sexta-feira, 8 de março de 2013


‘Vá chafurdar no lixo’, diz presidente do STF a repórter


Em nota, Barbosa pediu desculpas à imprensa e disse estar com dores.
Ministro também chamou repórter de jornal de ‘palhaço’.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, mandou um repórter “chafurdar no lixo” após sessão da última terça-feira (5) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), do qual ele também é presidente.


Em nota assinada pelo secretário de comunicação do Supremo, o ministro pediu desculpas

aos profissionais da imprensa e afirmou que respondeu de forma “ríspida” por estar tomado pelo “cansaço e fortes dores”.
Na saída da sessão, o repórter Felipe Recondo, do jornal “O Estado de São Paulo”, iniciou uma pergunta: “Presidente, como o senhor está vendo…” Barbosa interrompeu e disse: “Não estou vendo nada”, disse em tom alto.
 

Até tu, Brutus? Ministro Joaquim Barbosa apresentou sinais de truculência ao xingar repórter

Depois, na presença de jornalistas de vários veículos, o presidente se voltou para o jornalista, aos gritos: “Me deixa em paz, rapaz. Me deixa em paz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre.”

O repórter, então, tentou conversar com Barbosa: “O que é isso, ministro? O que houve?” E Barbosa, então, respondeu: “Estou pedindo, me deixe em paz. Já disse várias vezes ao senhor.”

O jornalista tentou mais uma vez conversar com o presidente do tribunal. “Eu tenho que fazer pergunta, é meu trabalho.” E Barbosa, gritando, novamente disse: “Eu naõ tenho nada a lhe dizer. Não quero nem saber do que o senhor está tratando.”


Depois, do elevador do prédio, Barbosa disse em tom alto: “palhaço”. O diretor de redação do “Estado de S.Paulo” em São Paulo, Ricardo Gandour, disse que é um fato público e não vai comentar o episódio.
(…)


Leia a nota do STF sobre o caso:
“Em nome do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Joaquim Barbosa, peço desculpas aos profissionais de imprensa pelo episódio ocorrido hoje, quando após uma longa sessão do Conselho Nacional de Justiça, o presidente, tomado pelo cansaço e por fortes dores, respondeu de forma ríspida à abordagem feita por um repórter. Trata-se de episódio isolado que não condiz com o histórico de relacionamento do Ministro com a imprensa.

O ministro Joaquim reafirma sua crença no importante papel desempenhado pela imprensa em uma democracia. Seu apego à liberdade de opinião está expresso em seu permanente diálogo com profissionais dos mais diversos veículos. Seu respeito pelos profissionais de imprensa traduz-se em iniciativas como o diálogo que iniciará no próximo dia 07 de março, quando receberá em audiência o Sr. Carlos Lauria, representante do Comitê para Proteção de Jornalistas (CPJ), ONG com sede em Nova Iorque
.


Wellington Geraldo Silva
Secretário de Comunicação Social – SCO
Supremo Tribunal Federal”

 
Vereador César Vieira visitará as unidades de saúde de São José de Ribamar

Num primeiro momento serão visitadas as unidades de saúde da região das Vilas. Visitas visam vistoriar a qualidade do atendimento oferecido à população da cidade


Por Fernando Atallaia

Da Agência Baluarte


O presidente da Comissão de Saúde da câmara de vereadores de São José de Ribamar, vereador César Vieira (PSDC), anunciou ontem (05) em entrevista à Agência de Notícias Baluarte que a partir da próxima semana (dia 11) visitará todas as unidades de saúde existentes no município, a começar pela região das Vilas. As visitas visam vistoriar e acompanhar o atendimento oferecido pelo Executivo Municipal à população que reivindica uma melhor prestação de serviços na área da Saúde em São José de Ribamar.

‘’Estaremos visitando a partir da próxima semana, os postos de saúde do município, começaremos pela região das Vilas, onde as reclamações da população se fazem ouvir por toda cidade, não perguntaremos nada a médicos ou a diretores das unidades de saúde, estaremos perguntando ao povo como anda o atendimento nos postos’’, declarou César.
 
Vereador César Vieira: visitas a postos de sáude do município

A decisão do vereador em visitar os postos partiu das reclamações dos ribamarenses que buscam nas unidades de saúde espalhadas pelo município um atendimento de qualidade às suas demandas. O parlamentar foi incisivo ao afirmar que há uma necessidade premente de se supervisionar os postos de saúde de São José de Ribamar ainda este mês (março) e fez questão de ressaltar a importância da gestão Gil Cutrim na efetivação de soluções para possíveis problemas.

’’ A Comissão de Saúde da Câmara terá todo empenho em fornecer dados colhidos, através de relatórios que serão encaminhados ao secretário de Saúde da prefeitura, com o claro objetivo de buscarmos soluções para os possíveis problemas que podem vir a ser encontrados na esfera do atendimento à população, trabalharemos nessa linha’’, enfatizou Vieira.

Da base aliada do Governo Municipal, César Vieira foi eleito na última eleição dentro do bojo dos novos vereadores escolhidos pela população da cidade balneária para bem representar os munícipes pelos próximos quatro anos. A satisfação em presidir uma comissão tão emblemática e relevante para o município pontua as motivações do vereador ao falar das visitas.

‘’ O que pudermos fazer para colaborar e contribuir para melhorar a saúde de São José de Ribamar, o faremos com toda certeza, fiscalizando, mas também levando ao Governo Municipal nossas opiniões e sugestões com a finalidade de sempre alcançar a população com melhorias, para mim é uma honra única está à frente de uma comissão desta importância’’, finalizou César Vieira.



 Serviço:

O que: visitas do presidente da Comissão de Saúde da câmara de vereadores às unidades de saúde de São José de Ribamar.

Quando: a partir do dia 11(segunda-feira) de março.

Por que: em função das reclamações dos cidadãos ribamarenses.

Como colaborar: enviando sugestões para a Comissão de Saúde da câmara de vereadores de São José de Ribamar através do E-mail cesarvieiravereador@hotmail.com

 

 

 

 

 
O líder tecnicista ou a técnica a favor do líder?

 
Ex-prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando Silva é achincalhado em artigos, que entre sugestivas constatações,  ainda sugerem, nas entrelinhas, saídas para um possível quebra cabeça em torno da sucessão governamental.


Por Fernando Atallaia


Alguns artigos publicados nas últimas semanas em blogs da capital tentam prender a atenção do leitor para o óbvio: o grupo Sarney está desgastado internamente na corrida pela sucessão governamental que já se iniciou. Uma realidade que circunda os também governamentáveis da ala oposicionista e os chamados aspirantes a uma suposta e escorregadia terceira via que almejam o tão sonhado poderio econômico do Palácio dos Leões.

Por razões simples, o cenário atual não guarda nenhuma surpresa, com exceção é claro, das ‘’indefinições’’ em torno do candidato dos Sarneys que tentará substituir a governadora Roseana no continuísmo oligárquico em 2014. Luís Fernando Silva, entre eles.

O ex-prefeito de São José de Ribamar detém em tese, as qualificações necessárias para assumir o cargo de governador se não fosse a ausência de simpatia estritamente política o maior dos seus obstáculos. Ocorre que Luís Fernando há muito tempo e desde sempre se manteve na aura do bom técnico e gestor exemplar concebido nos contextos da dita administração modelo do ‘bem governar’. Essa ‘qualidade’ criou uma dicotomia, um tanto quanto perigosa, ao projeto do secretário de Infraestrutura do governo Roseana de galgar mais um degrau na sua, digamos, vitoriosa carreira política.
O secretário de Infraestrutura de Roseana Sarney, Luís Fernando Silva: crescendo politicamente entre a Oposição e o Governo, ele poderá ser o próximo governador do Maranhão

Luís Fernando poderá sim se justificar pelas atribuições do gestor ideal, no entanto esbarra na ausência de popularidade. Uma popularidade que não seja vinculada a sua trajetória como ex-prefeito, ex-secretário, ex-isto ou ex-isto ou aquilo. Precisará o candidato de Roseana Sarney fragmentar a imagem intacta e irredutível que ele mesmo criou ao longo dos anos. A seu favor algumas vantagens que podem ser decisivas para que Luís Fernando Silva caia na graça do povo e venha a ser o próximo governador do Maranhão:

- O discurso oposicionista não mudou, não convence e não agrada a população maranhense. Bater em José Sarney virou chavão, folclore e não deixa de ser ‘fuga pela tangente’ àqueles que nada têm a mostrar de novo ao ‘novo’ que pregam.

- Flávio Dino, como candidato da oposição até aqui não conseguiu a tão desejada unificação das vozes (partidos políticos, terceiro setor, movimentos sociais e outras configurações) em torno de seu nome. Ao contrário, as supostas oposições do estado a todo o momento insurgem-se contra si mesmas em atos gritantes de dissenção, imaturidade e rompimento.

- Lobão como candidato do grupo Sarney não é a principal alternativa do Governo em 2014, como o propagado. É na essência uma forma de sinalizar ou ‘amedrontar’ os possíveis governanamentáveis(governistas e oposicionistas) como um nome a ser (obrigatoriamente) apresentado à população e  correligionários. Um nome que se quer Padrão. Paira também um esforço em manter a todo custo uma geração arcaica (a supostamente confiável!) do Grupo Sarney em detrimento de novos nomes que podem vir a  ser utilizados. Os Sarneys evidenciam dessa forma a vulnerabilidade que os tem encurralado e Luís Fernando nesse ínterim só cresce politicamente como a ‘alternativa’.

- Luís Fernando Silva, é de fato e até por direito o candidato do grupo Sarney. Fiel e bom moço, agrada a alas do Governo e mantem-se uniforme em sua biografia politicamente traçada e de certa forma incólume. Pelo menos até onde os Sarneys o querem.

O que falta, então, a Luís Fernando Silva?

Bom, de um lado temos um estado miserável como bandeira arguida na imprensa (inter) nacional e reconhecido pela opinião pública como tal. Um estado que é governado há décadas por um sistema político vicioso, traiçoeiro e despótico, onde Luís Fernando nasce e cresce. Esta, uma verdade. Do outro, como exemplo, a oposição comandou por décadas a capital maranhense e temos uma cidade que nada deixa a desejar ao grupo Sarney em ranços de subdesenvolvimento, miséria, nepotismo e mandonismo. ‘Qualidades’ presentes na política maranhense praticada por ambos os lados. Os índices de miséria ovacionados por esta oposição que espinafra Luís Fernando Silva quando o assunto é a sucessão de 2014, são os mesmos índices que ela (a oposição) causa e fortalece quando administra.

A oposição esteve no governo estadual com o saudoso Jackson Lago e o que se via era a forma sarneysista de administrar. Ou seja, mudam-se os atores, mas o conceito é o mesmo e permanece. E Luís Fernando Silva segue como matriz do debate nesse turbilhão. Os articulistas que o negam como o candidato do Governo são em verdade aqueles que não depositam confiança alguma em Flávio Dino. O fazem para demarcar e/ou reverter um território que há muito já é escrachado: a dita oposição maranhense não se superou. Fala da Oligarquia, mas bebe de sua fonte. Os jornalistas ressentidos pela ausência de pauta veem em Luís Fernando Silva- por mais que não queiram- o postulante legitimamente cabível às intenções do grupo Sarney quando o tema é a sucessão governamental. E devem seguir assim - até as eleições de 2014-negando a si mesmos essa realidade.

Luís Fernando Silva precisará ser trabalhado. Tem robustez política. No entanto lhe falta maleabilidade dialógica. Flexibilidade no discurso. Empatia. O secretário de Infraestrutura poderá até enganar-se se porventura não abrir os sorrisos. Lambuzar-se com os muitos suores pelo Maranhão afora e não ousar trocar (imediatamente) a camisa do técnico pelas chuteiras do político. Do bom político que busca a todo instante em todas as instãncias a proximidade com (im) prováveis novos adeptos e/ou simpatizantes. As caminhadas para Luís Fernando podem dessa forma, ser venturosas. Há um caminho plantado por ele, o qual não pode ser ignorado. Nem pelo Governo nem tampouco pela Oposição. Essa mudança significativa (no perfil) de Luís Fernando é o que temem o pretenso candidato número um dos Sarneys( Lobão) e o catapultado e raso Flávio Dino. Luís Fernando Silva, portanto, está a um passo de tornar-se o próximo governador do Maranhão. Algo que a partir de agora só dependerá dele.

 
 
 
Fernando Atallaia foi repórter e colunista dos jornais A Tarde, Tribuna Luminense, Extra, Portal do Maranhão, JP Turismo (Jornal Pequeno), revista Caminhos do Maranhão e jornal Tribuna do Nordeste. Atualmente escreve para diversos blogues, saites e jornais da capital maranhense e é o Editor-Chefe da Agência de Notícias Baluarte. Além de jornalista é também poeta, músico, cantor e compositor.

 

 

 

Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores