segunda-feira, 25 de junho de 2012

A vida, a obra e a morte de um astro

Há três anos o mundo recebia a notícia da morte do rei do pop, o cantor Michael Jackson, que deixou órfã uma legião...



Do Estadão




Há três anos o mundo recebia a notícia da morte do rei do pop, o cantor Michael Jackson, que deixou órfã uma legião de fãs. Morto em decorrência de uso excessivo de remédios, indicados por seu médico, o artista recebeu sua primeira homenagem nesta segunda-feira (25): inúmeras mensagens carinhosas no Twitter, que teve a hashtag RIP Michael Jackson como uma das mais citadas pelos usuários da rede social.





Caçula de uma família de nove irmãos, seu pai Joe Jackson sempre desejou ver os filhos no mundo do entretenimento. Operário, tentava emplacar algum astro nas horas vagas. Rapidamente percebeu que poderia lançar as crianças na carreira musical. Com apenas cinco anos de idade Michael entrou para o "Jackson Five" ao lado dos irmãos Jackie, Tito, Marlon e Jermaine.


Michael jackson: emblemático, ele fundiu todos os ritmos em um só estilo


O sucesso só veio no final da década de 60 quando o grupo foi contratado pela Motown, gravadora que nos anos 60 se especializou em lançar artistas negros como Diane Ross e Steve Wonder. No começo dos anos 70 o "Jackson Five" lançou diversas músicas que se tornaram bastante populares como "ABC" , "I want you back" e "Ben". Apesar do sucesso, a infância teve momentos traumáticos. O pai controlava os garotos de maneira severa, chegando a ser cruel com ameaças e castigos físicos.




Nessa época, Michael já se destacava dos demais membros da banda, tanto por sua voz quanto pela desenvoltura no palco. Paralelamente ao conjunto, começou a se aventurar em carreira solo. Chegou a participar de algumas gravações e programas, mas só se destacaria em 1979, quando junto com o produtor Quincy Jones lançou "Off the Wall". O primeiro álbum solo vendeu 11 milhões de cópias.


Rei do Pop: solidariedade, inventividade e exigência conceitual eram os seus fortes


Com o sucesso, as transformações começaram. Michael passou pela primeira cirurgia plástica, que lhe afinou o nariz. A mudança pode ser conferida no clipe que revolucionou o gênero, "Thriller". Com um cenário cinematográfico a produção ajudou na divulgação do segundo álbum solo de Michael Jackson, de mesmo nome da faixa. Com composições como "Billie Jean" e "Bet it" o disco vendeu 50 milhões de unidades. O trabalho foi premiado com oito Grammys e ficou 37 semanas no topo dos mais vendidos nos Estados Unidos.



A excentricidade de Jackson começou a vir à tona. A pele do astro ficava cada vez mais branca e seu rosto cada vez mais distante dos traços característicos dos negros. Além disso os problemas na infância começaram a vir à tona do grande público. Michael era considerado uma criança em corpo de adulto Construiu em sua mansão um parque de diversões, zoológico e cinema, além de salas recheadas de brinquedos de todos os tipos. Passou a receber jovens em seu rancho chamado de "Neverland" ("Terra do Nunca", em uma alusão a localidade do clássico inglês "Peter Pan", um garoto que não queria crescer).


Aristocrático: Michael era referenciado e influenciava a todos os setores da sociedade, das classes mais pobres aos governos

Seu terceiro disco, "Bad", de 1987 tirou as atenções de seus hábitos e os levaram para seu trabalho. Além da faixa título o trabalho apresentou outros sucessos como "I Just Can't Stop Loving You", "The Way You Make me Feel" e "Dirty Diana". No mesmo ano estrearia seu primeiro trabalho no cinema, no curta "Captain EO", dirigido por Francis Ford Coppola e concebido para integrar uma atração nos parques da Disney.



Dois anos depois continuaria trabalhando no cinema com "Moonwalker", desta vez um longa que chegou aos cinemas, mas não foi bem recebido pela crítica. Novamente o que chamava a atenção era sua aparência, agora totalmente disforme dos traços originais do garoto que cantava "ABC" ao lado dos irmãos. O cantor afirmou posteriormente que era o vitiligo que lhe causava a brancura. Entretanto, o rosto era deformado por constantes cirurgias plásticas.


Espontaneidade: desde o início da carreira até sua inusitada morte, o Rei do Pop foi  simples e espontâneo


Em resposta aos que criticavam Michael como um "ex-negro" veio "Black and White", primeira faixa do novo álbum "Dangerous" a ganhar um clipe. O álbum foi o primeiro fruto de um contrato multimilionário com a Sony. Os problemas continuaram em 1993, quando foi acusado de abuso sexual contra um menino. No mesmo ano se apresentaria no Brasil.




Em 1994 se casaria com a filha de Elvis, Lisa Marie Presley. A união só duraria dois anos.



Em 1995 lançaria "History", um cd de comemoração com canções de toda sua carreira. Teve três filhos com Deborah Rove, enfermeira da dermatologista do cantor (posteriormente soubesse que os bebês nasceram de inseminação artificial). Seu último álbum foi "Invencible", lançado em 2001 e considerado um fracasso. Seu último projeto em vida seria uma turnê de despedida que nunca foi realizada. Ele faleceu devido a um coquetel de medicamentos dado por seu médico dias antes da estreia.










Com informações de ANB Online.





Agência Comunitária dos Correios será instalada no Parque Jair ainda este ano



Projeto de instalação de agência comunitária dos Correios no Parque Jair beneficiará mais de 17 mil habitantes de São José de Ribamar; de concepção do ativista e pré-candidato a vereador Marco Aurélio , projeto será implantado em parceria com o Executivo Municipal e a empresa de telégrafos


Por Fernando Atallaia

Da Agência Baluarte



O certame realizado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e o Executivo Municipal para definir prazos e local de instalação de uma agência comunitária dos Correios no bairro Parque Jair em São José de Ribamar já foi devidamente protocolado na última quinta feira (21) na sede da instituição federal.



O secretário de administração da prefeitura, Rodrigo Valente, representou o Governo na audiência que marcou a definição das etapas que serão trabalhadas para a execução do projeto como um todo. A reunião com o diretor dos Correios Sr. José Lima Brandão foi sugerida pelo empresário Marco Aurélio e seguiu o organograma de implementação da agência, a ser gerido nas próximas semanas.



Em sentido horário: Marco Aurélio(autor do projeto), José Lima Brandão(diretor dos Correios) e Rodrigo Valente, secretário de administração da prefeitura municipal de São José de Ribamar: agência comunitária dos Correios será uma realidade no Parque Jair




De acordo com Marco Aurélio, o projeto já está em operacionalização e em muito pouco tempo a população do município já poderá desfrutar dos serviços de utilidade pública fornecidos pela agência. ’’ A parceria com a prefeitura foi fundamental em todo processo, agradeço a sensibilidade do Governo Municipal na pessoa do prefeito Gil Cutrim, nosso parceiro nessa empreitada e de todo seu secretariado’’, agradeceu Aurélio.

Processo de implantação- O projeto de implantação da agência comunitária dos Correios no Parque Jair assistirá a várias etapas, dentre elas: mapeamento e cadastro dos moradores locais e aumento da caixa postal já existente no bairro. Num segundo momento, a prefeitura municipal juntamente com os Correios promoverá uma campanha de conscientização visando uma maior compreensão dos serviços a serem oferecidos pela agência. Nessa etapa, o Governo Municipal disponibilizará mão de obra e a empresa de telégrafos treinamento de pessoal.




Já durante o andamento das etapas definidas, será posto para aprovação na Câmara Municipal, um projeto de lei que eleve o Parque Jair à condição de distrito no sentido de consolidar por definitivo a agência comunitária dos Correios no município. Outros bairros da cidade como Parque Vitória também serão contemplados com agências locais dentro do projeto maior de criação do Centro de Distribuição (CD) de Correspondências de São José de Ribamar. Uma prova de que o Poder Público e os órgãos de alcance social, unidos aos bons ideais e a projetos de alta envergadura podem contribuir para o bem-estar da população. E a contento!





"Temos de barrar o apetite avassalador do PT em São Paulo", diz senador tucano






Do Uol






Na convenção que marcou o lançamento da candidatura de José Serra (PSDB) à Prefeitura de São Paulo, lideranças tucanas dispararam críticas ao PT e à administração do candidato petista Fernando Haddad (PT) no Ministério da Educação (MEC), em discursos que defenderam o caráter nacional da disputa em São Paulo e que deverão dar o tom da campanha eleitoral.



“Não há dúvida de que essa é uma eleição de repercussão nacional, não pelo sentido estreito de disputa entre partidos, mas porque seu resultado poderá significar muito para a saúde das instituições democráticas. Trata-se de barrar, aqui em São Paulo, o apetite avassalador do PT, que não respeita nenhuma barreira”, afirmou o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), que discursou representando o diretório paulista do partido.




O senador Alvaro Dias (PSDB-PR), que falou em nome da Executiva Nacional do partido, também defendeu a tese do caráter nacional da disputa. “O confronto com o candidato do oficialismo é visível. Não há como não considerar este um pleito nacional, pela presença de uma liderança nacional como José Serra e pelo interesse maior do governo federal na eleição em São Paulo”, disse Dias, que também fez críticas à gestão de Haddad no MEC.



 "É a experiência administrativa fracassada, um Ministério da Educação que deixa um legado dramático. Legado de mentira, de falsificação e de incompetência, de lambanças na gestão da educação", afirmou Dias.



 Nunes também foi enfático ao criticar a escolha do candidato pelo PT. “[O PT] impõe um candidato artificial que passeia por aí como se fosse um urso adestrado levado pela coleira”, afirmou.



 Em seu discurso, Nunes ainda fez menção ao “mensalão” e à suposta atuação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para pressionar o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Medes sobre o julgamento do caso.



“[O PT] não hesita em macular o Congresso Nacional com o mensalão, não titubeia em tentar intimidar os ministros do Supremo, [o PT] se utiliza de uma CPI para perseguir adversários políticos, contrata criminosos aloprados para produzir dossiês difamantes contra oposicionistas e não hesita em ameaçar constantemente a liberdade de imprensa”, afirmou o senador.

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB