vereador local procolou há três meses na câmara de vereadores uma indicação de projeto visando sanar o problema, mas ainda assim nada foi resolvido. A avenida Mascarenhas de Morais, assim bem como a estrada da Boa Viagem são vias importantes ao comércio e ao turismo praticados em São José de Ribamar.

 
A comerciante Gardência Santos, emite uma opinião. '' Não temos mais como receber os fornecedores, já aconteceu de caminhão quebrar aqui em frente de casa e o pessoal não querer mais fazer a entrega, na minha ideia o prefeito tem que ajeitar a 'Estrada da Mata' (avenida Mascarenhas de Morais) imediatamente se ele não quiser perder morador, até porque já tem gente se mudando daqui pra outros bairros'', exortou Gardência.

 

MPF/MA cobra providências da Vale sobre situação de quilombolas

A empresa se comprometeu a realizar melhorias que diminuíssem os problemas de travessia enfrentados pelas comunidades que vivem à margem da EFC, porém, as medidas não foram adequadas

 
 
Do MPF/MA
 
 
O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) cobrou, na Justiça Federal, novas providências da Vale para garantir a travessia de comunidades quilombolas que vivem ao longo da Estrada de Ferro Carajás (EFC), nos municípios de Anajatuba e Santa Rita. 
 
No início de 2013, o MPF/MA conseguiu liminar que proibia o estacionamento de trens da Vale na localidade de Vaca Morta, em função dos prejuízos causados às comunidades tradicionais locais. No entanto, a decisão foi revogada após a Vale se comprometer a realizar melhorias que diminuíssem os problemas enfrentados pelas comunidades.
VALE LOGOMARCA
A marca da Vale não está valendo nada quando o assunto é cumprir medidas adequadas
Para o MPF/MA, essas medidas não se revelaram suficientes, uma vez que as comunidades de Retiro/São João da Mata, e outras que residem nas proximidades, continuam sendo prejudicadas com a operação da ferrovia. A obstrução da principal via pública de deslocamento da região impede a livre circulação da população local. 
 
“É dever de quem a explora a ferrovia, garantir as condições de circulação de pessoas, evitando que as comunidades, em determinadas circunstâncias, tornem-se isoladas ou vejam o seu direito de locomoção seriamente atingido pela passagem do trem ou a sua parada, diante da omissão da concessionária de implementar obras necessárias”, afirma o procurador da República, Alexandre Soares.

 

José Genoino (PT) tem mal-estar e é internado em hospital de Ubatuba

 

Médicos avaliam o que teria causado o desconforto no político.
Genoino está em observação e ainda não tem previsão de alta.



Do G1 Vale do Paraíba e Região
 
 
O deputado federal José Genoino (PT) deu entrada por volta das 6h desta quarta-feira (24) na Santa Casa de Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, após sentir um mal-estar.
José Genoíno foi vitimado por surto de corrupção repentino, patologia que acomete a grande maioria dos políticos brasileiros

De acordo com a assessoria do hospital, os médicos avaliam o que teria causado o desconforto no petista. Ele segue em observação, sem previsão de alta.

Paulo Coelho provoca James Joyce e toma chinelada de crítico

Crítico do The Guardian detona Paulo Coelho após provocação a ‘Ulysses’, de James Joyce. Escritor brasileiro tentou responder via Twitter


Carta Capital


“Os autores hoje querem impressionar seus pares. Um dos livros que fez esse mal à humanidade foi ‘Ulysses’ [clássico do irlandês James Joyce], que é só estilo. Não tem nada ali. Se você disseca ‘Ulysses’, dá um tuíte”. Muitos críticos literários e editores de livro tomaram sal de fruta para digerir essa frase do escritor brasileiro Paulo Coelho, dita à Folha de S. Paulo no sábado 4, sobre uma das obras clássicas da literatura mundial. Mas nenhum deles foi mais voraz que Stuart Kelly, crítico de literatura do Guardian, jornal e portal de notícias de Londres.

Kelly abre seu artigo no blog de literatura do site usando uma frase do escritor e pensador inglês Samuel Johnson, que respondia a um crítico no século XVIII: “Uma mosca pode picar um cavalo, mas o cavalo continua a ser um cavalo, e a mosca não mais que uma mosca.” E inicia uma ferina argumentação contra a frase e a carreira de Paulo Coelho, cujo verdadeiro insulto, segundo o crítico, “é sua crença de que devemos ceder a suas limitações” artísticas.

paulo coelho
Achando que a vida é fácil, Paulo Coelho caiu do cavalo e por pouco não foi esmagado. Para o Guardian ele não passa de uma mosca sem a sopa de James Joyce
“Coelho está, claro, autorizado a emitir sua opinião burra, assim como eu estou autorizado a achar o trabalhar de Coelho um nauseabundo caldo de egomania e falso misticismo com o intelecto, empatia e destreza verbal do camembert vencido que ontem joguei fora.”

O crítico lembra que Paulo Coelho não é o primeiro a dizer que James Joyce “escreve para outros escritores, não para leitores”, diz que “sempre que um ataque reacionário surge na literatura contemporânea, um tiro em Joyce é necessário” e rechaça: só alguém que faça uma leitura superficial em ‘Ulysses’ poderia dizer a obra “é só estilo”‘.

“Coelho se gaba de ser “moderno” porque ele consegue ‘fazer o difícil parecer fácil’, diz. E conclui seu tijolaço no escritor brasileiro dizendo que qualquer coisa que aspire tornar o mundo e as pessoas menos complexos, menos paradoxais, menos variados comete uma pequena calúnia com a realidade.

O escritor brasileiro não gostou muito da crítica e demonstrou isso em seu perfil no Twitter. Passou a primeira metade do dia tentando argumentar contra a matéria do Guardian e a retuitar quem não concordou com a crítica.

“Guardian diz que insultei leitores de Ulysses. E meus leitores, insultados todos estes anos?”, indignou-se.

A frase polêmica surge no momento em que Paulo Coelho se concentra na divulgação de seu último livro, ‘Manuscrito encontrado em Accra’.



 

Nos USA, Funcionários do Subway passam pênis nos sanduíches


Funcionários do Subway passam pênis nos pães da lanchonete e postam foto no Instagram. Em comunicado, Subway afirmou que demitiu os empregados e que atitudes como essa não serão toleradas


Do Pragmatismo Político


Dois funcionários da rede de fast food Subway publicaram fotos no Instagram que chocaram os consumidores da empresa. Ian Jett e Cameron Boggs, que usa o nome “Weedpriest” na rede social, postaram imagens na qual passam o pênis nos pães dos sanduíches da filial na qual trabalham em Columbus, Ohio. Na legenda, os funcionários escreveram: “Meu nome é @ianjett e eu serei o seu artista sanduíche de hoje”.

subway pênis funcionários
Funcionários do Subway passam pênis nos pães da lanchonete e congelam a própria urina (Foto: Divulgação)

Nas outras fotos, eles mostram que congelaram a própria urina em uma garrafa de água no trabalho e moldam o pão em formato de pênis.

Os perfis no Twitter e páginas Instagram são repletas com fotos das “façanhas” dos funcionários durante o trabalho. Em várias delas, o pão, que é padrão da rede Subway, é moldado em formato de pênis.

Em comunicado, a Subway afirmou que demitiu os empregados e que este “incidente isolado não representa os artistas do sanduíche que trabalham em seus restaurantes”. Além disso, a empresa afirmou que atitudes como essa não serão toleradas.




Com informações de Huffington Post e Administradores.

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 9164 10 67

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB