terça-feira, 27 de março de 2012
Governo do Estado comprou 7,5 toneladas de pescado

Do blog do Luis Cardoso

A governadora Roseana Sarney adquiriu mais de 7,5 toneladas de frutos do mar, entre: peixe, camarão, lagosta , sururu e caranguejo. Não se trata de nenhum programa de distribuição de alimentos para a Semana Santa. A quantidade que daria para alimentar milhares de pessoas, será utilizada para abastecer as geladeiras e freezers dela e do vice-governador, Washington Oliveira.

Luís Fernando Silva, da Casa Civil: a ordem para a aquisição das benesses do mar teria saído de seu gabinete

Só de filé de pescada amarela fresca, foram comprados mais de 1,3 toneladas e gastos R$ 85.674,00. O camarão fresco também lidera a preferância do cardápio de nossos representantes, com mais de 1,2 toneladas.

Confira abaixo a lista de compras do governo. A conta: R$ 354.527,40 foi paga exclusivamente com dinheiro público. Isso é que é comer bem!






Com informações de ANB Online.
Retalhos Poéticos na obra existencial de um músico brasileiro

Por Fernando Atallaia

O cantor e compositor maranhense Eliseu Cardoso dispensa maiores apresentações. Veja na íntegra como Cardoso, que é amigo pessoal deste repórter, se define em sua arte e história: Fique com este grande artista da maranhencidade contemporânea:


''Sou pinheirense, mas poderia ser israelense ou palestino, talvez muçulmano, quem sabe budista. O mundo é nossa casa, assim como o rio da minha cidade às vezes é mar. Entre a borboleta e o casulo existe um instante difícil de ser pensado. Gostaria de ser tudo isso, apesar de ser apenas isto, mas há dias em que sou aquilo que nem mesmo eu sei o que é''.


Poema Em que Tempo, de autoria de Eliseu Cardoso

quando acordaremos de verdade do sono que nos mantém acordados?
em que dia da semana gritaremos nossos erros?
em que hora beijaremos a terra, pedindo desculpas ao céu?
em que instante choraremos abraçados às árvores e animais?
nossos olhos aguentarão a verdade da luz?
nossa boca sentirá o gosto do que jamais foi comido?
nossos ouvidos escutarão a palavra recriada?
em que momento nos reencontraremos, todos os humanos para respondermos juntos:
por onde estivemos por tanto tempo?


Fernando Atallaia é editor de ANB Online e além de repórter também é músico, cantor, compositor e poeta. Integra com Eliseu Cardoso, a Geração 90 da poesia e da música produzidas no Maranhão a partir desta década.
O descaso de Onacy Paraíba e o sofrimento da população


Do blog do Domingos Costa


Dariamente o blog Domingos Costa  mostra o abandono em que o Prefeito Onacy Vieira Carneiro deixou o Município de Raposa. Afundado em dividas, sem infraestrutura nos bairros, com o viva caindo aos pedaços, obras inacabadas, sem geração de emprego e a pesca cada vez mais em decadência.

Onacy Paraíba: péssimo prefeito, ele tem a rejeição maciça da população de Raposa
17 anos de pedidos e abaixo-assinados e, até agora, tudo em vão. Ao que parece, a situação piorou. As ruas da Vila Bom Viver, um dos maiores bairros da Raposa, município localizado na Região Metropolitana de São Luís, só não estão totalmente intransitáveis, devido à ação da população.


Os buracos se transformaram em crateras. A Rua 15 de novembro, por exemplo, é tomada pelo lixo e foi “pavimentada” com palha e cascas de coco, pelos populares. O mau cheiro incomoda e a falta de iluminação oferece riscos à segurança de quem precisa usar a via pública no período da noite.

Moradores de Raposa: reunidos, eles contemplam uma das obras-primas do prefeito Onacy Paraíba

Os moradores reclamam que a comunidade está abandonada há mais de 17 anos, mesmo após a emancipação do município. A ausência de infraestrutura na área vai além dos serviços básicos que deixam de ser oferecidos à população. O sentimento de quem mora na Vila Bom Viver é de total abandono e insatisfação.

A situação é tão caótica que existem relatos de moradores que resolveram abandonar suas casas no bairro e só pretendem voltar para o local após as melhorias. A Prefeitura, no entanto, ainda não fez nada para minimizar o drama vivido pelos moradores.

“Nós estamos cansados de procurar o Poder Público. Na Prefeitura, fazem um verdadeiro jogo de empurra”. “Não temos resposta de quando acabará esse caos”, reclama o comerciante Vanderlei Santos da Silva, 37 anos.


“É perigoso passar por aqui à noite. Além da escuridão, que pode levar alguém a se machucar, em meio a tantos buracos e lixo, há outros problemas com falta de coleta, saneamento e insegurança”, diz a aposentada Maria Delma Pereira, 66 anos, moradora do lugar.

Isabel Santos Conceição, 36 anos, é uma das comerciantes que passam sufoco com os problemas causados pela buraqueira das ruas. ”A Rua 15 de novembro é uma das ruas mais esquecidas da Raposa.

Rua 15 de Novembro da Vila Bom Viver em Raposa: secretaria de obras da prefeitura não faz esse percurso há anos
Os caminhões não trazem mais mercadorias na porta do comercio e nós, comerciantes, somos obrigados a pagar um frete extra (carroça ou carro de mão) para os produtos chegarem até comercio “, desabafa.

A situação é tão caótica que existem relatos de moradores que resolveram abandonar suas casas no bairro e só pretendem voltar para o local após as melhorias. A Prefeitura, no entanto, ainda não fez nada para minimizar o drama vivido pelos moradores.

“Nós estamos cansados de procurar o Poder Público. Na Prefeitura, fazem um verdadeiro jogo de empurra”. “Não temos resposta de quando acabará esse caos”, reclama o comerciante Vanderlei Santos da Silva, 37 anos.



Com informações de Fernando Atallaia


Nº de visitas

Confira a hora certa!

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores