domingo, 21 de outubro de 2012

Padre Bráulio: ‘’Fazer oposição é tarefa nobre’’.




Da Redação


O sacerdote católico e padre Braúlio, um dos mais referenciados e queridos párocos da igreja Católica em São José de Ribamar declarou recentemente que acredita que será boa a administração do prefeito reeleito Gil Cutrim para os próximos quatros anos, mas que os nomes que fazem a oposição na cidade devem ser respeitados e aproveitados. ''Fazer oposição é tarefa nobre e as pessoas que tem ideias e projetos para a cidade devem ser respeitadas e aproveitadas'', disse o pároco.

Padre Bráulio: ''fazer oposição é tarefa nobre''
 
Em conversa com o editor de ANB Online, via Facebook, padre Bráulio revelou sentir falta da receptividade dos ribamarenses (o sacerdote está trabalhando no Continente Europeu) e se mostrou preocupado com a não participação da população na administração municipal. ''Estou com saudade do carinho dos ribamarenses, agora quanto a Ribamar, com Luís (Luís Fernando Silva, ex-prefeito de Ribamar) melhorou bastante, a cidade cresceu, o Gil é um rapaz novo, competente, mas que precisa estar bem assessorado e acredito que até estar, mas precisa trazer mais força a sua gestão aglutinando mais talentos e valores de nossa cidade'', observou.
 

Padre Bráulio ainda destacou a importância de uma administração que valorize o ribamarense em todas as áreas da gestão pública. ''Acredito que Gil fará um ótimo trabalho à frente do Executivo, agora é ir às vias de fato, ao trabalho, um prefeito que governa para o povo será amado pelo povo, o governo precisa abrir mais para o diálogo com a oposição, nesse particular precisar avançar e ganhar mais maturidade, mas vejo em Gil muitas possibilidades de com ele isso acontecer'', finalizou.

 

Saiba os salários dos vereadores em todas as capitais do país

 

Maior valor está no Rio, onde vereador recebe R$ 15.031,76 mais benefício.
Levantamento mostra benefícios recebidos nas câmaras municipais.


Do G1



O salário de vereador mais alto do país entre as capitais está no Rio de Janeiro (R$ 15.031,76) e o menor, em Rio Branco (R$ 6.129), segundo levantamento do G1 junto às câmaras municipais (Veja tabela completa abaixo).



Além do salário, os vereadores contam com benefícios, como auxílio moradia, paletó, combustível, passagens aéreas e telefone. O vereador realiza o gasto, apresenta a nota justificando a despesa, e é reembolsado. A maioria também recebe verba de gabinete, para contratar assessores para auxiliá-lo.
No Rio de Janeiro, por exemplo, o vereador recebe auxílio gasolina (1 mil litros/mês), auxílio paletó (100% do salário, duas vezes por ano, um no início da Sessão Legislativa e outra ao final), tem direito a 20 cargos comissionados e 4 mil selos mensais.



O segundo salário mais alto está em Natal, onde o subsídio no Legislativo municipal é de R$ 15.019 -- a câmara local não informou se há verba indenizatória. Em Macapá, cada vereador tem salário de R$ 12 mil, sem verba de gabinete, seguido de

Goiânia: R$ 11.082, com direito a 25 assessores, combustível (quantidade em litros por mês) e telefone (plano empresarial pós pago), e Curitiba, com salário de R$ 10.996,52.



Os subsídios dos vereadores são os únicos não fixados em lei e estão atrelados aos dos deputados estaduais. São determinados pelas câmaras com base na população do município e a Constituição. Em municípios de mais de 500 mil habitantes, por exemplo, corresponde a 75%
do subsídio dos deputados estaduais que, por sua vez, não podem receber além de 75% do fixado aos ministros do Supremo Tribunal Federal, atualmente em R$ 26.723,13.



Segundo a Constituição Federal, a Câmara Municipal não pode gastar mais de 70% de sua receita com folha de pagamento, incluindo os subsídios dos vereadores, sob o risco de cometer crime de responsabilidade.


Veja a seguir a relação dos subsídios conforme informado pelas câmaras municipais:

 
CapitalSubsídio*Benefícios/verba gabineteCom aumento previsto para 2013
Rio de JaneiroR$ 15.031.76Auxílio gasolina (1 mil litros/mês), auxílio paletó (100% do salário, duas vezes por ano, um no início da Sessão Legislativa e outra ao final), 20 cargos comissionados, 4 mil selos mensais. Os vereadores não têm verba indenizatória, auxílio saúde e carro oficial
 
Vai aumentar 75% em 2013
NatalR$ 15.019Não informou--

Macapá

R$ 12.000

Não tem verba de gabinete
--

Goiânia
      R$11.08225 assessores, combustível (quantidade em litros por mês) e telefone (plano empresarial pós pago)--
CuritibaR$ 10.996,52Não informou--
TeresinaR$ 10.507,97Até 20 assessores: R$ 30 mil; verba indenizatória: R$ 6,5 milR$ 15.031,76
SalvadorR$ 10.400,76Verba de gabinete R$ 53.033,16; vale-refeição R$ 1.272; tíquete-combustível R$1.865 e 1 mil selos por mês--
AracajuR$ 10.392,38Verba indenizatória R$ 10 mil e verba de assessoria R$ 17 milR$ 15.031
Porto AlegreR$ 10.335,7213º salário--
PalmasR$ 10.021,16Despesas parlamentares R$ 13.371,67 e verba de gabinete R$ 23,7 mil--
ManausR$ 9.288,05Auxílio-combustível R$ 2,3 mil (seis veículos por gabinete); ticket-alimentação R$ 2 mil; verba indenizatória R$ 4,6 mil/mês; auxílio-paletó R$ 9.288,05 anual (mesmo valor do salário); verba de gabinete R$ 40 mil/mês; verba-alimentação R$ 4 mil (pago como ressarcimento); verba combustível R$ 4 mil (pago como ressarcimento); telefone R$ 300/mês--
Belo HorizonteR$ 9.288,0513°, 14° e 15° salários e verba indenizatória de R$15 milNeste ano foi proposto o projeto de lei para extinguir os 14º e 15º salários. O PL aguarda votação em plenário
São PauloR$ 9.288,05Verba para 18 assistentes parlamentares, de R$ 106.452,03 e verba para despesas R$ 17.287,50Um aumento para R$ 15.031,76 a partir de 2013, já aprovado, está sob discussão no Supremo Tribunal Federal
FortalezaR$ 9.288,04Despesas: R$ 12 mil (transporte, comunicação etc.); verba de assessoria R$ 33.450; 13º salárioR$ 11.888,64
CuiabáR$ 9.288Verba indenizatória R$ 17 mil (contratação de funcionários) e verba de gabinete dos vereadores R$ 15 milAté dezembro deve ser apresentado um projeto para aumentar o salário para a próxima legislatura
RecifeR$ 9.287,57Auxílio-combustível: R$ 2,3 mil (seis veículos por gabinete); ticket-alimentação: R$ 2 mil; verba indenizatória: R$ 4,6 milR$ 15.031,76
João PessoaR$ 9.280Telefone e celular: R$ 350; cotas de material de expediente e de postagem (mensais) e de entrega de comendas (medalhas e títulos) anual. Não há valor fixoR$ 15 mil
BelémR$ 9.250Não informouR$ 15.031,76
Campo GrandeR$ 9.200Ajuda de custo R$ 8 mil--
São LuísR$ 9.155Verba de gabinete R$ 13,8 mil; verba indenizatória R$ 24 milExiste um projeto tramitando na Câmara de aumento pra esses cargos
MaceióR$ 9.000Não informou--
FlorianópolisR$ 8.780,44Não informouR$ 13.375,41
VitóriaR$ 7.430,40Não informou--
Porto VelhoR$ 7.43013º salário--
Boa VistaR$ 6.200Verba indenizatória: R$ 10,6 mil e verba para pagamento de mão de obra: R$ 19,8 mil/mêsR$ 10.200
Rio BrancoR$ 6.129Verba rescisória (despesas gerais) R$ 15 mil/ mês e verba de gabinete (paga salários de assessores) R$ 15 mil/ mês--



*Valores dos subsídios brutos fornecidos pelas câmaras municipais

 



 

*Colaboraram Aline Lamas, Marcelle Souza, Tahiane Stochero e Rosanne D'Agostino, do G1 em São Paulo; G1 AM, G1 BA, G1 CE, G1 ES, G1 GO, G1 MA, G1 MT, G1 MS, G1 MG, G1 PR, G1 PB, G1 PA, G1 PE, G1 RJ, G1 RN, G1 RS, G1 RO, G1 SC, G1 SE e G1 SP

Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:

(98) 9 8767-7101

E-mail:

agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com



Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB