domingo, 7 de agosto de 2011

Banda 10.17 aposta em musicalidade original e fortalece a cena alternativa do Estado

Passeando por gêneros musicais como Rap, Funk, Reggae e Rock, a banda se prepara para lançar um disco demo; swing do grupo chama atenção pelos grooves bem colocados e letras marcantes

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
atallaia.baluarte@hotmail.com
      
Ela vem de Paço do Lumiar e já começa a ganhar admiradores por onde passa.  A banda 10.17 formada pelos músicos Anderson (vocal), Rafael (guitarra), Eduardo(contrabaixo),  Júnior (bateria)e Dabliu Z(composições), mistura o melhor da cultura urbana aos acordes e intenções musicais frementes de nomes como James Brown e Red Hot Chilli Peppers, só para citar algumas referências da trupe.
     
Fundada recentemente, a 10.17 juntamente com as bandas Corpus S.A e Torre de Papel, integra a partir do ano 2000,  o melhor da cena musical contemporânea do Estado. No que se refere à pesquisa sonora e proposta musical original, a música ‘Estilo do Gueto’, de autoria do vocalista Dabliu Z, vem sendo tocada na rede mundial de computadores com grande aceitação.
    
Para esse ano, a banda promete um disco demo para o público amante da boa música. ‘ Estamos ensaiando com esse propósito e em breve lançaremos um álbum com nossas canções, tocamos somente músicas próprias e valorizamos a cultura e a pesquisa, o disco vem com músicas que são conseqüência de nosso trabalho musical,  o que queremos é levar uma mensagem positiva  ao público e claro divulgar aos irmãos o nosso som, afirma Eduardo, um dos idealizadores da banda.
  





TCE constatou 37 irregularidades na prestação de contas referentes a 2005 entregue por José Francisco Gomes Neto

Por Adriano Rodrigues
Da CCOM-MPMA


Trinta e sete irregularidades constatadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE) na prestação de contas da Câmara de Vereadores de Paço do Lumiar (a 27 km de São Luís), relativa ao exercício financeiro de 2005, levaram o Ministério Público do Maranhão (MPMA) a oferecer Denúncia e ajuizar Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa contra o ex-presidente do órgão, José Francisco Gomes Neto.

Os procedimentos, ajuizados em 1º de agosto, foram subscritos pelo promotor de Justiça Reinaldo Campos Castro Júnior, que responde temporariamente pela Comarca de Paço do Lumiar.

Irregularidades - As irregularidades constatadas pelo TCE e que motivaram a Denúncia e a Ação Civil Pública do MPMA incluem ausência de assinatura em documentos, ausência de recibos, notas fiscais e contratos; divergência de informações, fragmentação de despesas, empenho indevido, e não retenção e/ou recolhimento de INSS e de Imposto de Renda Pessoa Física.

Também foram constatadas irregularidades nas notas fiscais e a ausência de notas de empenho e ordens de pagamento referentes ao processo licitatório nº 003/2005. Em outro, de nº 004/2005, o TCE verificou que as notas fiscais apresentadas pelo ex-presidente possuem numeração muito superior à das notas fiscais registradas na Receita Federal pela empresa que as emitiu.

O ex-presidente da Câmara de Vereadores também não encaminhou a cópia da Lei Orçamentária Anual do exercício de 2005 e a relação dos bens móveis e imóveis sob sua guarda, com os respectivos valores, destacando os adquiridos no exercício, conforme determina a legislação.

Remuneração excessiva - O Tribunal detectou que, no referido exercício financeiro, a remuneração de Gomes Neto e dos demais vereadores excedeu o limite imposto pelo artigo29 da Constituição Federal.
"Pela desaprovação de suas contas, restou evidenciada a malversação do dinheiro público, por várias fraudes, inclusive frustração de procedimentos licitatórios, que deveriam ter sido feitos à luz do que determina a Lei nº 8.666/93 (Lei de Licitações)", afirma o promotor de Justiça Reinaldo Campos Castro Júnior na Ação Civil Pública ajuizada contra Gomes Neto.
"O presidente da Câmara Municipal não pode administrar a coisa pública como se fosse seu patrimônio particular, uma vez que, agindo assim, gera prejuízos ao erário público e aos cidadãos", complementa.

Sanções -Caso a denúncia e a ação civil pública contra Gomes Neto sejam deferidas pela Justiça o ex-presidente pode ser condenado à suspensão dos seus direitos políticos por três a cinco anos, ao pagamento de multa de até cem vezes o valor da remuneração recebida à época e à proibição de firmar contratos ou receber benefícios, incentivos fiscais ou creditícios do Poder Público.




TJ blinda Bia Venâncio e a mantém no cargo

Da UMESP

A prefeita Bia Aroso responde a vários processos na Comarca de Paço do Lumiar, inclusive sendo afastada do cargo por duas vezes. O primeiro afastamento se deu a pedido do Ministério Público, provocado por moradores de Paço do Lumiar, que denunciaram que a prefeita estava fazendo contratação de servidores públicos de forma irregular, ou seja, sem a realização de concurso público conforme exige o Art. 37 da CF.

A Promotora de Paço do Lumiar Dra. Gabriela Tavernad, investigou a denuncia e conclui que a prefeita para cumprir acordos  com patrocinadores de campanhas e cabos eleitorais, efetuou de forma irregular o contrato de aproximadamente 3000 servidores para a prefeitura de Paço do Lumiar, acordos esses que foram decisivos para sua eleição no pleito de 2008. O Ministério Público encaminhou a denuncia para o Poder Judiciário pedindo  através de liminar  o imediato afastamento de Bia Aroso do cargo  de prefeita, que foi acatado pela juiza de Paço do Lumiar Dra. Jaqueline Caracas. A prefeita retornou ao cargo através de uma liminar expedida pela Desembargadora Nelma Sarney.

O segundo afastamento se deu através de denuncia do Secretário Adjunto de Educação e do Contador da prefeitura que denunciaram no Ministério Público, que na prefeitura existia uma máfia para desviar recursos públicos comanda pela prefeita Bia Aroso, a denuncia foi investigada e comprovada a veracidade dos fatos, e foi encaminhada para o Poder Judiciário que terminou com o afastamento da prefeita pelos juízes do Pauta Zero. A prefeita retornou ao cargo através de uma liminar expedida pelo Desembargador Paulo Vélter, numa atitude muita suspeita devido a gravidade da denuncia e a veracidade dos fatos.

Prestes a ser afastada pela terceira vez, os advogados da prefeita são orientados a pedir a suspeição do Juiz que está atuando em outros processos contra a prefeita, sob a alegação que os mesmos estão sendo apurados de forma célere, ou seja, rápido demais. Alias este argumento não está inserido   nos  requisitos que dá legitimidade ao pedido de suspeição de magistrados.





Do Jornal do Brasil com informações de ANB On Line

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, negou nesta quinta-feira que tenha criticado a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, em entrevista à revista Piauí. Por meio da assessoria de imprensa do ministério, Jobim classificou as informações divulgadas hoje na imprensa como “parte de um jogo de intrigas” e uma tentativa de desestabilizá-lo.
Jobim deu estas declarações em Tabatinga, no Amazonas, onde participa da assinatura de plano de segurança fronteiriça entre Brasil e Colômbia.

Apesar das reações do ministro, são fortes os rumores de que a presidente Dilma Rousseff já tenho decidido demiti-lo, em conversa reservada com Ideli, e que estaria apenas esperando sua volta do Amazonas para comunicá-lo. Outras especulações dão conta de que Dilma estaria esperando Jobim pedir demissão. Há ainda correntes que garantem que Aldo Rebelo já estaria cotado para assumir a pasta.

Jobim negou críticas a colegas. Em entrevista a ser veiculada a partir desta sexta pela Piauí, o ministro classificou a coordenadora política do governo como “bem fraquinha”. As declarações de Jobim, que na última semana havia informado que votara no tucano José Serra nas eleições presidenciais de 2010, incluem ainda ataques à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann que, segundo ele, não conhece Brasília.
Jobim negou ter criticado a ministra Ideli Salvatti e outros membros do governo Dilma 
“Em momento algum, fiz referência a ela (Ideli) dessa natureza”, disse Jobim. O ministro, segundo a assessoria, afirmou que tem auxiliado Ideli Salvati nas articulações no Senado para aprovar o projeto de lei em tramitação que trata do acesso a informações públicas. De acordo com a pasta, ele elogiou a ministra e também negou ter feito qualquer comentário depreciativo em relação a outros membros do governo. “Reconheço na Ideli capacidade e tenacidade importantíssimas na condução dos assuntos dentro do Congresso”, disse.

Ideli utilizou hoje seu blog pessoal para responder às declarações. “Para um ministro da Defesa são desnecessários determinados ataques. Não é assunto relacionado à pasta dele. Não fiquei chateada até porque eu tenho clareza das minhas qualidades, das minhas potencialidades e das minhas dificuldades. Me esforço muito para corresponder a honra que a presidenta me deu de estar neste momento respondendo pela secretaria das Relações Institucionais”, escreveu.

Mais cedo, em resposta ao ministro da Defesa, o presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP), ensaiou uma defesa da colega de governo, mas acabou chamando a coordenadora política do Executivo de “bem gordinha”. “Eu acho até que esta (declaração) não combina com a ministra Ideli porque a Ideli é até bem gordinha”, disse Sarney. A ministra responsável pelas articulações do Palácio do Planalto com o Congresso perdeu mais de 40 kg após uma cirurgia de redução de estômago há cerca de sete anos.

Nº de visitas

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:
(98) 9 8767-7101

E-mail:
agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com


Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB