quarta-feira, 15 de maio de 2013

Piada de Joaquim Barbosa causa desconforto entre advogados

Presidente do STF rejeitou réplica de advogado e disse a colega: "Vamos deixar de lado o corporativismo"


Do Diário Catarinense


Um comentário do presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Joaquim Barbosa, provocou desconforto entre alguns advogados. Ao discutir a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo de abrir às 9h, mas atender os advogados apenas a partir das 11h, Barbosa fez o que depois chamou de uma piada: 


— Mas a maioria dos advogados não acorda lá pelas 11 horas da manhã mesmo?
Um dos advogados interessados no processo, Márcio Kayatt, pediu então a palavra para rebater o comentário, mas Barbosa o cortou: 


— Vossa excelência não tem essa prerrogativa de se referir ao comentário que fiz em tom de brincadeira com os meus colegas conselheiros. 


Barbosa defendeu a regra do TJ-SP. O ministro disse que fechar o atendimento para os advogados por certo período não seria cercear o acesso à Justiça. 


— A constituição brasileira não outorga direito absoluto a ninguém. Um cartório que atende das 9h às 19h e reserva uma hora para serviços internos fere o direito dos advogados? Caminhar por essa direção será dar um tiro pela culatra — disse. 


Se a norma for derrubada, como defendem alguns conselheiros do CNJ, Barbosa afirmou que os funcionários ficarão "chateados, ressentidos, com pouca boa vontade de atender". 
-Vamos deixar de lado o corporativismo, conselheiro. Impedir o Tribunal de ter uma hora para a sua organização interna não é razoável — disse. 

 
Barbosa mantém relação tumultuada com os advogados. No STF, ele só recebe os advogados de um caso se a outra parte interessada estiver presente. No CNJ, já acusou a existência de conluio entre advogados e juízes. Durante o julgamento do mensalão, ele se irritou com o pedido de advogados para que se declarasse suspeito no caso.





Com edição de ANB Online. 
  
Citação do Dia 
''A diferença entre beber cachaça e beber tragédia se passa na esquina. Muitas pessoas bebem cachaça  para morrer no trânsito. Outras para liberar a traição. Entre a traição e a velocidade há um amor à primeira vista. A vítima sempre será aquela que corre mais (apressada ou lentamente) aos olhos dos que dirigem ou aos olhos dos infelizes. É por essa razão que pessoas geniais morrem a todo o momento. De acidente ou de infâmia. Dar no mesmo''.
 
(Fernando Atallaia)

Decisão radical de atriz é pouco comum no Brasil

Retirada dos seios tem que levar em conta histórico familiar



 Renan Almeida


Jornal do Brasil 


A cirurgia de retirada dos seios feita pela atriz Angelina Jolie como forma de se prevenir contra o câncer de mama é um procedimento radical e apesar de reduzir as chances da doença, é pouco comum no Brasil. Isto porque além de não ser muito popular, são raros os casos em que é indicada. “Não é indicado para qualquer mulher. É preciso ver o histórico familiar, especialmente se há parentes de primeiro grau que tiveram câncer com menos de 50 anos. Ainda assim é muito raro ter essa mutação genética ligada aos genes humanos BRCA”, explica o oncologista do Centro de Oncologia D’or, Daniel Herchenhorn.


Os BRCA 1 e 2 são genes que tem um papel de suprimir tumores. De acordo com o oncologista, mulheres com histórico familiar de câncer precoce sabidamente tem grande risco de ter uma mutação destes genes, o que  aumenta significativamente o risco de desenvolver a doença: “Quando a mutação está presente, em geral vai conferir um risco de até 80% de desenvolver o câncer de mama".

Angelina Jolie fez mastectomia preventiva
Angelina Jolie fez mastectomia preventiva

 Segundo o médico, a orientação para a mastectomia preventiva só é dada em pacientes que apresentam estes fatores, e acontece porque a pessoa que recebe a informação de um risco tão alto de contrair a doença acaba ficando muito abalada: “Imagina você viver sabendo que possui 80% de risco. É uma decisão radical e muito difícil para a mulher, mas a cirurgia reduz muito as chances”.  No caso da Angelina Jolie, os fatores de risco correspondiam a esta decisão. A mãe da atriz morreu de câncer aos 56 anos depois de lutar contra a doença por uma década.


A mastectomia é uma cirurgia de retirada total ou parcial da mama. O procedimento reduz em 95% o risco de câncer.


Teste genético


O fator genético aparece entre 5% e 10% dos casos de câncer de mama. Como a mutação é rara e geralmente tem origem hereditária, o exame para detecta-la é pouco indicado no Brasil. Daniel Herchenhorn, entretanto, explica que o teste é simples: “é um exame de sangue”. 


O teste genético não é feito pelo SUS e está pouco disponível na rede pública. Ainda assim é possível faze-lo no Instituto Nacional do Cancer (INCA). Na rede particular não é barato, podendo custar entre R$ 1 mil e R$ 5 mil.


Segundo tipo mais frequente no mundo, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano, de acordo com o  INCA.

Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:

(98) 9 8767-7101

E-mail:

agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com



Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB